sexta-feira, 11 de julho de 2014

Ana Norte-Mámen, a.k.a., tirAna

(5 da manhã)

Ana (a chorar)- Dá-me fome! (tenho fome!)
Mámen- Pronto, o pai vai buscar leitinho...

Chega mámen com o biberão e oferece-lho.

Ana- Nãããooo! Pãozinho!
Eu- Vá, a mãe vai buscar-te um pãozinho, espera aí...

Trago-lhe o pão, dá-me um safanão no pão e grita:

Ana- Papa! Quero pa-pi-nha!

Mámen insiste com o biberão, ela rejeita e continua a chorar, e vai fazer-lhe um prato de papa, enquanto eu aproveito para lhe trocar a fralda (já disse que eram cinco da manhã?)

Chega o Cristo com o prato de papa e ouve-se:

Ana (aos gritos)- Massssssssiiiiiiiinha! Que-ro maaaaassssiiiinhhhha!

E foi assim, às cinco da madrugada, que eu e o mámen, com cara de zombies, pedimos perdão em pensamento à Santa Ágata dos 31 dias e encharcámos a miúda em hidratos de carbono. 
Assim com'assim, fizemos-lhe companhia. 
A massada de peixe estava muita boa!

16 comentários:

Nina Mota disse...

E viva a boa disposição as 5H da matina :)

cantinho disse...

Ahahaha!
O pais sofrem!
Bom fim de semana.

Lady_m disse...

E se ela pedisse sopa e não houvesse. Ia fazer?

Pólo Norte disse...

Lady_m

Tenho sempre sopa feita.

Avé Bimby!

Xica Maria disse...

Vá la...o meu acordou as 6h50, não é muito mau... :)

Susana disse...

Eu sei que na altura não deve ter tido piada nenhuma mas confesso que me fartei de rir ;-)

Ana disse...

A minha filha tem 20 meses e no dia (noite) que fizesse uma dessas... tem fome? Bebe leite. Se não está doente, a essa hora dorme. Acalmar se houve pesadelo, sossegar e voltar a dormir... nem.pãozinho, nem prato de papa, muito menos massinha. Aconchega com o leite se for fome e daí a 2 ou 3 horas, quando for hora de acordar, tem o pequeno almoço.

Pólo Norte disse...

Ana,

Por isso é que tu tens livre arbítrio para fazeres como achas melhor e usares as estratégias que achas mais adequadas com a tua filha... ;)

(Da minha filha percebo eu ;) )

ffiffas disse...

Desculpa Polo, acho imensa piada a quase tudo o que transmites aqui. Neste caso em concreto não tem a ver com perceber os filhos que temos... satisfazer uma birra não é satisfazer fome (se tivesse fome tinha tomado o leitinho). Primeiro ponto, contrariar birras, seja qual for a criança é fundamental.Segundo ponto, educar para bem comer (comer massa de madrugada), cria hábitos alimentares errados, seja qual for a criança (mesmo que precisasse de engordar)... mas ok, pode ter sido uma situação pontual.

Da sua filha percebe você, tudo bem, até aí já percebi que sim, dai o tirAna.

Pólo Norte disse...

Ffiffas,

Desde os dois meses de idade que a Ana dorme noites seguidas. Em quase dois anos acordou a meio da noite no máximo uma mão cheia de vezes.
Nesta noite, em particular, estava com fome. Ela fala e soube-o dizer. Para isso contribuiu o facto de ter jantado mal à custa de um dente que lhe estava a nascer e que não a deixa confortável. Portanto, acordou, efectivamente, com fome.
Acordar às cinco da manhã com fome não é agradável, daí ter ficado aborrecida. Daí a birra.
A Ana só bebe leite uma vez por dia, de manhã, com papa. Não é grande amante de leite (sim, a culpa é minha que não a amamentei ;) ). No meio da birra e do aborrecimento ela já não sabia o que queria, sabia que tinha fome.
Eu sou a favor de contrariar birras, oh se sou, mas vê lá que a Ana até nem é de birras (sim, é uma bebé perfeita- poderás ironizar. Nós não nos queixamos. Mesmo. Mesmo.)
Mas selecciono as guerras para as quais dispendo energia (e educar uma criatura coloca-nos em batalhas várias vezes ao dia) e se ela, estava com uma fome às cinco da manhã, aborrecida e queria, numa noite atípica e de excepção comer, eu não podia fazer nada senão alimentá-la. Podia ter gritado, ralhado, repreendido, quiçá, dado uma palmada pedagógica mas vê lá que eu até acho que nenhuma dessas estratégias era a melhor numa noite atípica com fome, um dente a nascer e um birra de cansaço.
Se ela queria massa e eu até tinha restos do jantar ia gastar energia nessa guerra, para quê? Para impôr a minha posição a uma miúda de dois anos e mostrar quem é que manda num momento de cansaço nocturno? Por uma questão do meu id de autoridade? Nããã. Ela queria comer, eu tinha a comida que ela queria, ela comeu e adormecemos todos. Final feliz. Claro que não lhe ia fazer massa de propósito àquela hora mas essa questão nem se levantou.
Quanto aos hábitos alimentares acho que estamos prevenidos: uma massa nocturna em quase dois anos não é preocupante. Não é por aí que o burro vai às couves. ;)
E sim, foi uma noite tirAna, o que não faz da Ana tirAna todos os dias. Aliás, é a coisa mais querida e fofa ever. Se um dia a conheceres atestarás com os teus próprios olhos.

