sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Este corpinho já não é o que era


                          

E não, não falo da barriga padrão estrio-tigresse que nenhum óleo de amêndoas doces foi capaz de salvar, do rabo que foi usado como evidência genética para o meu pai conseguir a nacionalidade brasileira, dos cabrões dos cabelos brancos que escolhem sempre o cocuruto e o alto da pinha para terem erecções (há alguma explicação para os cabelos brancos serem mais fortes e mais espetados, senhores?). das mamas...- bem, na verdade, as mamas continuam iguais- prosseguindo, não falo da carcaça que já teve melhores dias: é o recheio que já deu o que tinha a dar.
Uma pessoa passa a primeira, a segunda e a quadragésima infância em hospitais. Uma pessoa come com vírus e bactérias hospitalares, leva com micróbios e protozoários e mais fungos de enfermarias, salas de cirurgia, salas de recobro, S.O.s e piscinas de reabilitação, uma pessoa mama com estas pastilhas todas e a par disso, ainda tem a sorte de assistir ao "Era uma vez uma vida" e convence-se que, sim senhora, ficou imune a toda a bicheza, cheia de super poderes imunológicos e segue a sua vidinha, feliz e contente.

Uma pessoa chega aos 35 anos cheia de moral: "ah, a mim não me apanham bichezas!". Gripes? Não sei o que é isso. Dores de garganta? Nunca tive. Otites? Desconheço. Uma pessoa é tão chique que quando algum bicho lhe pega não é um bicho caloiro, não é cá um micróbiozito que se contenta com uma reles infecção urinária. Aqui só pega micróbio veterano que não faz nada mais nada menos que uma pielonefrite. A ser, é-se atacado com dignidade, nada de doenças mixurucas. Por aqui tiram-se vesículas por laporoscopia, diagnosticam-se colites nervosas.
E uma pessoa habitua-se a isto. A vê-los fungar com alergias, a vê-los com falta de ar, a vê-los com lenços de papel a assoar-se, a tossir, os coitados tossem tanto, espirrar e ficarem a morrer com febre. E uma pessoa imuno-sobranceira sorri com ar imuno-altivo e imuno-prepotente, como só ela sabe ser.
E depois? Depois isto. 35 anos depois-  escrevo por extenso: trinta e cinco anos depois- a pessoa sai do trabalho uma sexta à noite e tem arrepios de frio. Olecas, que vem a ser isto? E uma pessoa chega a casa e tem febre. Febre, imagine-se. Não só tem febre como fica prostradíssima. Uma pessoa vai para a cama e pensa "ah, amanhã quando acordar já passou!". Mas não, uma pessoa passa a noite a tossir tanto que teme ter que ir apanhar os pulmões cuspidos e projectados contra a parede do quarto. Uma pessoa percebe que consegue, inclusivé, fazer uma sinfonia com as tossidelas, uma espécie de STOMP com gosma e espectoração.  E uma pessoa percebe que tudo lhe dói no corpinho- outrora- de sereia. Tudo. Até a vesícula que já faleceu vai para seis anos, paz à sua alma.
Uma pessoa está UMA semana inteira a falecer mas pensa: "Ah, isto vai passar!", "Credo, vou lá ao médico queixar-me de uma cena corriqueira e pouco exclusiva? Vou ao médico queixar-me de febre e de tosse como o comum dos mortais? Nem pensar!" Mas uma pessoa começa a ficar com falta de ar e aí, sim senhora, aí já parece uma doença digna e de elite, uma coisa como deve de ser, nada de doenças amadoras e dirige-se ao hospital, onde não espera nada menos que uma pneumonia.
Uma pessoa regressa a casa. Diagnóstico: gripe.
Uma pessoa está em crise há dois dias com esta notícia. Já não bastava a barriga estrio-tigresse, do rabo brasileiro com zica, dos cabelos brancos pervertidos, uma pessoa, aos trinta e cinco anos de idade, descobre que tem um sistema imunológico igual ao comum dos mortais. 
Juro que neste momento, os bonequinhos do meu sistema imunitário estão a suicidar-se de vergonha.
E eu a morrer de gripe. 

5 comentários:

Vânia Neves disse...

Querida Polo, estou contigo! É que não me lembro de ficar prostrada da maneira que fiquei este mês (pelo menos não desde que operei os adenóides).
Uma semana INTEIRINHA de febre que não baixa dos 39,5. Nem brufen, nem ben-u-ron, nem porra nenhuma: NADA. Umas dores horrorosas nas pernas, na cabeça e nojolhinhos e a tossir os pulmões. Banhos tépidos não baixavam mais que 0,4ºC. Já passaram duas semanas do contágio e só a tosse permanece mas vá..já me visto sozinha ò catano. Parece que não será da idade: os 28 não podem pesar assim tanto! (podem?) Parece que anda aí um surto de H1N1..As melhoras Pólo! ;)

Sandra Ramos disse...

Epá espera até aos 37... :-) Mais um filho, um cão, um gato e mais outro cão em gestação... LOL... Brincadeira...
A gripe já passa e quando se for fica-se logo nova outra vez :-)
Beijinhos, chazinhos (blurk) e drunfos

Assinado: Sandra

Sandra Ramos disse...

Epá espera até aos 37... :-) Mais um filho, um cão, um gato e mais outro cão em gestação... LOL... Brincadeira...
A gripe já passa e quando se for fica-se logo nova outra vez :-)
Beijinhos, chazinhos (blurk) e drunfos

Assinado: Sandra

Sandra Ramos disse...

Epá espera até aos 37... :-) Mais um filho, um cão, um gato e mais outro cão em gestação... LOL... Brincadeira...
A gripe já passa e quando se for fica-se logo nova outra vez :-)
Beijinhos, chazinhos (blurk) e drunfos

Assinado: Sandra

Filipe disse...

Isso é fígado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...