quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

OS Ryanairalls



Os reino dos Millenials também conhecido por Modernália ou Milénioàtoa é composto por organismos heterotrófos digitais,ou seja, por organismos que não produzem o próprio alimento mas que são muita fortes em fotografá-los.

Trata-se de um reino fabuloso e complexo por apresentar um sem número de filos e espécies espantosas que vai desde os green millenials, os instagrammers aos runners e aos vloggers até que chegamos, finalmente, à espécie mais paradigmática: os ryainairalls.

Os Rayanairalls têm um pensamento nómada e um gosto enorme por viajar sem, no entanto, possuírem características de conta bancária para viajar com a dignidade e - assumamos- o conforto com que acham que merecem, sendo essa uma das principais características do grupo e que os diferencia de outros seres voadores sem asas, como é o caso dos OVNIs.

Os Ryanairalls são classificados em diversos filos, sendo muitos deles animais acéfalos que em pleno ano da graça de 2019 continuam a bater palminhas quando o piloto aterra e outras características semelhantes como a capacidade de se indignarem muito por terem que pagar por uma miniatura de martini a bordo devido ao facto desta não estar incluída no bilhete de dez euros de ida e volta para Bordéus.

Esta capacidade de esperarem ter direito a refeições do José Avillez a bordo bem como de almofadinha e mantinha e filmes e phones para depois gamarem e enfiarem nas malas de mão pelo módico preço de 7,5 euros por bilhete de ida e volta a Málaga só é superada pela fabulosa capacidade em acreditarem no poder mágico de malas que encolhem ("Não, não pode ser! Enfie lá isso bem aí na coisa de medir as malas que eu juro pela minha vizinha ceguinha, ela não veja mais já aqui, que isso tem as medidas certinhas!"  e, ainda mais, em jurarem a pés juntos que o pessoal de check in deveria " vá lá, não pode fechar os olhinhos a esta mala? É que no site dizia 40cm x 20cm x 25cm mas a feira del Relógio de Madrid estava tão boa que trouxe umas camisolas para o meu cão e gato e para o piriquito e não percebo porque me quer cobrar mais e me obriga a mandar esta mala para o porão" não para todos os passageiros com malas oversize, mas para si em particular. 

O Ryainairall viaja contrariado. Está chateado com tudo, basicamente: com o facto de ter que se sentir passageiro de segunda por entrar no terminal 2 do aeroporto de Lisboa, de não haver lojas duty free em barda no mesmo terminal, de ter que andar a pé até ao avião na pista, de não poder levar líquidos na mala de mão (mesmo que essa regra seja para todos, mas, nesta altura, o ryainairall já está com a mania da perseguição!), de ter subir escadas até à porta do avião, dos assentos serem apertados, de não haver lugares marcados, de não haver revistas (mesmo que nunca as leia) nem monitores, dos comissários de bordo ainda usarem Clearasil e das hospedeiras não terem rabos de cavalo perfeitos e estarem cheias de ganipas nos cabelos, da casa de banho não ter Feno de Portugal para se lavar as mãos e, finalmente, de com aquelas tão parcas condições, a companhia aérea não emitir um pedido de desculpas, por quem sois, e face ao privilégio de ter tão distinta espécie a bordo,  não lhes permitirem viajar de borla. 

Os Ryanairalls são criaturas que gostam de ir para a fila da porta de embarque para serem os primeiros a entrar para o avião mesmo que os lugares estejam pré-definidos e escritos nos bilhetes, que não fazem xixi antes de embarcarem e depois gostam de estar de pé na fila para a casa de banho do avião, que gritam da primeira fila para a última "ó amor, passa-me aí a sande mista", que viajam de avião com tanta naturalidade que aproveitam para roer unhas, arranjar sobrancelhas, pentear-se e espremer borbulhas, e que mal o avião aterra e ainda a ouvirem o aviso para permanecerem sentados desatam de imediato os cintos de segurança e fazem uma melodia de clicks, ainda antes, do derradeiro aplauso. 

Os Ryainaralls não deviam ter destino, seja ele Roma ou Manchester porque viajar na Ryainar é A  verdadeira experiência de viagem: regateia-se pesos de malas como numa medina de Marrocos, cobram-lhes por respirarem aos preços do Dubai, são levados a apostar em raspadinhas como se estivessem numa corrida de cavalos de Ascot, a experiência de ir a casas de banho é como se estivessem numa tabanca da Guiné-Bissau e são vendidos perfumes com o expertise com que se faz nas melhores perfumarias de Paris de França.

Os Ryainaralls são uma espécie maravilhosa e merecem tudo de bom que a experiência aérea lhes consiga proporcionar. 

Em particular a corneta da aterragem. 

1 comentário:

Unknown disse...

Muito bom! Sou comissário de bordo na Ryanair e posso confirmar que tudo que aqui foi escrito é a mais pura realidade. Parabéns pelo texto. Está muito bem conseguido.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...