(E se dou destaque a este episódio é porque, de facto, se trata de uma situação de excepção, que eu cá não estou a pensar abrir uma cantina italiana cá em casa...)

Beijinhos e obrigada pela preocupação. Mesmo.

(P.S.- Já foi há mais de uma semana e não voltámos a fazer massas nocturnas. Acho que podemos respirar fundo.)

Ana disse...

Psicologia baratas, portanto... Ainda bem que da minha filha entendo e cuido eu. Subacrevo o que a ffiffas respondeu ao que a PN decidiu retorquir ao meu comentário. Cada um sabe de si, felizmente...

(btw, não me estranha este episódio e reação dos pais, considerando o que vi um dominfos destes, há umas semanas atrás, no parque infantil do parque Marechal Carmona). Efectivamente, o tirAna faz muuuuito sentido.

Passe bem.

Pólo Norte disse...

Ana,

Não foram assim tão baratas. Pagámos propinas semestrais durante todos os anos das licenciaturas. E olha que ainda foram pré-Bolonha.
Claro que cada um sabe de si e fico contente que a sua filha tenha nascido na sua família e a minha na minha. É caso para se dizer que cada qual tem a família que merece.

(para a próxima cumprimente-nos, somos gente simpática e folgo que tenha visto a Ana feliz no parque, ela adora! Não é uma inspiração?)

Passarei. Retribuo o cumprimento. ;)

ffiffas disse...

;) nem tinhas que justificar, mas ainda bem que o fizeste! Ajudou-me a perceber o contexto da situação e embora não concorde a 100%, já a percebo... e ajuda-me a não me desiludir com alguém que eu costumo ver como exemplo em muitas situações de educação, por isso obrigada (porque realmente podias não o ter feito, que o facto de eu perceber ou não, era para o lado que dormias melhor ;))

Pólo Norte disse...

ffiffas,

Bem sabes que nem sou de me justificar.
Mas tu comentas neste burgo amiúde e eu sei que vale sempre a pena explicar o contexto e a situação a quem a quer, de facto, perceber e a vai entender com sentido crítico.
Não pretendo ser um exemplo de educação para ninguém, aliás, estou a aprender a educar. Faço o melhor que sei e, mais do que sei, sinto, no que se trata de educar a minha filha.
Até agora acho que nos estamos a sair bem. A Ana é a maior! ;)

Beijinhos

Ana disse...

Vi a Ana feliz? Estaria, sim... via a Ana a subir um escorrega (pela parte onde se desce, entenda-se) quando uma criança já estava a postos para descer. O que fizeram os excelentíssimos pais?! Disseram para esperar que a criança que já lá estava descesse para trepar à vontade? Não... riram-se pateticamente e incentivaram. Eu limitei-me a dizer à minha filha que esperasse (que remédio) que o escorrega ficasse livre para poder descer sem atropelar de volta a sua cria. Se vocês repararam? Óbvio que não... de tão centrados na vossa Ana, a maior, nem reparam nesses pormenores.

(Cumprimentar? Conheço-a/vos? Não, a não ser de um eventual contacto via blog. Não a vejo como um exemplo ou inspiração de forma a que me faça avançar feita tonta com um 'desculpe, mas não é a PN?!' Deixo-a ser rainha do seu bairro.

Qt às propinas... não se incomode, também as paguei, tb foi pré-Bolonha... mas olhe que isso não a qualifica de imediato como uma profissional capaz e competente.

Pólo Norte disse...

Epá,

Eu até podia continuar a discutir recalcamentos de escorrega. Só que não.

(Pelos vistos conhece-me, uma vez que não só me reconheceu, como nos esteve a observar como até, na loucura, nos catalogou como pais horribilis e à minha filha como criança mal educada tendo em conta uma subida num escorrega num parque atafulhado de miúdos. Mas pronto, obrigada por me deixar ser a raínha do meu bairro. E até podia continuar a gastar tempo consigo mas como acho que está de má vontade e eu hoje estou mesmo bem disposta... not!)

Grata por não ser a Ana a fazer a minha avaliação de desempenho. Estou a contar com um bónus salarial e lá tinha que tirar o cavalinho da chuva... ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...