quarta-feira, 21 de maio de 2014

Crónica de um divórcio litigioso

Quando nos separámos a coisa não foi fácil, tu achavas que era remediável, que bastava polir umas poeirinhas na nossa relação e já estava, problema sanado, mas onde tu vias poeiras, todos viam calhaus. E eu cortei o mal pela raiz, sem dó nem piedade, matando-te de vez em mim mas ficando eu com as maleitas. 
Tu rogaste-me uma praga: primeiro nunca mais consegui beber álcool em condições, depois vomitava de cada vez que comia cozido à portuguesa, ovos nem vê-los, engordei progressivamente. Não foi uma praga imediata, os efeitos deste divórcio litigioso deram-se pouco a pouco. 
Quando engravidei, a tua maldição fez-se sentir ainda mais: tinha-te arrancado de dentro de mim e agora eu deixava um bebé ocupar espaço (abdominal) em mim? Enjoos, azia, problemas intestinais: uma maldição sem fim. 
Depois da gravidez digestões péssimas, de vez em quando paragens digestivas, suores frios, vómitos e purgas várias. É que há divórcios maus, divórcios litigiosos e há o nosso divórcio, um horror sem fim. 
Ontem, depois de dias de dor, acho que acabei com a maldição de vez. Agora é ajudar quem estiver na mesma situação. Por isso, vou criar a APAVVE- Associação Portuguesa de Apoio às Vítimas das Vesículas Extraídas. 

Desvesiculados, partilhem comigo as vossas experiências pós-divócio-vesicular, os vossos testemunhos. Todos juntos seremos mais fortes. 

(Morra a maldição da vesícula! Morra! Pim!)


19 comentários:

Maria disse...

Pick me! Desde que me divorceei da dita senhora (há cerca de cinco/seis anos) que engordei 20 kilos.
Em contrapartida nunca ais tive a sensaçã de enfadamento nem paragens de digestão como no tempo em que essa senhora ainda habitava em mim.

Gaja Maria disse...

Olá, sou a Gaja Maria e sou "desvesiculada" há 3 anos. Bendita a hora!! Não engordei, já não tenho azia, não vomito, não tenho crises de estômago e nunca mais fui parar ao hospital, nada. Ah! E posso comer e beber à fartazana tudo o que me dá na real gana. Não é tão bom??

isa disse...

Eu,depois da gravidez tive crises violentas, uma delas quase fatal.
Depois de ela se ir embora a minha vida melhorou muito, até emagreci! Agora quando abuso o intestino é que paga o mau humor da bílis!
A operação foi por laparoscopia, rápida e eficaz. A recuperação foi tranquila.

Catarina Gomes disse...

Eu sofro imenso da vesicula, passo maior parte dos dias mal

Mamã Martinho disse...

Alivio!!!! Muito alivio!!!! Nunca mais houve enjoos, vómitos, e passei a poder comer tudo (claro que há que ter atenção...)!
Para mim foi o unico e melhor divórcio que tive!

Bjs

Mónica

gralha disse...

Não era suposto esses problemas desaparecerem quando se tira a vesícula? Deixa-me cá preservar a minha, ainda que preguiçosa.

Miriam Afonso disse...

Eu tenho uma experiência um bocadinho diferente posso comentar na mesma??? :p

Desde que tirei a piquena (faz agora dois anos) que me sinto melhor do que nunca! Nada de cólicas que mais parecem contrações, nada de enjoos, nada de restrições! Melhor decisão de sempre!!

Sandra disse...

Nunca comentei nada negativo neste blogue porque respeito sempre a opinião dos outros mas esta senhora devia ser internada num manicómio, a chave ser enviada fora e a "maldição" que ela gerou ser entregue a alguém mentalmente estável.
Pergunta para queijo e que detecta a mentalidade de muita gente por aí: se a relação estava assim tão mal e a pensar no divorcio ou em preparação para ele porque é que ela se foi enfiar debaixo dele? Gosta da fruta???

Lucente disse...

Ó Pólo Norte, se posso mandar um bitaite, isso parece mais doença celíaca do que maldição da vesícula... Just a thought.

marta disse...

?????????????
Oh GOD....a Sandra releia por favor o post e releia por favor o seu comentário...

Eu ainda tenho a dita cuja, sofro imenso mas acho k ainda assim prefiro viver com ela, pk se não fosse ela, da maneira como gosto de comer já não cabia pelas portas =)) é k realmente quem eu conheço k tenha tirado não sofre nada, come de tudo e nunca + teve problemas!

Marta

JuTi disse...

Ui, tantas histórias felizes... :)
Quem dera!
Essa filha da mãe que no divórcio me levou tudo! A porca!

