quinta-feira, 8 de maio de 2014

´DESCIAS O DOURO E EU FUI ESPERAR- TE AO TEJO´

"Os Moliceiros são os primeiros barcos a naufragar nas memórias frescas e salgadas de Verões ininterruptos da minha infância. Desde o edifício da colónia de férias, na Vagueira, ia-se rente ao muro até chegar à ponte velha e, chegados à ria, eu tinha um colete verde que não me deixava afogar. Gostava de apanhar pequenos caranguejos, lembro-me bem, nas areias movediças daquele braço de mar, para logo a seguir os soltar. A ria ia dar ao mar, o mesmo em cujas areias procurei, noites estreladas da minha infância, fadinhas do mar, com os pés a brincar nas areias granuladas, mãos a coleccionarem conchas. Ao longe, os touros a puxarem as redes, eu nas dunas a comer gelados de água às escondidas da minha mãe porque "os de leite é que faziam bem". O farol da Barra marcava o sítio onde o mar se via mais alto, perto da Lua tão doce como as tripas com ovos moles e os meus sonhos, Julho após Julho, tinham as cores das casas da Costa Nova. As salinas chegavam sempre, rasgadas pelos narizes dos moliceiros vestidos de amarelo e encarnado e eram o ponto alto do meu Verão, neve no mar. (...)"

Hoje sou cronista na Lifecooler.

Leiam toda a crónica.

E aqui o link para a SEMANA DOS PASSEIOS DE BARCO. Conheçam as várias ideias aqui

2 comentários:

M D Roque disse...

Cool!! :D

Rita disse...

A minha visão há 12 anos! :D sempre disse que só trocaria a minha terrinha por Aveiro (cidade que visitava deste que nascera)... E cá continuo! :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...