quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Tudo o que as pessoas sempre quiseram saber sobre os Açores

Os Portugueses ficam muito ofendidos quando vão para o estrangeiro e algum tipo natural de outro país pergunta se Portugal é uma província de Espanha. A indignação é imediata: "Já viste que coisa, aqueles ignorantes nem sabiam onde ficava Portugal e tal?!"
Muitas vezes são estes mesmos Portugueses que quando se fala sobre os Açores arrotam umas postas de pescada jeitosas e umas pérolas dignas de um revirar de olhos indicador de falta de paciência.
Como eu não gosto que os meus leitores façam figuras tristes quando estão a discutir assuntos de geografia nem que pareçam uns parolos quando se referem aos usos e costumes do seu próprio país, vamos aqui desmistificar alguns pontos:

PÉROLA-TIPO 1- "Ah, estás nos Açores? Pois, eu estou em Portugal..."
Faz sentido, é que os Açores são território espanhol. Aliás, são umas ilhas que pertencem às Canárias. Pensando bem, se calhar pertencem à Holanda: então o queijo deles não é flamengo? Não, pá, na Holanda fala-se flamenco, não é flamengo. Oh, então são italianos porque o queijo chama-se "Terra Nostra". Dah!"

PÉROLA- TIPO 2- "Os Açores são S. Miguel e o resto é paisagem"
Esta é digna de se dizer a qualquer pessoa natural de uma terra de Portugal Continental que não da capital do Império: "Portugal é só Lisboa e o resto é paisagem". Com a diferença que aqui a paisagem é significativamente mais bonita.

PÉROLA TIPO 3- "Nos Açores não se faz nada. Aquilo é um tédio."
Pois bem, tendo eu família no grupo Central posso-vos afiançar que o tédio é uma constante; desde caminhadas em S. Jorge pela Serra do Topo a descer para a Caldeira de Santo Cristo, até pesca submarina, mergulho, às famosas touradas da Terceira, os comes e bebes durante as épocas das sopas do Espírito Santo em que qualquer desconhecido é convidado a sentar-se a uma mesa corrida no meio da rua e comer sopas, alcatra, massa sovada e arroz doce, beber um gin tónico no verdadeiro Peter's no Faial, poder tirar fotografias que saem sempre fabulosas sem que se precise de um workshop de fotografia digital prévio, visitar as vinhas e as adegas do Pico ou subir ao pico do Pico, o que não falta são coisas para nos entediar.
Já em São Miguel há de tudo: campo e cidade, gastar as solas a ver montras, ir fazer um picnic à zona das Furnas, sentar-se numa esplanada a comer os deliciosos petiscos regionais, jogar golf num campo moderníssimo, visitar a fábrica do chá Gorreana, perder a vista numa das lagoas, enfim, um tédio... Com a vantagem que qualquer uma das ilhas dispensa um gps para fixar potenciais quecódromos porque o que não falta são paisagens idílicas propícias à cópula. Em suma, muito entediante. (Bocejo)

PÉROLA Nº 4- "Eu fui aos Açores há 20 anos e sei que aquilo é um atraso de vida, só havia vacas e três semáforos, as pessoas vestiam-se de forma muito rural e só havia RTP1, RTP2 e RTP Açores".
Pois bem, eu fui a Londres há 20 anos e não havia telemóveis. Nem rede wireless. Nem caixas multibanco. Nem um restaurante de sushi em cada esquina. Não volto a Londres: é que Londres ainda deve ser um atraso de vida.
Meus amigos, o tempo e o progresso chegam a todo o lado, pelos visto excepto à vossa capacidade de ver o Mundo em constante evolução. Algumas cidades de Portugal Continental há vinte anos deveriam ter os mesmos 3 semáforos e vacas (com quatro patas e com duas) ou querem ver que Ponte de Lima, Castelo Branco, Chaves, Silves ou Sines eram cidades muito evoluídas? Já tinham shoppings e escadas rolantes, cupcakes, vernizes Riské e auto-estradas com via verde, querem ver?

PÉROLA Nº 5- "Nos Açores não há cinemas, teatros, concertos e outros eventos culturais como em Lisboa por isso as pessoas são mais atrasadas"
Vamos lá a ver uma coisa, nos Açores não há trinta peças em cartaz como não há no resto do país que não Lisboa e Porto, portanto, deixemos-nos de caganças de continental.
 Mais: acredito que a minha amiga de S. Miguel vá mais ao teatro que eu que, face a tanta oferta e a tão pouco tempo, vou adiando ad eternum a minha ida ao teatro até deixar as peças sair de cena. É que nos Açores as pessoas têm tempo, interesse e energia para, efectivamente, usufruírem da vida cultural que lhes é proporcionada, ainda que em menor escala.

