segunda-feira, 5 de maio de 2014

Estado civil: ENC

Não são muitos mas vão sendo alguns, aqueles que depois dos 30 continuam solteiros, saídos de longos namoros e avessos a compromissos, recém-separados de uniões de facto que de facto só serviram para desunir ou coleccionadores de namorados e engates de curta duração que acabaram por não resultar em nenhuma relação efectiva. 
A verdade é que olho em volta e vejo dois tipos de casais: aqueles que se conheceram nos tempos de escola e que (ainda) permanecem juntos e os que, depois de muitos anos com outra(s) relação (ões), encontraram outros parceiros noutra fase das vidas e não demoraram tempo nenhum a formalizarem esta nova união. 
Tenho umas cinco ou seis amigas, declaradamente, encalhadas. Giras, independentes, bem sucedidas, leves e divertidas, desempoeiradas e que assumem, claramente, "azar no amor". Ou porque só se metem com trastes que fogem dos compromissos a sete pés, ou porque acabam envolvidas em triângulos amorosos, só se apercebendo disso quando, casualmente, encontram o namorado num domingo em que devia estar fora em trabalho com a respectiva mulher e filhos a empurrar um carrinho de compras do Continente ou porque, efectivamente, nas suas redes sociais já todos estão emparelhados e não há espécimes masculinas livres e desimpedidas, havendo alguma inércia em frequentar outros contextos e espaços onde possam conhecer gente diferente, nomeadamente, homens. Num breve inquérito, a sondar as miúdas, percebi que os requisitos que procuram são: decente, inteligente, trabalhador e de bem com a vida. As miúdas encalhadas não pedem muito nem pedem o homem perfeito: pedem os mínimos olímpicos. 
Curiosamente, tenho no meu círculo de amigos o mesmo número de homens encalhados. Não necessariamente giros, não necessariamente independentes (dois terços vive com a mãe, que lhes trata da comida, cama e roupa lavada), mas igualmente divertidos e desempoeirados que assumem estar à espera de uma "mulher como deve de ser" (citando). Quando lhes falo das minhas amigas encalhadas, a primeira pergunta é sempre a mesma: "Está no teu facebook para eu ver a fotografia?", o que significa que para os encalhados, que deviam ter um ego menos inflamado que o que têm, uma mulher "como deve de ser" deve ser "boa". De preferência gira e boa. O resto é paisagem. Aos homens encalhados não chega uma tipa decente e porreira: tem que ser a miss Universo. 
E, quando lhes mostro as fotografias das minhas amigas encalhadas, a opinião geral é que nunca são suficientemente giras e elegantes para tão garbosos machos que, regra geral, de uma forma objectiva, não chegam aos pés das tais amigas. 
E, de repente, o que eu acho que falta à minhas amigas encalhadas é o ego que sobra aos meus amigos encalhados. Enquanto umas pedem o mínimo, os outros querem o máximo e, vai na volta, e nunca se irão encontrar, que grandes parvos.
Às minhas amigas encalhadas faz falta serem mais exigentes. E o que faz falta aos meus amigos homens é meterem-se com gajas giras e boas mas sem o mínimo de decência e inteligência. Para depois poderem valorizar o muito e bom que ainda está disponível no mercado das relações. É que, parecendo que não, é tudo uma questão de pré-requisitos: as mulheres "como deve de ser" andam aí, podem é não ser modelos de capa de revista aos trinta e muitos anos nem terem a paciência para substituir as mulheres perfeitas... que são as mãezinhas deles. 
Orientem-se, pá!

13 comentários:

São João disse...

Tenho exactamente a mesma experiência com as pessoas que conheço. Elas querem um gajo porreiro, asseado e educado, eles querem uma boazona que lhes trate da cama, comida e roupa lavada.

Luna disse...

É a ideia que tenho também, especialmente tendo em conta que ainda há não muito tempo pertencia a um dos grupos em questão.

(começo a achar que me saiu o euromilhões)

Elisabete Rolo disse...

É isso mesmo! Na mouche!
E na minha terra costuma dizer-se que todas as vacas têm sorte... o que no fundo não é mais do que atitude e auto-estima elevada (às vezes em demasia)...

