quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Uma aventura na IKEA (Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada: botem os olhos nisto!)



Uma pessoa está em desmame de medicação fortíssima. 
Uma pessoa tem como efeitos secundários da medicação prisão de ventre. 
Uma pessoa tem como efeitos secundários do desmame da medicação a libertação desenfreada de ventre. 
Uma pessoa precisa de ir comprar umas coisas à IKEA. 
No meio do labirinto da IKEA o ventre duma pessoa decide começar a ter um espasmo, uma mistura de samba e wrestling. 
Uma pessoa grita ao marido "Já venho, toma aí conta da miúda", atira o carrinho pelos ares e começa a fazer marcha até ao wc que fica nos confins da IKEA. 
Uma pessoa repara que a filha de uma pessoa decidiu segui-la porque também está "com vontade de fazer xixi" . 
Uma pessoa começa a correr mas a filha de uma pessoa não a acompanha, o que faz uma pessoa ter que abrandar o passo e ter medo de se finar escatologicamente. 
Uma pessoa começa a surtar, pega na filha ao colo, espeta-na ao colo na anca e regressa ao treino de marcha. 
Uma pessoa avista a casa de banho. 
Uma pessoa irrompe a casa de banho aflitivamente. 
Uma pessoa pousa a criança e começa a desapertar o próprio cinto à velocidade da luz. 
Uma pessoa ouve uma vozinha "Mas mãe, eu preciso primeiro de fazer xixi"
Uma pessoa respira fundo, limpa o suor da testa e começa a ajudar a filha de uma pessoa a despachar-se. 
A filha de uma pessoa começa, muito lentamente, a cortar pelo picotado quadradinhos de papel higiénico e a forrar o tampo da sanita com toda a calma e precisão do Mundo para "se sentar sem tocar na tampa, mamã!". 
Uma pessoa começa a perceber que o seu ventre está a dançar a rumba e que provavelmente está prestes a dar-se uma tragédia. 
Uma pessoa continua a observar a filha de uma pessoa a forrar de papel higiénico meticulosamente a tampa da sanita. 
Uma pessoa lembra-se do Mr. Ben a embrulhar presentes naquela cena do "Love Actually". 
Uma pessoa grita "tu por amor de Deus despacha-te, Ana*!"
Uma pessoa ouve a filha "shhhhhhh"
Uma pessoa começa a controlar a respiração e a filha interrompe o "shhh" para fazer uma pergunta parva. 
Uma pessoa grita em surdina para não se ouvida em toda a casa de banho da IKEA "Faz xixi depressa já imediatamente!"
Uma pessoa vislumbra o fim do "shhhh"e pensa que tem que falar ao pediatra da capacidade tétrica de retenção de urina da bexiga da filha da pessoa.
Uma pessoa limpa a filha de uma pessoa e - finalmente!- consegue aliviar-se. 
Uma pessoa ouve uma vozinha "Preciso de oxigééénio!"
Uma pessoa abre os olhos e "shhhuttt! cala-te!"
Uma pessoa continua a ouvir "Cheira muito mal, mamã! Já disse que preciso de oxigénio!"
Uma pessoa ainda está a articular uma resposta quando dá pela filha da pessoa a abrir violentamente a porta do seu cubículo da casa de banho, deixando uma pessoa de ceroulas pelos joelhos sentada no real trono à vista de todas as utilizadoras da dita casa de banho. 
Uma pessoa agarra na filha de uma pessoa pelo cachaço e puxa-a para dentro, fechando a porta. 
Uma pessoa ouve risadas silenciadas do lado de fora da portinhola. 
Uma pessoa volta a ouvir numa voz flautada "Ó mãe, porque é que tens a sanita toda suja?!"
Uma pessoa atira um "Shuuut, não se diz isso, pá!"
Uma pessoa ouve de resposta " Ó mãe, porque é que tens a sanita toda limpa?"
Uma pessoa revira os olhos e manda a criatura calar-se, por favor. 
Uma pessoa volta ouvir a ladaínha "Mas eu preciso de respirar! Socooorro! Preciso de oxigénio!"
Uma pessoa acaba o serviço e vai para se limpar convenientemente. 
Uma pessoa dá conta que a filha de uma pessoa gastou todo o papel higiénico a forrar a sanita para fazer xixi. 
Uma pessoa pede à filha que vá à cabine sanitária do lado buscar papel higiénico. 
Uma pessoa fica outra vez na montra de toda a casa de banho, sentada e de ceroulas pelos joelhos, à custa da filha escancarar a porta toda para ir buscar papel higiénico à cabine do lado. 
A filha de uma pessoa regressa... com um quadrado de papel higiénico. 
Uma pessoa pondera suicidar-se com o fio do autoclismo quando percebe que o autoclismo está dentro da parede. 
Uma pessoa pede à filha que volte para buscar mais papel higiénico. 
A filha de uma pessoa suspira "ainda bem, assim respiro outra vez!"
Uma pessoa volta a arregalar os olhos. 
A filha de uma pessoa volta com mais dois quadradinhos rasgados meticulosamente pelo picotado de papel higiénico. 
Uma pessoa percebe, nas trezentas vezes, em que já ficou exposta de cuecas a tira colo à vista de todas as pessoas que frequentam a casa de banho, que há uma empregada de limpezas no espaço partilhado.
Uma pessoa instrui a filha de uma pessoa a pedir papel higiénico à empregada de limpezas. 
A filha de uma pessoa sai da cabine da casa de banho muito assertivamente. 
Uma pessoa ouve: "Olá, a minha mãe está toda borrada ali dentro, podia-nos arranjar papel higiénico?"
Uma pessoa pensa que se não morrer ali de vergonha, nunca mais morrerá. 
Uma pessoa vê a filha de uma pessoa entrar, de forma derradeira, com dois rolos de papel higiénico, daqueles industriais, um enfiado em cada pulso, como se fossem pulseiras e com os braços erguidos à laia de Dom Quixote a salvar o Sancho Pança.
Uma pessoa ouve risadinhas. 
Uma pessoa fica quinze minutos fechada dentro do cubículo à espera que saiam todas as eventuais testemunhas de tamanho vexame. 
Uma pessoa sai, finalmente, com a miúda de esguelha, e ouve o marido de uma pessoa na parte de fora da casa de banho a perguntar: "Que raio se passou ali dentro que tem saído toda a gente dali a finar-se a rir?"
Uma pessoa questiona-se porque não se dedicou à vida religiosa e viveu uma vida de clausura sem marido nem filhos. 
Uma pessoa sofre muito. 
Dos nervos. 

