sexta-feira, 29 de abril de 2016

A boca da Ana é um túmulo. Com eco.

Ana: "Mãe, não vais receber nenhum presente do dia da Mãe. Ne-nhum!"

Eu: "Oh filha. A sério? Não fizeste nadinha na escola para mim? Nadinha?

Ana: "Não, mãe. Na-di-nha. Não vais receber nada" (pausa) "Estás a ver aquela caneca que eu pintei com o desenho da Ana e da mãe e pus brilhantes na tua camisola e depois vou oferecer? Sabes?"

(olho-a com ar de "apanhei-te!")

Ana: "... Que é que foi? É para o dia do Pai!"

1 comentário:

AL disse...

Oh pá a minha é boa no disfarce.

mãe: ela anda a ensaiar canções
pai: ai é?
ela: mãe, não sejas batoteira não te vou contar nada
mãe: nem desenhos?
ela: nem desenhos
mãe: nem músicas?
ela: nem músicas
mãe: então?
ela: posso ir comer um chupa? não te vou contar nada

E não, o chupa não era moeda de troca...
Às vezes preocupa-me que leve a peito isto de guardar segredos...da mãe...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...