Pat disse...

Estado civil = ENC...

A Heterónima disse...

Temho mais de 30 anos e sou solteira e feliz. Quando me dizem que estou encalhada, explico que é precisamente o contrário, estou mais desencalhada que muitas acasaladas que conheço por aí. O mundo, para mim, está cheio de possibilidades, porque escolhi não ficar com pessoas erradas nem ser infeliz. Estado civil: desencalhada.

LDS disse...

Um gajo quer-se meter "com gajas giras e boas mas sem o mínimo de decência e inteligência" mas o problema é que essas só querem armários porque são cool.

Hás-de reparar que quanto mais velho, geralmente maior e mais potente o carro, o mesmo se passa com as mulheres, escolhem-se as miss Universo de mamas grandes e que tem maiores consumos, de Shopping, entenda-se.
A excepção é a crise de meia idade, em que um gajo compra um descapotável só para se divertir, corresponde à tal gaja gira e boa, mas que na verdade não é assim tão útil para a tua vida e só dá despesa.
:D

Pintarolada disse...

As mulheres costumas achar piadas aos homens Peter-Pan: aqueles que não uere crescer, sair de casa dos pais, casar, ter filhos! Ainda estou na casa dos 20 e pouco e felizmente já apanhei 1 desilusão terrivel mas que me fez ficar mais exigente com quem meto na minha vida! Estou solteira e muito feliz!

Peppy Miller disse...

As minhas amigas e eu somos giras, bem sucedidas, simpáticas, malucas q.b, jeitosas e no entanto estamos "solteiras". A nossa teoria: os homens não gostam de mulheres mais inteligentes e melhor sucedidas que eles (pelo menos alguns que nos passaram pela vista enquadram-se) e uma verdade: gostamos tanto de ser livres e da pica que é conhecer novos homens.
(é a pura verdade, no nosso caso)

anyminutenow disse...

Na condição de alguém que encalhou outrém (ie, vivi com um desses Peter Pans que agora vive com a mãe) a minha tese resultado de prolongado período de estudo, é a de que "Santo também tem saco" e quando os gajos só olham para o próprio ego (como dizes e bem) o melhor é seguirmos viagem, nem que seja sozinhas.

Depois dessa decisão não tenho tido problemas em encontrar companhia... a questão é que em vez de achar que há coisas que "são mesmo assim e que têm de se tolerar", agora sou muito mais exigente com a companhia e prezo muito mais a minha liberdade e portanto aturo menos, e mando as companhias que não são confortáveis passear, com mais facilidade.

Portanto aqui está um exemplo de alguém que não se contenta com "o mínimo" e não se considera encalhada, apesar de já ter passado bem dos 30. :)

B. disse...

uma-salva-de-palmas.

beijO
B.

Ana disse...

Estado civil desta que te escreve: ANC, de Ancorada. Encalhada é pouco. Só me calham é duques e cenas tristes, os que aparentemente valem a pena so têm queda para as minhas amigas jeitosas mas que primeira oportunidade lhes oferecem um adorno pra cabeça e é assim a vida...

Rita disse...

Ora aí estou eu! Não que queira estar sozinha e que não queira ter família (porque quero MESMO!!), simplesmente não tenho paciência para as merd@s dos meninos da mamã e acabo por nunca dar o passo... Tenho 30, estou sozinha e estou bem. Custa, como é óbvio, principalmente com a porcaria da sociedade que temos em que praticamente TODOS OS DIAS há a perguntinha da treta "então?? olha que ficas para tia!!! Já tens idade para ter juízo..."... Estou sozinha por opção, como é óbvio, mas também por "imposição" já que os exemplares que andam por aí deixam muito a desejar... Não sou criada, não sou mãe, gosto de conversas inteligentes, gosto de conviver com as pessoas, gosto do ginásio, dedico-me bastante ao meu trabalho, gosto de carros, motas e futebol, mas também gosto de roupa, unhas e sapatos e, acima de tudo, gosto de um homem que me saiba acompanhar nisso tudo....

cantinho disse...

Fantástico post!

Estado civil: ENC, de bem com a vida e peço os míninmos olímpicos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...