segunda-feira, 7 de abril de 2014

(Também) nunca comprei um sling

"Cenas que me fazem confusão em 2014



Puto ao colo, segura o puto, puxa toalha, enrola, cruza, enrola, dá nó enrola cruza. Demorou o suficiente para pensar o que aconteceria se o gajo se esquecesse do telemovel no bolso da camisa ou como é que ia mijar, a cabeça do puto à frente foda-se não vejo a gaita ops já mijei uma perna não a minha a do puto raisparta apetece-me um cigarro agora tenho de desamarrar o puto e agora não posso correr se houver um incendio fico aqui com este bagulho a tropeçar-me nas pernas querida coça-me aí os rins que já estão dormentes troca-me a fralda do puto que já tenho a pança a cheirar mal isto era mais fácil noutros tempos mas espera:
Já inventaram os carrinhos de bebé e essas tretas.
Mas não, o verdadeiro conhecimento está numa tribo perdida em África, eles é que sabem como é que se cuida de um bebé, porque o verdadeiro conhecimento perdeu-se no tempo e vivemos numas trevas tecnocratas, felizmente eu eu e eu só eu, encontrei-o o conhecimento novamente num livro que só iluminados conhecem, um círculo gigante de iluminados que redescobriu as soluções medievais, - mas como é um medieval não-ocidental já é válido, só porque é distante e desconhecido - melhores que aquelas modernices imperialistas que a televisão vende,





2 comentários:

Nadinha de Importante disse...

Eheheh...o que me ri, a imaginar a cena!!!

Carla Miguel disse...

Foi por causa deste tipo de cenas que em vez do pano (que normalmente é gigante e é preciso tirar um curso intensivo para perceber como funciona aquilo), comprei um sling e deu-me imenso jeito: uma gémea no sling de uma lado e a outra ao colo do outro lado, e só assim conseguia trazê-las da creche e subir três andares sem elevador para casa (quando estava sozinha com elas, claro). Um sling dos bons dá imenso jeito. Para viagens curtas, principalmente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...