segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

A ASSISTIR | As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos


Pesadelo de uma noite de Inverno ou "Eu já... pisei o palco do Tivoli"

Mámen tinha dito que não queria festa. Deve ser uma coisa dos aquarianos esta alergia a festas, esta nostalgia permanente.  Este ano ele não queria jantaradas e o programa que pensámos passava por uma ida ao teatro, há tanto, tanto tempo adiada, para assistirmos ao "Obras Completas de William Shakespeare em 97 minutos" e bebermos um copo a seguir. 
Convidei meia dúzia de amigos (os melhores e os que ele mais gosta) para nos acompanharem no programa. E foi per-fei-to!
O Luciano (figurinista da peça) estava combinado comigo: mámen sentar-se-ia num lugar da primeira fila e haveria interacção surpresa entre o elenco e ele. Eu estava mortinha de ansiedade para ver a reacção do homem! Iria morrer!
Sentámo-nos, lado a lado, e no outro lado de mámen sentou-se, muito discretamente, o André Nunes. Mámen só se apercebeu disto quando o André começou a representar da plateia para o palco, tendo apanhado um susto descomunal. 
A primeira parte foi brilhante e já nos doíam os maxilares e as bochechas de tanto rir. Houve um apontamento em que um dos actores foi ter com mámen à cadeira e começou a interagir com ele e nós ficámos (os dois) convencidos que já não haveria mais galhofa para o lado de mámen. 
Não sabíamos o que a segunda parte nos reservaria... A meio de uma cena, o André volta à nossa fila, eu toda lampeira a achar que mámen se ia tramar outra vez e quando dou por mim estou a ser arrastada até ao palco, Oh fuck!
Fiquei uns bons minutos em cima do palco a ver aquele mar de gente na plateia e a mentalizar-me com um "Oh fuck! O Luciano enganou-se na puta da cadeira e indicou o meu lugar em vez do do mámen! Oh que quarailho, ai a minha vidinha e o camandro!". Respirei fundo, finalmente, quando arrastaram mámen para a boca de cena. Sim, porque depois do mesmo ter respirado de alívio por ver que me tinham calhado na rifa as figurinhas tristes a mim, depressa se consciencializou que ele também iria dar o corpo às balas. Uma dupla quadripolar completamente tramada!
Calhou-nos o "Hamlet" que depressa se tornou numa "Omelete" tal o banzé que fizemos em cima do palco. A ele cabia-lhe correr de um lado para o outro do palco feito maluquinho e a mim fazer de Ofélia. 
E os actores a gozar o prato lá me indicaram que a minha deixa era dar um grito à Ofélia, uma coisa assim a atirar para o excitadex. 
E de repente, apagaram-se as luzes, deixei de ver os meus amigos nas primeiras filas a curtirem o panorama, um foco de luz recaiu sobre mim, uma coisa assim meio a solo e pensei: "Que se foda! Assim com'assim ninguém me conhece! E se eles me ofeliazaram, então eu quadripolarizo-os". 
E chegou a vez da minha deixa. 

E... não gritei mas estive- acho que estive- quadripolarmente à altura:


_______________________________________________________________________



Subir ao palco do Teatro Tivoli na peça de teatro mais mítica de sempre


Quem? As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos
Onde? Teatro Tivoli BBVA, Lisboa
Contacto: Pelo telefone 21 315 1050
Saber mais? http://www.teatrotivolibbva.pt/

3 comentários:

Alexx M. disse...

E eu estava lá para ver ao vivo o palco do Tivoli ser quadripolarizado :)
Mas convenhamos, também ajudou muito aquele coro de vozes desafinadas do 1.º Balcão a gritar "Oh Hamlet deixa-te de merdas..." :P

Maria das Palavras disse...

Hahahaha! Eu disse que era coisinha para se ebardalharem a rir. E as primeiras filas já são perigosas sem combinações, portanto tu estavas mesmo a puxar problemas :D

Eu lá fui no Domingo. Arrastei moço, pais e irmãs para o shakeaspearinizar. E ri-me como se fosse a primeira vez.

:)

Maria das Palavras

cantinho disse...

ahahah!
"Que se foda! Assim com'assim ninguém me conhece! E se eles me ofeliazaram, então eu quadripolarizo-os".

Gostaria de ter visto.
Pena que essas peças não cheguem ao norte.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...