Bem, no meu caso era assintomática (basicamente a gaja não me incomodava), mas num fatídico dia de ecografia, um técnico polaco disse-me numa boa "IR FACA" e eu WHAT?, bem é que a gaja podia-me não incomodar mas andava a trair-me às escondidas com uma pedra ENORME, enfim... blá blá blá whiscas saquetas e pronto, foi o pior divórcio da minha vida, deixou-me numa percentagem minúscula de gente (10%) que fica que nem pode pró resto da bidinha, hospital semana sim, semana não...
E prontx paaah é a minha história!

Solana disse...

Conta comigo na APAVVE! Já me divorcie há que tempos...e mesmo assim...não é fácil, o que vale é que sou mais teimosa que o agoiro.

Vai que não deixas...saudade.

Beijos

Vânia Azinheira disse...

A minha foi-se à 6 anos e foi o melhor que fiz, acabou dores, mal estar, azia, e não sei se já disse dores, dores piores que partos... Mas a minha mãe ficou como tu... Existem cerca se 3% de avesículadas que não ficam bem.
A vantagem que ela tem é como se farta de vomitar controla melhor o peso, lol. Agora fora de brincadeiras existem uns comprimidos que ajudam na digestão, ela toma sempre a todas as refeições.

Vânia



Fernanda disse...

Ahahaha! O que eu me ri a ler o comentário da Sandra. É que era para rir, não era? Era para nos divertir? Tipo-Pergunta: A tua sogra está boa? Resposta: O quê? Vais fazer o quê para Lisboa???

cantinho disse...

Ahahahaha!

Fedra disse...

Hello! também me divorciei há uns 6 meses... e foi espetacular! alcool? Check! Cozido? Check! Ovos? Check... sim, engordei um bocadinho... mas acho que se deve a comer tudo sem restrições.

Agora, grávida de 4meses... e sem razão de queixa.

In love com o divórcio

0000 disse...

Divorciei-me da minha há 10 meses. Achava que tudo estava bem, nunca desconfiei de nada. Até que uma bela noite depois de jantar, o horror. Uns 20 minutos de dor excruciante sem nada que aliviasse. Passou. Hora e meia depois, de novo. Ele era eno, rennie, umas saquetas com um líquido branco que protege o estômago, tudo de seguida. Passou. Hora e meia depois, por volta das 3 da manhã, acordo com as dores de novo. Fui para o hospital de pijama e ténis com vontade de me esfaquear e arrancar o estômago (achava que era o estômago que me doía). Depois de uma noite em claro a soro e medicamentos, um raio x e mais não sei o quê, vem o cirurgião e dá-me a notícia. Chorei instantaneamente baba e ranho assim que ele disse a palavra "operada". Tantos anos de vida em conjunto e era assim? Sem um "vamos tentar resolver as coisas", sem aviso prévio, nada?! Uma noite desavinda entre nós e pumba, acabou ali.

A minha recuperação não foi tão rápida como outras, acho que me feriram um músculo perto da virilha na laparoscopia (que foi atípica, nunca soube porquê - dois furos de cada lado perto das virilhas, o do umbigo, e um terceiro acima do estômago) e estive sem conseguir andar (porque tinha dores muito fortes quando o fazia) mais ou menos um mês. Depois de alguns dias seguidos a clonix de 6 em 6 horas, tudo passou. Ficaram as marcas deste divórcio.
Perdi peso e comecei a comer de tudo muito rapidamente. Na véspera da consulta de acompanhamento comi pizza. Vejo agora, no entanto, que não fiquei com os benefícios da maioria. Continuo de vez em quando com as mesmas sensações de enfartamento, mau estar e azia que já tinha antes, mas que nunca pensei serem sintomas de algo que estava mal (toda a gente tem disto de vez em quando, julgo eu). Talvez tenha estado distraída e distante nesta relação, e quando me apercebi, já era tarde demais.

Ana Magalhaes disse...

Aqui estou eu há cinco anos. Sou das sortudas. Desde que me deixou a força de lazer essa malfadada que me levava ao hospital e a dores incríveis, nunca mais me incomodou. Claro que devia de fazer dieta alimentar, dizem os entendidos, mas não faço. Noto nos intestinos alguma alteração mas nada de grave ou que me incomode. Foi o melhor que me aconteceu. Beijinhos.

Unknown disse...

A minha experiência é bipolar: por um lado adeus azia, enfartamento, romarias à urgência com a certeza de que ia rebentar, qual artefacto pirotécnico em festa de aldeia minhota, por outro cerca de 10 kg a mais, porque nada me "cai" mal e o meu pecado capital é o da gula..
ponderando os prós e os contras não tenho saudades nenhumas da minha ex.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...