quarta-feira, 6 de novembro de 2013

É mais ou menos isto. Sem o lenço e o chapéu preto.

"A roseira 


A roseira ainda está ali. Está junto à parede que já foi branca de cal. A parede mudou de cor e de textura. Foi revestida de pedra até meia altura e foi pintada de rosa salmão, mas a roseira ainda está ali. Está em flor, como sempre a vi, com rosas pequenas e rubras. Na imagem que vejo quando passo junto à roseira falta a figura da avó. Lembro-me dela encostada à roseira, vestida de negro e em esforço para endireitar o tronco que já se apresentava dobrado pelos anos de duro trabalho. Vejo-a assim, como sei que ficou registada numa fotografia que deve estar guardada no velho álbum arrumado na estante do escritório. Há imagens como esta que se fixam na memória e que não se desvanecem. É uma fotografia a cores que não vejo há muitos anos mas sempre que passo junto à roseira que vive rente à parede, que já foi branca de cal, vejo ali a avó, vestida de negro e de lenço na cabeça. Sempre de lenço e chapéu preto na cabeça."

Da Luisa no seu "À esquina da tecla"

1 comentário:

luisa disse...

Só agora, percebi que o pico de movimento registado há dias lá na minha modesta esquina não foi só devido à minha avó. Afinal teve a ajuda da tua... :))

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...