PÉROLA Nº 6- "Há internet nos Açores?"
Não. Aliás, sempre que lá estive todos os post foram escritos via satélite. Eu ditava, o satélite apanhava e transcrevia. Uma modernice da ursa mais famosa da blogosfera continental. 

PÉROLA Nº 7- "Não se percebe nada do sotaque açoriano"
Falar de um sotaque açoriano é como ignorar o sotaque alentejano ou minhoto e encaixar tudo num sotaque português. O sotaque muda de ilha para ilha e o mais conhecido é o sotaque micaelense. Mas, concordo, é dificílimo percebê-los. Aliás, proponho que me convidem como tradutora cada vez que alguém cá vier de férias e precise de tradução. Eu faço o hérculeo esforço. A sério, é só convidarem-me que eu faço tal sacrifício.

A linha do horizonte é sempre azul. A gastronomia é, sem qualquer hipótese para os outros sítos do pais, a melhor de Portugal. Há tempo para se estar com os filhos sem ser à noite quando eles já estão a  dormir. Não se perde tempo em filas loucas de trânsito, à espera que caia o sinal verde dos peões para atravessar a passadeira, em transportes apinhados de gente, e esse tempo é optimizado em outras coisas tão mais úteis, como ter uma vida muito mais permeável à comunidade e com muita mais interacção social.
Ponta Delgada não fica atrás de qualquer capital de Distrito do país. E as ilhas todas ainda estão super caracterizadas. As pessoas são genuínas e simples. Hospitaleiras e generosas. Com bom fundo.
Únicas com as ilhas. 


22 comentários:

Mamã Petra disse...

Na pérola 7 senti-me em casa eu também não gosto nada que falem muito em Tavira e sim isto é muito atrasado vão lá todos para Albufeira e Portimão que aqui é um atraso.

mariana disse...

fod***, quero ir aos Açores!

rosa do deserto disse...

Ai oh pá! Quando se fala nos Açores toca-se num dos meus pontos fracos. Como já disse aqui várias vezes, estive lá a trabalhar e aquelas terras ficaram-me no coração...
Gostei muito dos comentários às "pérolas", é que já não se aguenta tanta ignorância!

Em minha defesa quero dizer que já antes de ir para os Açores defendia sempre essa parte das ilhas ficarem sempre para 2º plano como se não fossem portuguesas. Quando para lá fui, bom defendi com muito mais garra, claro! Estive em S. Jorge e depois em São Miguel. O que me irritava imenso (quando estava em S. Jorge e ainda agora) era quando vinha a pérola: "ah tás nos Açores? Então e percebe-los a falar?" duhhhhh Lá explicava eu a coisa... enfim...

Concordei com todos os comentários às pérolas. Depois disto as minhas saudades ficaram ainda mais vivas :(

Panda disse...

Adorei o texto. adorava ir aos Açores mas olha que Ponte de Lima não é cidade, é a vila mais antiga de Portugal e tem evoluído muito sim :-)

Jovem $0nhador@ disse...

Adorava visitar os Açores um dia =) Com este texto ainda fiquei com mais vontade!

Emanuela Silva disse...

olá daqui a uns dias vou de ferias para os Açores, mais propriamente S. Miguel, poderia indicar-me qual é esse restaurante fabuloso, prometo n dizer a ninguém :)

Emanuela Silva disse...

Olá, dentro de dias vou de férias pela primeira vez para os Açores, mais propriamente s. Miguel, poderia dizer-me o nome desse restaurante? prometo n dizer a ninguém :)

wine, wine and more wine.. disse...

Bom Dia Ursa, pois eu tenho outra visao do assunto, Cheguei ao Canada ha 24 Anos, e na escola haviam mts acorianos, e eram eles q diziam q nao eram portugueses mas sim acorianos... Sao eles q assim q chegam ca aprendem logo a falar ingles pra nao falarem portugues... Sad e qd eles dizem q Portugal continental Vivia as custas do dinheiro da base das lages.... So it goes both ways....

Luna disse...

