segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Margarida, bem-te-queremos

A Margarida é meio quilo de gente. Literalmente. Mas tem tanto amor que lhe é dedicado que não há balança que o consiga pesar.
Mesmo que queiramos imaginar é difícil, mesmo que queiramos fazer o exercício "se eu fosse a mãe da Margarida" não conseguimos. É quase impossível imaginarmo-nos no lugar desta família: emigrados, longe da sua rede de suporte familiar, com outro filho pequeno ao seu cargo e recém-pais de uma prematuríssima que precisa de cuidados neonatais de valores diários exorbitantes que não conseguem, de forma autónoma custear.
Os prematuros são valentes. Estão habituados a lutar desde o primeiro segundo. Encontram uma força ímpar no meio da fragilidade. São teimosos e casmurros e superam todas as expectativas, contrariam todos os prognósticos desfavoráveis. Será assim com a Margarida, estou certa. Estou cheia de fé.
A história da Margarida chegou-me já tarde. Com o reboliço da minha ida para os Açores, cheguei e tinha uma boa dezena de emails e de mensagens. A história da Margarida vinha lá no meio e não pude deixar de me emocionar.
Fui acompanhando à partilha gigante e disseminada desta história por toda a gente em meu redor. Não considero que a minha partilha venha tarde. Vem depois do boom de partilhas.
Porque conhecida a história por todos é necessário reforçar a necessidade continuada da participação de todos, do contributo de todos para além de nos dias iniciais, onde se conheceu a Margarida, a Genny, o Gonçalo e o Gabriel. Porque agora que já os conhecemos queremos manter a história no pensamento de todos nós até que a pequena Margarida, valente e heroica, consiga adquirir os meios necessários para poder ser autónoma.
Relembro  necessidade de apoiar esta família. Saibam como: aqui.

E beijinhos para a família 4G, em especial para Margarida, nome de flor, e, pétala a pétala, dizer-lhe que tão bem a queremos.

3 comentários:

Rafinha disse...

Coisas que fiz assim que li a história:
1º engoli e seco
2º sequei a lagrimita
3º enviei o meu donativo para um dos NIB's
4º comecei a imaginar o bolo de primeiro aniversário da menina

Se Deus quiser, mesmo longe, vou fazer um em honra dela :D

cantinho disse...

Olá.
Logo que vi na TV, entrei no FB, li a história e no dia seguinte a minha contribuição já estava programada via netbanco para ser transferida para a conta em Portugal.
Continuo a acompanhar a história, ainda hoje li e fiquei super feliz por esta a recuperar o peso. E sei, também, que ela vai vencer.
Como diz a Pólo Norte, os prematuras são teimosos, casmurros...

:)

Sofia Flores disse...

Ursa, os links estão "broken"... :\

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...