sexta-feira, 23 de maio de 2014

Saudades em tom de chuva menor

Hoje trouxeram-me um punhado de pinhões para comer. 
E lembrei-me daqueles dias em que, de mãos dadas com a minha avó, descíamos até ao pinhal, nos sentávamos numa pedra grande e com uma pedra pequenina em punho partíamos as pinhas, bocadinho a bocadinho e no fim a minha mão, pequenina, ficava em conchinha a segurar os frutos pequeninos. 
Comiamo-los, um a um, e, no fim, limpávamos as mãos sujas daquele borrão largado pelas pinhas ao avental da minha avó, voltávamos a dar as mãos no regresso a casa, cúmplices de um segredo maravilhosamente partilhado. 
Hoje comi pinhões e fechei os olhos. Senti- juro que senti- no ar o cheiro da minha avó. 


(à Sara, com um beijinho de fé)

3 comentários:

Purpurina disse...

Que maravilha essas recordações. :)
Adoro pinhões e também tenho grandes recordações com esse fruto pequenino e delicioso. Lembro-me do meu avô nos vir visitar de vespa e trazer sempre no bolso das calças uns três colares feitos com pinhões que eu devorava avidamente. Ele trazia sempre aqueles colares de pinhões para mim. Nunca mais vi nada parecido. Se calhar ainda se encontram em feiras e festas no interior do país, mas eu nunca mais vi.

Cristina B. disse...

Tenho os meus avós ainda comigo, e isto só me faz lembrar os outonos em que ele (avô) assava as pinhas no forno do pão e depois comia os pinhões que ele me partia. Este outono já não sera assim, e os pinhões na linha, não tem o mesmo sabor... Polo, do que tu me lembras...

El Gato disse...

Agora há nos hipermercados uns pinhões vindos da China, muito sensaborões.
Mas em Canal Caveira podemos comprar pinhões portugueses muito bons.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...