sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Verão

[Tomar pequeno almoço no jardim mais secreto da linha. Ver a Ana a andar de escorrega e a apanhar penas de pavões com a alegria do Verão. Espreguiçar-me de manhã, devagarinho, sem pressas. Comer restos de gelatina azul e salames até nos rirmos de tão enjoados que estamos. Praia ao fim da tarde, a areia a esfriar, o sol baixinho, a Ana a fazer fossos, eu a brincar com as suas forminhas com a desculpa de que estou a brincar com ela. Ele a escolher um filme à noite, só para nós. Enroscarmo-nos no sofá e eu adormecer três vezes durante o filme, ele sempre atento. irmos para a cama arrastados pelo avançar das horas. Correr em contra-relógio até Sete-Rios para despachar uma encomenda para o Bairro do Amor em Portalegre. Almoçar no Station com uma amiga querida e deliciar-me com novos sabores, a frescura de um chá, a doçura de uma sobremesa inesperada. Cais-sodré com uma vista de cortar a respiração. Trabalhar na associação. Desabafar no meu facebook de que teremos que excluir inscritos para um campo de férias muito especial porque a verba é limitada a 15. Ficariam 6 de fora. De repente, uma mensagem, um aviso sonoro no telemóvel. dois, três, dezenas. Pedidos de NIB. De repente, o Filipe, administrativo na associação, ligar-me a dar conta das contas. E a fazer-me pontos de situação regulares. Gente que me manda mensagens a dizer que paga uma vaga inteira. Gente que me manda mensagens a dizer que tem um orçamento curto mas que contribui com os 5 euros que lhe sobra. Gente que doa o valor do seu presente de aniversário para proporcionar uma semana de férias a quem precisa mesmo de férias. Amigos que se voluntariam para empurrar cadeiras de rodas. Amigos que activam a sua network para proporcionar uma semana inesquecível a 22 pessoas. Serão 22: graças às pessoas que me conheceram através deste blog.  Em menos de 36 horas todo o dinheiro em falta angariado. Sinto-me abençoada. Não são as vénias, as palavras bonitas ou as palmadinhas nas costas que servem de combustível ao meu impulso para avançar (eu avanço sempre, sou uma inconsequente): são as acções concretizadas, as palavras sentidas, as emoções partilhadas. O poder e a força de cada um e do todo que somos. É Verão. Mergulhos na piscina. Almoçamos com um amigo que oferece um vestido da Elsa à Ana. Deixamos a Ana andar todo o dia vestida de princesa pela cidade. Cada vez menos nos importa a opinião dos outros, os que comentam por comentar, sem adicionar nem, sem fazerem melhor, sem avançarem. O tempo é escasso para ser gasto nas coisas erradas. Mais praia. Sol na alma, nos ossos, nos olhos. Ao fbm da tarde, Bebo um gin tónico com o homem que me escolheu , numa esplanada da cidade. Brindamos ao amor. Chegamos a casa sempre cansados. Queijo e vinho. Arranjar o vidro do telemóvel. Falar do cancro com humor. Receber um telefonema maravilhoso. Deliciar-me com as fotografias "A mãe decide" continuadas pelas mães de Marvão. Aguardar boas notícias. Acreditar que elas virão. A Ana a acordar-me de manhã, sem pressas. A adormecer no meu colo à noite, sem demoras. Todos os dias. Confirmar uma aula de surf adaptado para o campo de férias. Ansiar pelo dia em que iremos assistir a alguém a ver, pela primeira vez, o mar. Agosto em meia lua. Mas a certeza que acabaremos o mês com a lua cheia. Cheia, cheia, a abarrotar, de amor. 
E de salame, que as sobras do aniversário nunca mais têm fim.  ]

2 comentários:

osmimosdamae disse...

Parabéns! Pela tua forma de ser e de te entregares.
Estranhamente, e apesar de não te conhecer fico orgulhosa.
Por ti, pelo teu bom coração, e por te ler!
Beijinho e boas férias.

Ana disse...

E assim a vida vivida no dia a dia pode ser poesia :) [e é assim que o mundo pula e avança, com pessoas que não vivem como se outro não existisse... Obrigada, em nome do mundo, que tu e os que te rodeiam tornam melhor]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...