quinta-feira, 24 de outubro de 2013

[Assim deveria ser o amor]

[Todos os anos a mesma coisa: às primeiras chuvas o espanto inédito, embora repetido ano após ano, acerca das primeiras chuvas, esta chuva, que bom, que chatice, tudo molhado, chuva nos cabelos, na cara, na alma. 
A constatação idiota de que molha, alguns olham para o céu para ter a certeza que é chuva, abrem um pouco os lábios, timidamente deixam cair gotas na língua, outros viram as palmas das mãos em direcção ao céu como que para as agarrarem com força, as primeiras chuvas, as primeiras que se repetem, ano após ano, ninguém lhes fica indiferente, uma novidade velha, uma constatação inesperada e óbvia de tão pontual que nos chega, esta chuva, que bom, que chatice, tudo molhado, chuva nos cabelos, na cara, na alma. 
Todos os anos a mesma coisa: pessoas que não sabem onde enfiaram as gabardines, "é Outubro mas ainda tinha a roupa de Outono na arrecadação" e agora assim, de repente, apanhadas desprevenidas, esta chuva, que bom, que chatice, tudo molhado, chuva nos cabelos, na cara, na alma. 
Todos os anos a mesma coisa: a sensação de que já não se sabe conduzir finda a secura do Verão, as travagens que nos fazem resvalar o asfalto, marcas de pneus no alcatrão, pára-brisas a dançar, pequenos acidentes aqui, ali, carros encostados ao passeio, papéis a serem assinados debaixo da chuva miudinha, chuva picada, um turbilhão de estímulos, e chove lá fora, que bom, que chatice, tudo molhado, chuva nos cabelos, na cara, na alma. 
Todos os anos esta novidade velha, esta admiração do costumeiro e eu fico a pensar que assim, desta forma, como as primeiras chuvas, assim deveria ser o amor, que bom, que chatice, tudo molhado, amor nos cabelos, na cara, na alma. ]

10 comentários:

RBM disse...

E é, algumas vezes.

desabafosemrodape disse...

se calhar devia...porque isto do costumeiro põe-nos num costume de rotina que não ajuda nada...acostuma-nos, e isso não é bom!

Paula disse...

às vezes é...
vidademulheraos40.blogspot.com.

O Sexo e a Idade disse...

Eu eu gosto tanto desta novidade velha de aqui chegar e encontrar um destes textos teus :)

mariana disse...

porra que escreves tão bem!

Galopim disse...

Lindo!

Cristina disse...

Não se espantam só com a chuva. No inverno, espantam-se com o frio, no verão espantam-se com o calor, no s. martinho espantam-se com a habitual semana de calor, todos os fevereiros têm uma semana quente mas todos os anos se espantam e dizem que o tempo está maluco. Acham estranho haver camélias no inverno quando elas aparecem todos os anos em dezembro. Podia dar mais exemplos das coisas que as pessoas estranham mas que no entanto são iguais ano após ano.
Há pessoas muito distraídas..... devem ver a vida passar ao longe, sem lhe tocar.

Morango Azul disse...

Já há muito tempo que, na minha opinião, não escrevia um texto agradável de ler. Gostei.

Ana Sousa disse...

É a primeira vez que comento este blog, embora seja leitora regular, mas desta vez não resisti: Que texto absolutamente maginífico! Parabéns!

Joana Sousa disse...

Tão bom... obrigada pelo texto, Pólo, neste momento caiu-me que nem uma luva...obrigada!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...