Bem, por acaso na Holanda fala-se neerlandês, enquanto na bélgica se fala flamengo - flamenco canta-se e dança-se na andaluzia - e o queijo flamengo é exactamente chamado flamengo porque é uma reprodução do queijo edam que era importado da holanda.

Sonia disse...

o pá se já adorava vir aqui -agora passaste para a minha idola numero 1.
sou uma açoreana(micaelense) orgulhosa da minha terra .

SN disse...

Só estive em S. Miguel e vim de lá com o queixo no chão. E a pensar que podia ser uma mega potência do turismo e que não é. Já conhecia a Madeira mas para mim S. Miguel dá 500 a zero à pérola do Atlântico.

Isa Machado disse...

Adorei! Como Açoriana acho que foi das melhores respostas que já vi sobre vários factos que ouvi enquanto vivi em Coimbra! :)

beijinho
http://tictacliving.blogspot.pt/

Gelatina de morango disse...

Eu, madeirense, já perdi a conta às vezes que ouvi a pérola 1 em relação à Madeira.

M D Roque disse...

Lamento profundamente não conhecer os Açores. :(

Bluebluesky disse...

Aquilo é tão entediante que à 3ª visita ainda não me cansei. :)
Deus nos acuda se aquilo alguma vez se torna, a nível turístico, numa outra Madeira.
Ah, e quem diz mal dos Açores é um ovo podre.

Sonhadora disse...

Gosto muito dos Açores e agradeço-te o acérrimo apoio que dás porque essas pérolas são também ditas aos madeirenses. Aliás, acho que grande parte dos "continentais" ,acha que a Madeira é uma das ilhas açorianas...mas ,afinal, fica a duas horas de distância de avião.
Aliás quando ouço dizer que "S. Miguel dá 500 a zero à pérola do Atlântico", fico a pensar por onde terão andado esses turistas. Não quero negar a beleza inconfundível da ilha de São Migel , mas quanto a ficar tão distante em termos de beleza, alto aí e para o baile...

Divagações de uma Açoreana disse...

Oh pá, Tu... sem palavras ! Queres casar comigo ?
Eu já desisti de tentar explicar ás pérolas o que quer que seja, agora faço o contrário, faço-lhes a vontade e ainda lhes dou mais lenha para a fogueira. E sim gosto de não estarmos tão desenvolvidos para o turismo como noutros sítios, pois assim sinto-me em casa. E Como a " wine wine and more wine disse, eu passo a explicar, por vezes eu também não me considero portuguesa, mas sim Açoriana, mas isso deve-se ao facto de por vezes nos sentirmos descriminados em relação ao nosso próprio país e ao peso da insularidade, mas isso são coisas do governo, por isso não se metam nisso.
Obrigada ursa, e ainda bem que além das pérolas, ainda existem muitos portugueses como tu, jóias raras.
E agora deixa-me aproveitar que a maré está vazia e ir tomar um café a Santa Maria, pois assim dá para ir a nado ;)

MyNameIsTooWeird disse...

Lamento mas as pérolas também vêm do outro lado.. O meu pai esteve a trabalhar na Madeira e dizia-me sempre que os madeirenses excluíam-se a eles próprios e diziam que não faziam parte de Portugal e eram os primeiros a falar mal dos "continentais"..por isso concordo goes both ways :)

Eu Tu e Elas disse...

Obrigada :)

Uma Terceirense ;)

CM disse...

Concordo com tudo, menos com a parte da gastronomia, ainda que seja uma delícia (e não referiste o polvo à pico, que é delicioso que nem ele), o Continente num todo oferece também muita variedade e bem boa!
Aliás recentemente apaixonaste-te pelo Alentejo... que é quase uma ilha nesse país... ainda que sem Oceano ;)

K disse...

eu só sei que é que devias ser (ainda mais) embaixadora. é que eu tenho, cada vez mais, vontade de visitar os Açores (shame on me ainda não conheço).
;)

CoriscaRuim disse...

Só passei aqui para dizer que, além de ires com a Divagações Maria a Santa Maria tomar café, vais logo de seguida jogar golfe comigo às Furnas. Temos é de escolher um dia em que o vento esteja de feição para que a bola não vá parar à Terceira...

Açoriana, micaelense, com muito orgulho. Agora, bota-te mas é cá que a friza tá a escachá de kimas, sim?
Carlinha e eu queremos abraçar a Ursa sã e escorreita, pá.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...