sábado, 6 de dezembro de 2014

Diz que houve polémica sobre mamas

Foi a minha amiga Carla que me chamou a atenção mas eu estava tão embrenhada na criação do Bairro do Amor que nem consegui ver do que se tratava.
Então, pelos vistos, uma recém mãe começou a amamentar a filha num hotel e mandaram-na tapar. Já é sabido que isto da amamentação é a maior seita do Mundo e que, o que quer que se defenda ou se alvitre, é sempre alvo de críticas.
Antes de ter qualquer opinião sobre o facto deixem-me recordar-vos de que sou a favor da liberdade.
Escolhi não amamentar e acho simpático que o respeitem. Quem escolhe amamentar tem todo o meu respeito, de igual forma.
Se o fazem em público ou privado, tanto me dá. Cada um sabe de si.
Dei biberão à Ana em todo o lado. Estava a alimentá-la, a suprimir-lhe uma necessidade básica e não me parece muito lógico que alguém me pedisse que lhe enfiassem uma baby burka para a tapar enquanto o fazia, até porque quando se alimenta um filho (a mama ou a biberão) há uma série de condicionantes para além da mera amamentação: há o contacto visual, há o toque, há a parte relacional. E há ainda o toque com o corpo, no que diz respeito à mama.
No entanto, acho que não é a mesma coisa dar biberão ou mama aos olhos de terceiros. O acto de dar biberão é visto como um acto instrumental. O acto de amamentar pode não ser. Há mamas ao barulho e já se sabe que as mamas podem ser uma arma de arremesso face a qualquer tema. 
Se acho bonito que haja tarados que olham para mamas com leite e lhes confiram uma conotação sexual? Não, não acho. Mas é um facto e existe. Tal como existe gente que olha para bebés e meninas de 4 anos e sente desejo sexual. É um nojo, é perverso mas existe. Eles andam aí.
Se, sabendo deste facto, as mães não se importam e querem continuar a amamentar sem se taparem, estão no seu direito. Se preferem tapar-se, pois que também estão. Viver e deixar viver, ahh, que coisa tão nice, não?
Se eu tivesse amamentado, provavelmente, não teria qualquer pudor em fazê-lo sem pano, independentemente, da taradice que vai na cabeça de uns e outros. Na maioria das vezes, e no que diz respeito às minhas mamas em particular, estou-me a borrifar para a opinião de terceiros. 
Afinal, também uso decotes generosos e há pessoas que, nessas alturas, não me conseguem olhar nos olhos e é para o lado que durmo melhor. Haja alegria!
Se incomoda as pessoas à volta alguém sacar da mama e começar a amamentar é simples: não olhem. 
Porque lá está, nisto das mamas, cada um sabe das suas. Certo?

5 comentários:

Pipoco Mais Salgado disse...

Eu, que sempre a olhou nos olhos...

Hopscotch! disse...

Não podia estar mais de acordo.

Timtim Tim disse...

Ora! Nem mais. Muito bem dito.

Leididi disse...

A polemica que houve das mamas foi hilariante e ao mesmo tempo triste. Basicamente eu concordei com a politica do restaurante do hotel quando pediram a mae que tapasse a mama. Pq se as mulheres têm direito de amamentar o resto do mundo tem o direito de nao querer ver a mama. Nao foi "va dar de comer ao bebe para outro lado" foi "nao se importa so de por um pano por cima". Mas aparentemente as mulheres que dao de mamar sao especiais - se eu soubesse tinha aproveitado melhor o estatuto - e podem tudo. E nem pensar em ser criticadas. Ao pe delas o resto das pessoas perdem direitos. Mesmo que uma sala inteira se incomode com a unica mama de fora de uma unica mae, é a sala inteira que deve sair ou fechar os olhos. Um bando de mães enfurecidas - que chegaram a dizer "quando tiveres filhos logo conversamos, o que foi muito divertido - cegaram e de repente acharam que eu era contra a amamentacao e que o que queria mesmo era que deixassem os bebes com fome. E foram tantas! Se eu tivesse faaldo de abuso sexual ou de machismo, violencia domestica ou do caso de fergunson e de todos os policias que matam pessoas nos eua, nao tinha tido nem metade dos comentarios. Mas fala se de mamas e ei- las que surgem de punhos no ar e, naturalmente, uma mama de fora.

Breaking disse...

Eu concordo contigo cada um sabe de si e das suas mamas. Mas aqui por terras de sua magestade há uma noia sobre este assunto (e mais alguns diria eu), uma guerra absurda sobre amamentar em público, mesmo tapando as ditas durante a amamentação em público. Por um lados os/as fundamentalistas da amamentação livre seja onde for e por outro aqueles/as que acham que as mães e as crias se devem esconder. Qualquer "incidente" é oportunidade para uma batalha. Tenho por mim que há muito tarado/a e/ou púdico/a por estas terras mas Enfim... não sei se passou aí a noticia de que que em resposta à ofensa, um batalhão de mães foI para a porta do hotel amamentar os seus filhos em forma de protesto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...