quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A minha mai-nova entregou a tese

A minha prima mais nova encerrou, definitivamente, o seu percurso escolar hoje: entregou a tese e está preparada para que um juri lhe ateste que, sim senhora, que é arquitecta. Depois de 18 anos de percurso escolar. Dezoito. Nem uma reprovação. Dezoito.
Lembro-me de a levar à escola no seu primeiro dia de aulas, os trolleys eram a última coca-cola no deserto e ela tinha uns óculos maiores que a cara e uma franja catita. Lembro-me da entrada no liceu, das chatices de pré-adolescência, da compra dos livros, ano após ano na papelaria Rui, na entrada no colégio de freiras, da saída do colégio de freiras, do espanto dela querer seguir artes, nem sequer nunca a achei com jeito para o desenho. 
Dos exames do 12º ano, do de Geometria Descritiva naquele dia em que o meu avô morreu, da entrada na universidade, das praxes, minha pequenina crescida, no desgosto dela querer ser cotovia mas da resignação de quem ama depois de lhe ter oferecido o traje- fui eu que lho dei-, das queixas, dos professores marados, dos filmes amorosos, da benção das pastas, do nó na garganta quando lhe assinei a fita, da camisola envergada pela pequena Ana "I love Arquitectura" na Praça do Comércio, naquele dia de confusão, nós na garganta, muitos nós na garganta. 
A minha (prima) mai-nova é agora a mai-velha e entregou a tese depois de meses de trabalho intenso, depois de um projecto que eu adorava que um dia ganhasse vida, depois de ter que ir ler bibliografia para o café à conta do escareceu que a Ana faz cada vez que fica lá em casa da minha tia, depois de lágrims, nervos, ideias em barda e muito suor. 
A minha mai-velha entregou a tese. E eu sou mais feliz agora, orgulhosa que estou pelo caminho que ela traçou e já recomposta dela não me ter querido seguir os passos, tornando-se psicóloga. Porque amar é isto, apropriarmo-nos das alegrias e das tristezas das pesssoas que nos são queridas, comemoramos as suas vitórias como fazendo parte delas. Sei que o meu nome consta na página dos agradecimentos da tese mas quem está grata por ser sua prima sou eu. Grata, orgulhosa e, sim, com um nó comovido na garganta!

Parabéns, Daniela, ézamaior!

4 comentários:

mysupersweettwenty disse...

Parabéns :))
Bem sei as lágrimas e os nervos que esse curso dá e ainda nem cheguei à tese, portanto só posso desejar tudo de bom no mundo que, com certeza, ela merece!

Bolacha Sofia disse...

Quem tem, quem tem, mais curvas do que rectas ? As arquitectas !
Parabéns à prima :D

Fii ♥ disse...

Muitos parabéns ! Daqui a uns aninhos sou eu ! Vamos lá ver como corre !

Loba das Estepes disse...

Parabéns!
Keep kicking the world!
e toda a gente que pensou ou disse "ah e tal, isso é difícil, não te metas nisso"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...