segunda-feira, 21 de outubro de 2013

E o périplo no Porto começou assim

Eu e a minha amiga Sandra ficámos incumbidas de ir comprar uma estante ao IKEA de Matosinhos para o stand da Limetree. Saímos do Palacete Pinto Leite e o GPS decidiu não colaborar, pelo que, perguntámos indicações ao primeiro taxista com que nos cruzámos.
- "Bom, dia, sabe-nos indicar como chegar ao IKEA (iquêá)?
- "Ao quê há, meneina? Num percebo..."
- "Ao I- quê-á. "
- "Ó meneina, isso num temos aqui. Bocêsses saum donde? Lisboua? Debem estar baralhadas..."
-"Sabe, aquela loja de móveis baratos, está a ver?"
- "Ahhhhh! O IKEA (i-quei-ia)! Já podia ter dito..."
(engolindo em seco pela lição de pronúncia sueca dada por um taxista do Porto"- Sim, sim, onde fica, sabe?"
(mão na testa e ar aborrecido)- "Tchiiiii, isso fica muito luonge!"
 
Respirar fundo, passar ao taxista seguinte, e ao transeunte seguinte, e ao condutor de autocarros seguinte e a resposta continha sempre três palavras: "Tchiiiiii!" (a sério, toda a gente faz "Tchiii" no Porto quando tem que dar uma orientação?), "VCI" (lê-se bêcêi) e "Circunvalação" (lê-se circunvalação).
 
Uma hora e meia depois, rotunda do AKI, rotunda do Norteshopping e uns 34 "tchis" depois lá percebemos: em primeiro lugar que estávamos, efectivamente, a 15 minutos do local de partida em linha recta e em segundo lugar que o IKEA do Matosinhos está muito mal sinalizado (custava dizer nuns cartazes que era na saída do Porto de Leixões e sentro do Mar Shopping?) 
 
Já com o tempo contado fizemos as compras a correr e viemos tentar colocar a estante no porta bagagem. Claro que, Deus irónico como é, não colocou nenhum homem nas redondezas para pedirmos ajuda pelo que fizemos um remake daquela cena do fim-de-semana com o morto em versão Expedit.
 
 


Meia hora depois, a estante estava no carro, nós a apreciar a pastelaria refinada da confeitaria Petúlia e a beber um cimbalino: "Porto, se prepare que eu vou-lhe usar!"

E usámos.

12 comentários:

Titanices disse...

... Palacete Pinto Leite, tá?

EXPERIÊNCIA disse...

Você deve ser uma sumidade, a gente da minha cidade não fala assim e triste que com tanta CULTURA que você tem não saiba onde esteve.... PALACETE PINTO LEITE (Anjinha) presunção e agua benta cada um toma a que quer...

Pólo Norte disse...

Tá!!! (Corrigido e desculpas apresentada, sim? :P)

Pólo Norte disse...

Experiência,

Eu, SUMIDADE, assumo que me esqueci da matéria da escola primária onde aprendia os rios de Portugal, os distritos e o nome de todos os palacetes do Porto. Desculpa-me, sim, sim, sim?

É que estou aqui a auto-flagelar-me até mais não por ter confundido palácio com palacete.

Carla Sousa disse...

O que eu gosto da Petúlia, meu Deus!!! Especialmente das torradas da Petúlia e do encanto das pessoas que nos atendem (claro que te vão perguntar se provaste o bolo-rei, o 'ai Jesus' desta confeitaria - dessa não te livras :D ).

:)
Beijos*

*quanto à pronúncia, 'what else'? A verdade é que tu ADORAS, admite lá!!! Há lá coisa mais gira que a pronúncia do Norte?

p* disse...

Experiência??? Não falamos assim?! Eu nem falo muito se me entusiasmo ou falo mais rápido falo assim e bem! E digo tchiii :D

p* disse...

E tchiii é circumbalaçãum!! :)

Miss Pipeta disse...

Eh pah, não sei o que vocês foram fazer à VCI, muito menos à circunvalação. Tinhas pedido ajuda blogosférica que chegavas muito mai'rápido ao IkÊá :)

M D Roque disse...

Viva o Puârto, carago !!( de má memória para mim, mas isso sou eu) ... e diz-se drâgOngue e cicuonvâlaçOngue :):)

NP disse...

Oh polo, nao se lê nada Cicunvalação é Circumbalaçãoee! :D LOL

Fernanda disse...

Eu acho mesmo que só encontrou gente de arredores do Porto, tipo, Gondomar ou Matosinhos. Trocamos os vês pelos bês? Trocamos, sim senhor e com muito orgulho. Carregamos mais nos ãos? carregamos sim senhor, mas não falamos como se tivéssemos vindo diretamente da aldeia mais recôndita de Portugal há 50 anos atrás (aliás esses foram quase todos para Lisboa e agora falam à tios e tias de Cascais, tá a ver!).Temos pronúncia e, por acaso, só por acaso, eu adoro. As várias pronúncias deste país é a nossa riqueza linguística. Só não gosto quando resolvem exagerar, porque a maior parte das pessoas não fala assim, tal como em Lisboa, também, nem todos ensurdecem a língua, dizendo "tiu", "riu" e afins. Pólo, já disse que gosto muito de si? Vá lá, eu sei que gosta do "people" do norte, porquê exagerar? Olhe a pronúncia dos terceirenses... eu acho o máximo!

A disse...

Tiveste azar Pólo, normalmente a malta do norte faz tudo para explicar e orientar quem pede indicações.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...