sábado, 21 de janeiro de 2017

Toda a publicidade do Mundo



A campanha da Nacional tem família reais. Famílias com uma diversidade enorme. Mas esta é a minha família preferida. 
A Nacional poderia ter-se valido na história do menino de cadeira de rodas que, por acaso, pratica desporto, corre corta-matos de cadeira de rodas, pratica canoagem, ajuda nas tarefas domésticas e faz tudo, tudo, tudo. 
A Nacional preferiu contar, simplesmente, a história da família tal como ela é: uma família de afectos com uma relação de profundo respeito e amor. Uma relação ímpar. 
A cadeira de rodas aparece lá. Não pode deixar de aparecer porque faz parte do dia-a-dia. Mas aparece tal como ela é: secundária e colorida. Com um pára-raios com um bruto smile. 
Mas esta não é a história da cadeira de rodas do menino. É a história de amor entre a mãe Ana e o filho Gui. 
A Nacional faz jus ao seu slogan de sempre: o que é Nacional é bom. 


[Todos os filmes: aqui.]

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...