domingo, 28 de junho de 2015

Morreu a matriarca da Pediatria Portuguesa



O texto é da Anabela Reis, leitora do Quadripolaridades e uma das pessoas a quem a Professora Maria de Lurdes Levy inspirou. E porque nas notícias ninguém fez menção ao desaparecimento duma das mulheres que maior contributo deu à Pediatria deste país, à humanização dos hospitais, ao avanço dos cuidados de saúde básicos de que hoje usufrui a minha filha e todas as outras crianças portuguesas, aqui o reproduzo em jeito de homenagem póstuma e sentida, com um beijinho especial à Ginha, sua irmã e à Catarina, sobrinha-neta e minha amiga do coração. Eu não poderia escrever melhor.


"Ontem, Portugal perdeu uma das mulheres mais importantes na área da pediatria. Uma das primeiras mulheres a formar-se em medicina no nosso pais, que se destacou em áreas ainda desconhecidas na altura e que lançou em Portugal a problemática da humanização... Levou os direitos da criança para o hospital, onde na altura os pais podiam "ver" os seus filhos através de um vidro que dava para a enfermaria. Assistiu a todos os avanços na frente da batalha. Deu-nos a conhecer a Carta da Criança Hospitalizada, que defendia com unhas e dentes e que fez questão de apresentar, até conseguir, a todos os estudantes de medicina. 
O seu maior receio era que tudo o que se tinha alcançado em tantos anos de trabalho se perdesse nesta nova visão economicista da saúde e a sua maior revolta era com aqueles que agora, numa atitude altruísta e "moderna" se recusavam a usufruir de todos os avanços conseguidos... (Optar não vacinar uma criança era imperdoável, depois de tudo o que se trabalhou.)
Mulher de convicções, determinada, decidida, teimosa, apaixonada pelas causas, humilde, honesta, mas sobretudo humana... Foi ela que me transmitiu tudo o que sei sobre a história da pediatria em Portugal, foi ela que me ensinou a importância da lealdade, foi ela que sempre valorizou o meu trabalho e que não se cansava de me incentivar a mudar, a não estagnar o meu conhecimento. Dizia ela que o conhecimento tem de se alimentar... E que há pessoas que temem que ele cresça... 
Companheira de muitas viagens, até internacionais, muitos cursos intensivos sobre história, direitos e pediatria, lecionados em esplanadas e nos intervalos de congressos. 

Hoje, a "menina da professora" está triste por não se ter despedido, por não estar próximo e lhe poder fazer a merecida homenagem. Mas está convicta que todo o seu esforço valeu a pena, que a sua determinação ficou nas pessoas que seguem agora a defesa dos direitos da criança no hospital.

Agradeço todos os ensinamentos que me deu e, principalmente, o incentivo de toda uma vida... Porque afinal "dos fracos não reza a história"... E temos de lutar por tudo aquilo em que acreditamos.

Obrigada Professora Maria de Lourdes Levy!"

1 comentário:

pandora disse...

Foi minha pediatra, dos meus irmãos e sobrinhos. Só não foi dos meus filhos, pois já tinha passado a pasta... no meu caso à sobrinha, que ainda me acompanha. Fico muito triste. As individualidades da Rodrigo da Fonseca foram-se todas... A Matilde Rosa Araújo (doce e serena) e a Dra. Levy (sempre afoita e assertiva).
Obrigada pela homenagem. Mais do que merecida.
(não estranho o silêncio nas notícias... normalmente fala-se mais dos patriarcas do que das matriarcas... infelizmente).
Um beijinho
Lia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...