terça-feira, 21 de julho de 2015

O melhor presente de aniversário: o comboio

Ele esperou que chegássemos a casa já de madrugada, depois do jantar em família, depois da Ana ficar a dormir na casa da avó e depois do copo com os amigos.
Sentámo-nos no sofá a olhar para a parede onde já mora a moldura com o presente da Ana  e as malas já preparadas para dali a umas horas, de partida para as primeiras férias do ano.
Ele levantou-se e foi à rua. Voltou com um saco de plástico amarrotado e um sorriso triste e terno. A avó tinha ido buscar o menino no final do dia, com os 40 cêntimos na mão para lhe pagar. Ele recusou de forma decidida e ela pediu-lhe 10 minutos, o tempo para ir a casa num instante. Rogou-lhe que esperasse e ele esperou. Ela voltou, neto por uma mão, saco amarrotado noutra: "é para a sua menina e, por favor, aceite, professor. Fico triste se o professor não aceitar". O menino sorriu (e o menino raramente sorri) e acrescentou: "é o meu comboio mas não faz mal, eu já sou crescido, já não brinco com ele, professor!". Ele sabia que não podia recusar.
Contou-me este diálogo, baixinho, na noite em que celebrei 35 anos, no sofá que é dos dois e eu chorei a olhar para o comboio, eléctrico e antigo, que agora é nosso porque ela pediu por favor, porque ela insistiu, porque ele já não brinca com ele e, especialmente, porque ao oferecer-nos, ele sorriu. E ele raramente sorri.
Guardei o comboio em cima do roupeiro como se guardavam os presentes especiais quando eu era menina, longe dos olhares das crianças, longe da tentação das mãos ávidas de brincar, londe de quem os pudesse estragar. Um dia entregá-lo-ei à Ana, não para ela brincar mas embrulhado nesta história como memória do que é a partilha, o altruísmo e a generosidade. E, por fim, a gratidão.
Que é a minha, reforçada naquela noite em que celebrei 35 anos.

7 comentários:

Papoila disse...

Aqui estou de lágrimas nos olhos. partilha, generosidade e a gratidão.

Rafinha disse...

Não há como ler isto de olhos secos, pois não?

mariana disse...

<3

K disse...

Também eu estou toda lamechas. São histórias destas que fazem a diferença! Um beijinho gigante!

Malu disse...

4 Euros? Então não eram 40 cêntimos?

Pólo Norte disse...

Malu,

40 cêntimos. Corrigido (enganei-me neste texto).

Obrigada pela correcção. Verdade reposta. :)

Lullaby disse...

caramba <3

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...