terça-feira, 13 de maio de 2014

Nunca um bolo teve um nome tão apropriado

O convite era irrecusável: voltar a participar nos festejos do "World Baking Day”, desta feita em equipa e integrada num dos cursos promovidos pela Vaqueiro, com a supervisão de um chef.
Eu, como de burra não tenho nada, alapei-me à Joana Roque que é só a melhor blogger portuguesa de culinária e à Filipa e vai de, cheia de moral, não virar a cara à luta. Ainda tive o privilégio de convidar a Bé que se juntou à Sofia e à Madalena e pude provar, em primeira mão, uns queques com capachinho cupcakes soberbos confeccionados pelas minhas queridas amigas.
Os cursos na Vaqueiro são tipo masterclasses: o chef apresenta um conjunto de receitas, desvenda-nos truques e dicas, distribui cada receita por uma equipa e cada equipa por uma bancada de cozinha e começa a acontecer magia.
Claro que nós tínhamos que ficar responsáveis por fazer uma torta, coisa “simples”, enrolar o bolo e tal.  Eu avisei logo que era menina para fazer corresponder o nome do bolo ao bolo e “entortar” a coisa toda, razão pela qual a prudente Joana me incumbiu de tarefas com um grau de complexidade brutal: untar a forma (se ela disser que eu untei a forma até aos rebordos, do lado de fora e tudo NÃO ACREDITEM, ok?), agarrar na batedeira para as fotografias,  misturar sumo de laranja com hortelã para a calda que cobria a torta e enfeitar  a mesma com os gomos da laranja.
O resultado foi um fim de tarde super divertido e uma torta que superou todas as expectativas:

Torta de laranja e cenoura com recheio de doce de alperce

[A dica secreta é : colocam o pano limpinho, em cima da bancada, para enrolar a torta no fim , uma das participantes- sendo que eu não me acuso- esquece-se da finalidade do pano e vai de limpar a bancada com ele; a outra participante- que para os efeitos se vai chamar, hipoteticamente, Filipa,-agarra no mesmo pano e limpa as mãos e, no final,  a participante mais experiente- que para os efeitos se vai chamar Joana- ignorando os passos anteriores, enrola, magistralmente, a torta num ápice. Tumbas, vão buscar!]


5 comentários:

Juanna disse...

Ahhh tortas...a minha especialidade. A torta com compota de frutos vermelhos é o melhor que há. E a torta à algarvia é um segredo ainda bem guardado que nós temos, mas a receita está na net e é...tão, tão boa.

Viagem Doce Viagem disse...

Fazia sempre esse bolos aos domingos para levar para a minha avó. Era o preferido dela. Mas o recheio era de chocolate ;)

viagemdoceviagem.blogspot.com

cantinho disse...


Ó Pólo Norte, o sucesso da trota está nas várias fases por que o pano passou.

Beijinho

Rainha Ervilha disse...

Hummm... Tem muito bom aspeto, mesmo! Mas o enfeite dos gomos tinha algum objectivo em especial (tipo um trilho? uma árvore? uma flor?), ou foi uma coisa assim, aleatória? (eu teria colocado no prato, junto à torta, mas isso sou eu, que até tenho algum jeito para a culinária, mas a ultima torta de laranja que fiz ficou tesa que nem carapau, e dava para servir como arma de arremesso).

Carla disse...

E que tal deixar a receita?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...