quarta-feira, 21 de junho de 2017

Vamos lá fazer narrativas de dona de casa para ver se todos entendem

Resultado de imagem para caos na cozinha



Imaginem que têm um jantar aí em casa. 
Os vossos convivas chegam mais cedo e não arredam pé da cozinha com o pretexto de vos ajudarem. Abrem armários, gritam a perguntar onde está isto, onde está aquilo, põem ingredientes em cima da bancada que, entretanto, são substituídos por outros ingredientes sugeridos por outro convidado com boa vontade. Ao ver a confusão que vai na cozinha, os cônjuges desses convidados que até estavam na sala juntam-se ao grupo- com o propósito de ajudarem- e falam mais alto, uns por cima dos outros, tropeçam e dão encontrões uns aos outros, porque a cozinha é pequena para tanta gente, porque tu estavas com tudo organizado e planeado na tua cabeça e só querias tirar o rolo de carne do saco do talho e espetá-lo num pirex no forno, mas depois alguém- com a melhor das vontades- percebeu no meio da confusão que tu querias fazer peixe e pediu ao respectivo cônjuge que tirasse o peixe do frigorífico, até era salmão mas ele disse "peixe" e, por causa disso, outro conviva- com a melhor das intenções- achou por bem ir adiantando um molhinho à espanhola, peixe a esta altura só pode ser sardinha ou carapau já se vê, e continuam a abrir-te os armários- onde está o sal? arranjas-me uma travessa para a salada de pimentos? ai está tanto calor, porque é que este forno está ligado se o jantar são carapaus assados na grelha? por falar nisso onde meteste o grelhador? há carvão?- alguém põe a mesa, olhas e não percebes porque estão talheres de peixe na mesa, aquela não era a toalha de mesa que querias- onde a terão desencantado eles?-  vais ao forno ver do rolo de carne, está cru, desligaram o forno, olhas para o lado e vês salmão grelhado e molho à espanhola, armários todos desarrumados, gente aborrecida e cansada de tanto gritar e tropeçar uns nos outros e tu só querias ter colocado o rolo de carne no forno e ter jantado sossegada com os teus convidados. 

Sim, é real: existe excesso de voluntarismo.
E muito ajuda quem não atrapalha. 

1 comentário:

Ana Filipa Matos Silva Oliveira disse...

Pronto, sinto-me menos preguiçosa, quando me encosto a ver a minha anfitriã a cozinhar! Afinal, só estou a dar-lhe liberdade para trabalhar e a não querer atrapalhar. :-)
Vê por o lado positivo: não tiveste que contractar uma empresa de animação para entreter os convidados. ;-)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...