quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Coisas que não compreendo: 4/10

Convoquei 10 pessoas para um processo de recrutamento que estou a liderar. Trata-se de uma vaga para uma posição interessante, com potencial de crescimento, vencimento justo e numa empresa em (real) crescimento. Contrato de trabalho, seguro de saúde, tudinho direitinho. 

Estão a fazer testes neste momento, quatro pessoas das dez convocadas. Quatro, repito. 

(Quando desabafei com alguém sobre isto, respondeu-me: "ah pois, mas hoje há greve do metro e, ainda por cima, está a chover". Está certo...)

31 comentários:

Lucy Bell disse...

Deus dá nozes a quem não tem dentes :\

Frutinha disse...

E depois ainda se queixam!!
compreendo que a greve do metro possa ter alguma influencia, no ATRASO, não na falta de comparência. No minimo, sei lá, ligavam a avisar e a explicar isso mesmo.
Agora.. por causa da chuva? pois ta certo. Ha muita falta de vontade de trabalhar neste pais, isso sim.

http://desabafosecoisas.blogspot.pt/2014/01/gym-o-regresso.html

Joana Antunes disse...

Há uns meses fiz 500 km num dia para ir a uma entrevista, mesmo tendo sido avisada previamente que não tinham vagas, era apenas para ficar numa bolsa, caso surgisse uma. Lá, soube que sou caso raro, o pessoal envia o currículo, mas na hora da entrevista, há sempre desculpas para não aparecerem.
Desesperada por trabalho, mas continuo desempregada (já lá vão 18 meses desde a última vez que trabalhei, sem nunca ter tido direito a subsídio de desemprego).

Aldeia do Natal Encantado disse...

e qual era o ramo que estás a recrutar pessoas??

obg

PatriciaeMelguinhas disse...

Vou eu no lugar delas

Pinipóne disse...

O povo queixa-se, mas gosta de ser explorado (vamos fazer a ressalva que nem todos gostam de ser explorados, é apenas uma força de expressão!), quando aparecem essas pérolas como a que tu estás a dar oportunidade de apanhar assobiam para o lado e acham que é engodo! ... Enfim, bananas!

Nica disse...

Tenho um maridão desempregado que não se importava mesmo nada de ir, mesmo com greve e chuva ;)

Eolo disse...

Não era a chuva nem o metro que me ia impedir de certeza. Posso-te mandar um CV. ;)

prontaevestida.com disse...

Eu já ouvi algo como "agora só volto a procurar emprego em steembro, era só o que me faltava trabalhar no verão". Ok.........

www.prontaevestida.com

mumdream disse...

Eu trabalho numa empresa têxtil, e estivemos quase a fechar portas, por falta de pessoal para trabalhar. Há muita gente desempregada que não quer trabalho.

Fuschia disse...

Greve pode ser desculpa, mas não a de metro..

Morena disse...

São estas coisas que me deixam triste...Nem que tivesse que ir a pé. Posso mandar o meu CV?

Paracetamol disse...

Devia saber onde é que esse tipo de vagas de trabalho são divulgadas..Dizes o site?
Desculpa a intromissão.
Beijinhos!

Pólo Norte disse...

O anúncio ainda está activo no site do Expresso.

Procurem anúncios nas vossas áreas e respondam mesmo. E não faltem às porras das entrevistas.

Sílvia disse...

Quem me dera a mim ser chamada sequer para uma entrevista!

M D Roque disse...

Tu sabes em que águas nado, e em sendo necessário mais peixe, para um empresa sólida, conceituada certinha, respondem dos CE que enviarão candidatos. 70 % apresentam-se num estado de deplorável caça-ao-carimbo e normalmente esgotam-se velozmente os candidatos. Não compreendo, mas entendo que ficar em casa a receber subsídios do estado é mais vantajoso. Feitas as contas a passe, alimentação, vestuário e desgaste físico e psicológico.....

Sofy C. disse...

É triste. Andei mais de um ano a mendigar entrevistas e existem pessoas que se dão ao luxo de não aparecerem.. Se calhar ainda reclamam da crise.



Apaguei o Facebook. E agora?
http://apagueiofacebook.blogspot.pt/

Mariana B. disse...

Ai caraças, nem que tivesse de ir a pé! Quando "desovar" vou voltar à procura de emprego. Agora não há nada que possa fazer. Mas o que eu não dava para poder estar a trabalhar... :/

Fernando Lopes disse...

Embora aparentemente incompreensível, é necessário colocar-se no lugar de quem já levou 250 negas. Embora existam mandriões, também há muitos desmotivados e já sem fé. Não desculpa, mas permite contextualizar.

A mãe da Maria disse...

Hoje fiz 360 km para ir a uma entrevista... Fora da minha área profissional, da minha área de conforto e ainda sem saber quais as condições!

cantinho disse...


Impressionante este tipo de atitude.

Beijinho

Rita disse...

É revoltante. Tenho um caso bem perto de mim que se recusa a trabalhar ao sábado. E mais outro que, apesar de desempregado há muito tempo, se recusa a procurar fora da sua área de formação. Não percebo mesmo.

BeatrizCM disse...

E depois há muito desemprego. Com falta de iniciativa é que os números não hão-de mudar!

Vera disse...

Eu também não compreendo, mesmo. E o pior é que às vezes é justamente a essas pessoas que cai tudo no colo. Eu então já perdi a conta às entrevistas e mesmo processos de recrutamento que fui, sem nunca me atrasar (quanto mais faltar!) e a mim não me toca nada. Oh vida...

Sandra Silva disse...

Também não compreendo. Ainda aqui a esfolar-me toda para ser chamada para entrevistas (na esperança de arranjar trabalho), já fiz mais de 600Km para ir a uma entrevista que acabou por não dar resultado, alguns são chamados para entrevistas, provavelmente perto da zona de conforto deles e mesmo assim falham. Uns com tanto, outros com tão pouco. :(

Pipita de Chocolate disse...

Há meses estive na mesma situação, ordenado porreiro, seguro de saúde, empresa em real crescimento, etc... Várias pessoas chamadas para entrevista e cerca de metade não compareceu... Nem ligou a avisar sequer.

Pipita de Chocolate disse...

Há meses estive na mesma situação, ordenado porreiro, seguro de saúde, empresa em real crescimento, etc... Várias pessoas chamadas para entrevista e cerca de metade não compareceu... Nem ligou a avisar sequer.

cat ju disse...

cá vai brutidade:

estas pessoas só merecem é chapada!

com tanta gente a precisar...
enfim.

JU

Ines Monteiro disse...

Olá PN,

Andava há uns tempos para lhe pedir para escrever um post sobre o que dizer (ou não), numa entrevista de trabalho.
Por exemplo, uma das perguntas frequentes é "qual o seu maior defeito /qualidade" - mas algém vai dizer que é preguiçoso ou que gosta de alcóol?-ou "qual o seu maior feito até hoje".
Ora, perguntar isto a recém licenciados que ainda não fizeram nada no campo profissional é estarem a a pedir por respostas pré elaboradas.
Dê-nos dicas, se faz favor!

Marta disse...

Quem me dera ter essa oportunidade... Se recrutarem psicólogos/formadores, não te esqueças de mim!! :)
Beijinhos!

Tânia disse...

Também estamos a recrutar e a frase que mais oiço é que recebem mais do subsídio de desemprego...e que ainda o têm por 2 anos...Como GRH sei bem o que isso é. E tenho outra que liguei e percebi a falta de interesse e depois envia um e-mail a impor as condições dela. Enfim dêm-se mais RSI...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...