domingo, 12 de janeiro de 2014

O preço da ignorância

"Já nem se esconde, nem se sussura em reuniões à porta fechada. A agenda de implosão da escola pública e de recuo na aposta no ensino para todos é assumida e está aí em todo o seu despudorado esplendor, pela mão da Juventude Popular, sempre alerta para as necessidades de todos os jovens.  

Não devemos estranhá-lo. Afinal, insistir em 12 anos de escolaridade é de facto um disparate, o que têm o jovens a ganhar com mais qualificações? Isto está tão fácil de arranjar emprego, o País tem resultados bem acima da média dos seus parceiros Europeus e da OCDE em frequência do ensino secundário e superior, somos hiper-competitivos e temos professores bem a menos do que precisamos. Até é de estranhar que só agora estes patrióticos promotores do desenvolvimento se tenham lembrado de acabar com este regabofe educativo.

E, repare-se, é uma proposta muito bem fundamentada, invocando-se precisamente a "liberdade de aprender" enquanto "direito fundamental de cada pessoa" para recuar na obrigatoriedade da escolaridade (desde que se leia, apesar de tudo, "de cada pessoa que consiga pagar"). 

Andámos a estudar acima das nossas possibilidades e agora, graças ao ajustamento purificador que temos o privilégio de atravessar, podemos voltar a ser tão ignorantes como éramos nos tempos em que imperavam os valores tradicionais, em que cada um sabia o seu lugar e em que toda a gente escolarizada sabia as estações do caminho-de-ferro de Benguela. "


3 comentários:

moi chéri disse...

Entre a negação completa do direito ao acesso à cultura e ao ensino, ao direito de acesso a serviços de saúde, ao emprego e a uma vida digna... levam-nos tudo, tiram-nos os direitos que tantos anos levámos a conquistar. Nomeadamente o de falar e protestar livremente.
O outro senhor (ou senhora?! nunca percebi esta!) dizia que um povo ignorante é um povo feliz.
E é. E nós estamos cada vez mais infelizes. É, na opinião destes doutores, tempo de inverter a tendência.

Paula disse...

Resta-nos combater e regresso à ignorância!
http://vidademulheraos40.blogspot.pt/search/label/tempestade

Inês E. disse...

Concordo!!!
Está mais que visto que o 12º ano, licenciaturas, mestrados e doutoramentos não servem para nada!!
Está o exemplo à vista!! Burros que nem portas!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...