quinta-feira, 24 de julho de 2014

O Universo traumático das músicas infantis

"mas o vento a soprar, leva o balão pelo ar, fica, então, o João a choramingar"

"não os puderam achar? Ai que feios gatinhos! Então, não vão brincar!"

"ao pombal de São João, à quinta da Roseirinha, minha mãe mandou-me à fonte e eu parti a canteirinha. Oh minha mãe não me batas, que eu ainda sou pequenina..."

"Sebastião come tudo, tudo, tudo, como tudo sem colher, Sebastião come tudo, tudo, tudo, chega a casa e dá porrada na mulher"

"Vou pedir ao senhor barqueiro que nos deixe passar, tenho filhos pequeninos, não os posso sustentar. Passarás, passraás, mas algum ficará, se não for a mãe da frente, é o filho lá de trás"


Canções infantis tradicionais, a criar adultos traumatizados desde 1900 e troca o passo. 

7 comentários:

Inesa disse...

Já para não falar no "atirei o pau ao gato, mas o gato não morreu".

Cantinho da Bê disse...

Ia referir a mesma que a Inesa. E pensar que passei toda a infância com essa música e não há ninguém mais apaixonado por gatos que eu...

Alima das Cartas disse...

"Ah ah ah minha machadinha"
Porque carga de água se canta uma canção infantil dedicada a um machado?

"Atirei o pau ao gato, mas o gato não morreu"

e

"Era uma velha que vivia numa ilha.E tinha um gato com olhos cor de ervilha(...)O velho pega, pega num cacete/ E põe o gato a andar de rabanete"

Oi? Violência contra animais?

"A Barata diz que tem..."
Baratas convencidas e mentirosas? Não obrigada.

"Marcha Soldado, cabeça de Papel..."
Autoritarismo e abuso de poder?

Unknown disse...

Verdade! Tenho um filho com 9 meses e apenas agora comecei a reparar como as canções infantis podem ser traumatizantes. Deixo mais uns exemplos:

"O manel tinha uma bola, mas por falta de atenção, lá deixou ele ir a bola, presa nos dentes do cão!"

"Também o mar é casado óai, tabmbém o mar tem mulher. É casado com a areia óai, bate nela quando quer!"

E aposto que há mais, mas para mim a que chocou mais foi a da linda falua!!

Elora disse...

As coisas estão a mudar: já há anos que o Sebastião chega a casa e dá beijinhos à mulher e ultimamente o pessoal anda a atirar peixe ao gato. Tenhamos esperança!

ffiffas disse...

E o nosso Galo? há mais mórbido que isto?

"é bom cantor... sempre a cantar cocoró cocoró, sempre a cantar cocorócocó... mas veio um dia e não cantou, outro e mais outro e não cantou, nunca mais se ouviu cocoró..."

ffiffas disse...

nem de propósito vi ontem no facebook um gato na terapia a dizer "não sei porque me atiraram com o pau, eu nem conheço a D. Xica!"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...