domingo, 9 de fevereiro de 2014

Do passado amoroso de mámen (repost actualizado)

Há erros que não se voltam a repetir. Aprendizagens de ouro.

Um deles é de não querer saber, de todo, de tuuuuudo da vidinha passada, presente e futura do nosso novo amor. Aquela mania do "conta-me tuuuudo acerca de ti", "não me escondas nada" ou, na versão Paulo Gonzesca "quero saber-te de cor".

Eu aprendi essa lição à minha custa.

A última vez que meti na cabeça que queria saber "tuuudo" acerca da minha nova aquisição amorosa soube pormenores tão sórdidos como "A minha primeira namorada era famosa. Protagonizou um êxito da canção ligeira dos anos 80".

Ainda pensei que fosse a Gabriela Schaaf. Mas não, tinha sido mesmo a filha do Jorge Ferreira (who?) e, por curiosidade, youtubei-a.

O que vos conto é que não consigo lidar com a pressão. Nem na minha rua sou famosa. Como possp competir com alguém com este maravilhoso sotaque açoriano-americano? Com este tom de voz meigo e meloso?

Temo que venha aí uma crise conjugal.
Mas aprendi, de uma vez por todas, que há detalhes do passado dos nossos homens que não são importantes que nós saibamos.
Ter uma pila em comum com esta menina teria sido um deles.

16 comentários:

Rosa Cueca disse...

Too much pressure.
E no leito? o que diria ela que Quereia?

MRPereira disse...

Espero bem que estejas a gozar! Senão é o fim do mundo! Tou farto de me rir à gargalhada! Mas fartinho mesmo!

Prezado disse...

"uma pila em comum"

muito bom.

Neni disse...

Estou toda arrepiada, caramba!

(Confesso que enquanto açoreana acho o sotaque muito mimoso, e quem não achar é ovo podre!)

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Pois, com esta voz sexy não podes competir. Então e vir a saber que o primeiro beijo do rapaz em quem estavas interessada ter sido com a Ana Malhoa (mamalhoa para os amigos)? Ainda não superei o trauma.

Narizinho Lunático disse...

Ahahah!! :) Não pode!! :p

Mak, o Mau disse...

A ignorância é uma benção. Por isso é que eu sou quase um santo.

Capitão Microondas disse...

É sempre melhor não esgravatar muito. Mas por vezes é positivo. A minha auto-avaliação de "bad boy" subiu uma vez, quando me apercebi há muitos anos estar a suceder a um mob gangster.

Nervos em frangalhos disse...

Ai valha-me Deus! Eu mais do que não querer uma pila em comum não conseguia tirar essa vozinha da minha cabeça nunca mais! Era relação condenada ao falhanço.

Malena disse...

Com as ilhas não se compete!

Pólo Norte disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
SAIRUM disse...

Este som é muito bom, deu-me mesmo vontade de o ouvir com o volume no máximo, vestir uma t-shirt de alsas branca (aquela c/ furos para respeirar melhor),escrevia no braço "Amor de Pai" e ficar à janela a fumar um cigarro.

ps:Não consegui foi encontrar a t-shirt, já me estragaram o dia, estava a ser tão bom. :)

Carina Gonçalves disse...

Jorge ferreira.. faz-me lembrar os meus verões de antigamente no norte (Gerês) as belas viagens de carro a ouvir as cassetes :D

Petra disse...

ohhh lembro-me tanto de ouvir esta música nos discos pedidos da rádio la da terra pá...

Geri disse...

Pior, pior foi ter agora começado a ouvir a música e saber ainda a letra!

Divagações de uma Açoreana disse...

Geri, estou contigo.
Esqueço-me de tanta coisa, mas o raio da letra ainda está toda na ponta da lingua.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...