[* Nome fictício para efeitos meramente exemplificativos]


22 comentários:

Inês Dunas disse...

Chorei a rir! XD
Opá!!!

Cynthia disse...

Ahahahah, não acredito! Provavelmente, um dos melhores posts de sempre! As vergonhas que os filhos nos fazem passar...

L✨ disse...

O que me ri com o teu maravilhoso relato. Até me vieram as lágrimas aos olhos. Estou grávida e já estou com o medo do que aí vem.
Muito bom mesmo..

Raquel Saleiro disse...

Ai engasguei- me a rir à gargalhada !!

mena disse...

Genial!

Lina Santos disse...

Chorei a rir... mas revi me em alguns aspectos como a minha criatura pequena ainda mal falava e o tá quieto não faz parte do vocabulario dele a porta não trancava portanto tb fiquei em exposição virada pra o hall das wc porque entrei numa wc familiar.e também já se aproveitou de eu estar a fazer o serviço e a wc que estava a funcionar ser a dos deficientes e tb a única com muda fraldas puchar o fio de emergência e aparecer o segurança à porta.Eles são uns queridos...

susana silva disse...

Desculpe mas ri me tanto com a situação que viveu 😂
As crianças são demais 😂

susana silva disse...

Desculpe mas ri me tanto com a situação que viveu 😂
As crianças são demais 😂

CCF disse...

Muito bom:) Mas pensando a sério, uma reclamação ao IKEA também não ficaria nada mal, há que colocar casas de banho mais à mão. Também já sofri por lá do mesmo mal, para além de afugentar qualquer pessoa com um bocadinho de claustrofobia.
~CC~

Claudia Esteves disse...

Acho que nunca me ri tanto com um post! Muito, muito bom.
Parabéns por contares a vida tal como ela é, e não cheia de floreados.
Beijinhos

PB disse...

Que grande merda

Tella disse...

Oh pá, obrigada por me fazer rir e obrigada por seres tão simples, tão nós todas.
#quemnunca

O Maluco do Costume disse...

ANA 1 - QUADRIPOLARIDADES 0
Filha de peixe sabe nadar. Ou achavas que não ias pagar nesta vida o "Bom" feitio... eheheh

Cátia Martins disse...

Socorro estou cheia de lagrimas de tanto rir. As nossas pérolas. Adoro.

MãeMoura disse...

20 estrelas.

República da Bicharada Clínica Veterinária disse...

Eh pa, isto não se faz! Está uma pessoa a finar se a rir no bus saúde com as restantes pessoas, normais, a olha la de esguelha!

J* disse...

Chorar a rir! É o que eu estou! Toda a situação já foi caricata, mas a forma como a descreveu está demais!
https://jusajublog.blogspot.com/

xana maria disse...

Ai meu deus posso mais de tanto rir

Do Outro Lado da Lua disse...

És a maior. Só mesmo tu para pegar num post de M**** e me fazer rir!

Bruno Alexandre disse...

Ah ah ahhhh o que nos rimos no escritório!!! E não houve uma alminha caridosa que dissesse, olha a Ursa, vamos dar-lhe uma mãozinha!!! 😀

Juliana Bonilha disse...

Ahaha! Só pude ler agora, quando todos dormiram! Tive de rir baixinho, mas quanto me ri! ������

Patricia Eloi disse...

Não consigo parar de rir kķk

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...