terça-feira, 17 de maio de 2016

Vamos fazer-lhes a cama!



Neste momento está a acontecer uma coisa maravilhosa no Bairro do Amor. Temos um objectivo semestral comum: conseguir humanizar o espaço de uma instituição de acolhimento do Porto. 

Para isso vamos precisar de tintas (que a querida CIN tão gentilmente nos ofereceu com a intervenção da nossa vizinha Rosa Santos), camas e colchões (que já comprámos com o contributo de muitos vizinhos particulares a preço de custo à Colchãonet), almofadas (que estão a ser costuradas por um grupo de costureiras amadoras voluntárias do Bairro do Amor), tapetes de trapilho (que estão a ser tricotados em workshops de trapilho em Lisboa e no Porto por um conjunto de "vizinhas" empenhadas e generosas), candeeiros (magistralmente angariados pela vizinha Ana Santos),  ilustrações (doadas por cerca de 40 talentosos ilustradores voluntários) dentro de molduras (cujo valor de compra angariámos com as receitas das vendas da primeira banca do Bairro do Amor na Feira Sem Regras de Coimbra). 

Será uma espécie de "O Bairro mudou a casa" com muito trabalho voluntário na acção de humanização em si (a querida Marta Tex comandará as tropas nas pinturas e irá uma trupe de Lisboa para trabalhos a Norte) e na angariação de matérias primas e materiais, no fabrico de artigos e, nesta fase, na organização de acções que permitam a angariação de receitas para a compra do principal artigo que está em falta: as camas. 

As camas são muito importantes para nós. Estas meninas dormem em camas dos anos 70, algumas em maus estado, outras sem estrados e nós gostaríamos de lhes dar a oportunidade de dormirem em camas novas. A estrear. 

Ora, o valor total das camas (35) com a qualidade que é necessária para uma instituição que não se pode dar ao luxo de trocar de camas de 5 em 5 anos é alto. E agora voltamos ao início: neste momento está a acontecer uma coisa maravilhosa no Bairro do Amor. Vizinhos, amigos e simpatizantes de Norte a Sul do país uniram-se nesta tarefa comum.


No Porto, a noite da Francesinha Solidária rendeu 8 camas. Foi uma noite é-pi-ca sob a batuta da madrinha Marta Pereira e com um conjunto de voluntários como não há memória (obrigada a todos, do fundo do coração!). Servimos cerca de duas centenas de francesinhas e fiquei com a certeza que este é o projecto com que me identifico, esta é a filosofia e a forma de actuar em que me revejo. Haverá, ainda, uma sessão fotográfica solidária no próximo domingo, na Quinta da Bonjóia e um workshop de trapilho (de participação gratuita porque precisamos de mão de obra para fabricar os tapetes que nos faltam) na Invicta em breve: fiquem atentos!

Em Coimbra, a madrinha Neuza e a vizinha Daniela Braz comandaram uma pequena tropa e fizeram magia na Feira Sem Regras, que nos permitiu comprar todas as molduras onde estarão expostas as ilustrações que nos estão a chegar até ao final deste mês. Têm, ainda na manga, a próxima feira sem regras (primeiro sábado de Junho) e uma aula de zumba solidária com o objectivo de angariar uma cama. Gentes de Coimbra: estejam alerta!

Em Santarém, a presença na Feira de Artesanato de Benavente com uma banca solidária do Bairro e com o pregão da vizinha Clarisse Castanheiro rendeu 2 camas. E foi maravilhosa a energia que se sentiu no último sábado!

Em Lisboa, já se fabricou a primeira remessa de tapetes de trapilho num workshop ministrado pela Patrícia Alves e foi uma manhã de festa a dar às agulhas! No próximo sábado teremos um peddy- paper entre o Castelo e o Campo das Cebolas e a madrinha Raquel Lourenço ainda está a magicar mais ideias. Juntem-se, alfacinhas!

Em Leiria, mais concretamente nas Caldas, a querida madrinha Lurdes Amador organizou uma prova de karting solidária e tem sido uma ajuda fabulosa na gestão de fornecedores. Obrigada, Lurdinhas!

Depois? Depois há uma série de gente boa que se quis juntar e trabalhar connosco neste objectivo. Dezenas de artesãos enviaram artigos seus para serem vendidos nas bancas solidárias, pessoas habilidosas enviaram trabalhos e a minha querida Ana da Tell me a Store enviou vários artigos da loja para serem vendidos por nós; muitos comerciantes de bens alimentares doaram matéria prima para a francesinha solidária e muitas pequena marcas online que quiserem patrocinar os prémios do peddy paper (obrigada a todos!)

A querida Sara Sousa Ferreira da Fio a Pavio criou a pulseira do vizinho e as vendas estão a superar as nossas expectativas! Vai render camas!

E há as pessoas. Uma a uma a quererem mudar o Mundo. Por exemplo, a Vera Garcês mudou de país e ante de abandonar Moçambique organizou um jantar de despedida cujos convidados se juntaram para lhe oferecer um presente de adeus: o valor de uma cama.  A minha grande amiga Sandra Alves está a organizar uma acção interna junto dos colegas da Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa cujo objectivo é angariar outra cama. A Sandra Ramos, da Babyblue, uma das pessoas mais generosas que conheço, ofereceu o valor de outra cama. E a R2-Brand Nutrition não quis deixar de, mais uma vez, mostrar o seu lado solidário e avançou com o valor de outra cama. 

Neste momento, temos dezenas de pessoas a dispararem cartas para os seus colegas de empresa a convidarem-nos a juntarem-se para angariarem uma cama em equipa. Dezenas de pessoas a tentarem junto das suas equipas, colegas e grupo de amigos arranjarem forma de conseguir que esta imagem aí de cima fique cheia de almofadas em forma de corações em cima de cada uma das camas.

Se me perguntarem o que é o Bairro do Amor eu digo: é isto. Não é uma associação, não é uma instituição: serão sempre, mas sempre, as pessoas. Unidas em prol de um objectivo comum: mudar pequenos mundos. 

Obrigada a todos! Sou feliz por morar aqui. 

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...