sexta-feira, 18 de julho de 2014

PROGRAMA QUADRIPOLAR | Picnic nocturno num castelo ou a nordeste tudo de novo

Sair de casa com o essencial. Nós- os três- e o essencial. No carro, a engolir alcatrão, a minha música. Coro desafinado e aplausos dados, entre gargalhadas, por mãos pequeninas. 
Ninhos de cegonhas avisam-nos de que estamos a chegar: Marvão no horizonte. 
Sermos acolhidos pela Catarina, tão linda, tão moura, pelo Nuno, o encantador de palavras, as palavras saem-lhe a rir-se, é um dom, juro que é um dom, pelo pequeno Zé Pedro, cabelos loiros e olhos azuis, pássaro do sul e pelo pequeníssimo Manel, augúrio de que tudo corre bem, tudo passa, tudo vai correr bem. O futuro a todos nós pertence.
O sol a pôr-se entre as muralhas. A Catarina manda-nos ir a pé, dá-nos palavras bonitas enquanto embala o bebé no seu colo, cegonha humana. E dá-nos um cesto com um taleigo. Cheira a pão alentejano, a queijo e a paio. Assim que fazemos saltar a rolha, cheira a vinho do bom e a miúda trinca melancia enquanto dança em cima da manta, neste seu primeiro picnic às estrelas. 
Passa um grupo de pessoas e olha-nos, enternecido: uma pequena família num picnic nocturno. Cumprimentam-nos e percebem que há motivo para festa. Cantam-me os parabéns com esta pronúncia demorada, de quem tem tempo para saborear as palavras, a melodia, as palmas do fim. 
O guardião do castelo deixou-nos a porta encostada, segredo de aniversário, e subimos à torre de menagem. Levo a Ana ao colo, cheira a bebé crescida.. Ele traz o cesto e a manta ao ombro, por instantes acredito que é um tapete voador e nós personagens de histórias de aladinos. No cimo, a Ana tira do cesto pedaços de hortenses que apanhou no jardim e atira-as ao ar. Chovem flores, estrelas e sorrisos, chovem interjeições de prazer enquanto se trinca um pão com caviar de azeitona, chovem gargalhadas nesta noite de Verão com uma brisa quente no cimo de um castelo e chovem murmúrios de um palato inebriado quando se brinda a noite com boleima e pastéis de castanha
Chovem estrelas cadentes e quase que toco o céu, no melhor jantar de aniversário de sempre, no melhor restaurante do Mundo, chão de castelo e tecto de céu, decoração de risos, música ambiente de palavras de amor.
Chovem estrelas cadentes e eu peço-lhes desejos para me sentir, para sempre, assim. No telemóvel a música do carro. A minha música. Porque eles ma ofereceram. Sou princesa do homem que amo, rainha da minha filha e o Mundo é o meu castelo. E as estrelas caem e eu peço-lhes desejos, de olhos fechados, para que se possam realizar. 
A Ana adormece encostada à curva do meu pescoço, o seu bafo quente embala-me e descemos os dois, de mãos dadas, cesto vazio e coração cheio. Como o meu colo. 
Começou um feliz ano novo para mim. 




Picnic nocturno em Marvão

Quem? Mercearia de Marvão
Onde? Rua do Espírito Santo, 1 - Marvão
Reservas? Pelo telefone 245 993 059  
Saber mais? https://www.facebook.com/merceariamarvao


16 comentários:

Álex disse...

belo começo sim. felicidades neste novo ano

SL disse...

Feliz ano novo, mereces isto e muito mais...

ana disse...

Muitos parabéns! Pelo seu aniversário, pela escrita maravilhosa e pela pessoa que aparenta ser. Cada vez gosto mais de passar por aqui!

I LOVE ALPRAZOLAM disse...

Parabens querida :) o melhor do Mundo para ti!bjinho

Filipa Catarino disse...

E é tão bom "receber uma chuvarada da TUA Felicidade" ao ler-te! Obrigada pela partilha. Sinto-me tão melhor depois de TE ler. Beijinhos mil...

Sandocha disse...

Muito muito bonito. Bom ano!

Johnny Guitar disse...

O facto de Marvão estar bem a norte de Lisboa, e não a sul, é apenas um pormenor.

mariana disse...

Parabéns linda Ursa!

JuTi disse...

És linda! Tens um coração lindo, uma família maravilhosa e amigos excepcionais.
Parabéns!
(fiquei lamechas, fizeste-me chorar e dá nisto!)
:)

conceicaobarreta disse...

Não podia ter festejado melhor,Marvão é o sitio onde se veem as águias pelas costas e é simplesmente maravilhoso,só que não é a Sul é Nordeste Alentejano e fica a Norte de Lisboa,Alto Alentejo.Mas é lindo e o post está romântico.

*Jo* disse...

Eu agora vou ser um bocado chatinha mas o meu lado nerd não resiste: Marvão não está propriamente a sul de Lisboa....

Mac disse...

Obrigado!!

Mac disse...

Obrigado!!

Uns têm filhos Nós temos Avós disse...

Daqui continua a ser a Sul ;)

Américo do Sul disse...

delícia de narrativa...

Catarina disse...

É Sul sim, que o Sul também é um sentir
Beijinhos da moura!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...