quinta-feira, 17 de junho de 2021

segunda-feira, 14 de junho de 2021

A(na)men!

 "Eu não percebo quem inventou isto das semanas e decidiu cinco dias de escola e só dois de descanso mas se foi Jesus é porque ele não se levantava às oito da manhã para ir para a escola..."

sexta-feira, 11 de junho de 2021

ABC da NATUREZA

 


A Ana ficou com febre ontem à noite, depois de vir da praia com a minha mãe. Dei-lhe paracetamol e fui monitorizando. Hoje de manhã ainda estava murchinha e liberámo-la de ir à escola. Depois de almoço estava melhor e queria sair de casa. Eu tinha que passar no trabalho e parámos na Gulbenkian onde, com todo o tempo do Mundo, acabámos a tarde a apanhar tesouros do chão dos jardins e a construir este abecedário, sob o olhar atento dos patos.

Há beleza, mesmo nos dias febris. Há beleza porque ela nasceu e a vida com ela é sempre, mas sempre, mais bonita. Mais feliz. Melhor.

quinta-feira, 10 de junho de 2021

Olá Chapitô!

Estamos paradas no trânsito ao pé da rotunda do relógio e uma malabarista faz acrobacias em frente ao semáforo, acaba a performance, a Ana abre o vidro da janela e dá-lhe 50 cêntimos que tinha no bolso e de olhos brilhantes declara: 

 - "Esquece, já não quero ser C.E.O! "

sexta-feira, 19 de março de 2021

Feliz dia do Rui

“Shiiiu, mamã! Acorda devagarinho para não o acordarmos.
 Mas são sete da manhã, Ana! Acordaste sozinha? 
Sim, pus o despertador a tocar porque tenho que lhe preparar o pequeno almoço de dia do pai: anda! Pronto, já cá estou na cozinha, orienta-me, Ana! 
Já tenho a água a aquecer na chaleira para o café, alcanças o cacau da prateleira de cima da despensa para fazermos um bolo de caneca? 
Ok, vou adiantando o bolo, estás a ir onde? 
Vou aili meu quarto buscar o postal que fiz com um poema e que escondi debaixo do colchão para ele não descobrir. 
Boa, vai! E traz o bloco de notas que fizeste na escola de prenda do dia do pai: ele vai adorar!
 Já está mãe. 
Ana, o bolo de caneca explodiu um bocadinho, desculpa! 
Não faz mal eu espeto um oito para disfarçar: ele é meu pai há oito anos. Puseste tudo no tabuleiro? Sim, mais alguma coisa, Ana? 
Traz o teu telemóvel para lhe tirarmos uma fotografia a acordar com a minha surpresa. 
Oh Ana, o pai está a dormir com uma t-shirt coçada, não vai ficar bonito. 
Oh mãe, cheira a café e bolo de chocolate e o pai é sempre bonito, está tudo per-fei-to. 
Ok, pronto. 
Bora lá! (Som de estores a subir e uma nesga de sol a dar a luz certa para esta manhã de amor). Feeeeelizz dia do pai! 
Oh, obrigado filha. Que surpresa tão boa! 
Gostaste? 
Gostei. 
Pai? 
Sim? (Segurando-lhe o rosto com as duas mãozinhas) 
Eu amo-te mesmo muito. 
Eu também, loirinha. (
Abraço em silêncio durante muito tempo) 
Bora comer?” 



Tenho o pai mais feliz do dia. Feliz dia, Rui!

segunda-feira, 15 de março de 2021

Até quando?




Sarah Everard estava de regresso a casa à noite em Clapham. Conheço bem a área, toda a minha família inglesa mora ali. Foi raptada e assassinada por um polícia. O único crime que cometeu: ser uma mulher que estava à noite, na rua, a caminho de casa. 
Sempre que ouço alguém que diz que o feminismo é uma doutrina extremista vomito. Sempre que alguém no dia da Mulher vem com whattaboutism sobre quando caralho é o dia do homem e que os homens também são vítimas da sociedade tenho pequenos AIC. Nós nem estamos habituadas a questionarmo-nos sobre algumas das anormalidades que assumimos pelo facto de sermos mulheres. Normalizamo-las mas- caramba!- elas não são normais! 

Não andarmos à rua à noite sozinhas. Não respondermos à letra quando passamos no meio de um grupo de homens que nos vomitam piropos. Não ponderarmos viajar sozinhas para sítios perigosos para mulheres, não apenas sítios perigosos, sítios perigosos para mulheres. Enviarmos SMS com matrículas de táxis quando entramos num, conduzido por um homem, à noite. Mexermos no telemóvel e fingirmos uma chamada quando estamos numa paragem sozinhas e aparece um homem ou quando sentimos passos de um homem atrás de nós numa rua deserta. 

Não devia ser assim. 

Não devíamos ter que enviar mensagens aos nossos pais quando chegamos a algum sítio para dizermos que chegámos em segurança. Nem educarmos as nossas filhas a fazermos o mesmo. Só porque nasceram com um pipi. Só porque os rapazes e os homens não são educados a não intimidarem uma mulher quando estão sozinhos na presença de uma. Só porque os rapazes e os homens não são educados a guardarem as suas opiniões sobre os corpos de uma mulher quando estão na presença de um grupo de amigos. Só porque os rapazes e os homens não são educados a controlar os seus impulsos animalescos sexuais quando estão na presença de uma mulher. Só porque os rapazes e os homens não são educados a controlar a sua força e a questionar o poder que o patriarcado lhes conferiu durante séculos. Só porque os rapazes e os homens não são educados a respeitar de igual para igual qualquer ser humano, independentemente do seu gênero. 

Eles dizem uns aos outros: podia ser a tua mãe, a tua filha, a tua mulher. Muitos deles empatizam. Só que nunca conseguirão estar neste lugar, neste sentir condicionado, neste medo colectivo. 

 A verdade é que nunca poderia ser com eles. 

 Quando é que esta merda acaba? Até quando?

domingo, 24 de janeiro de 2021

Men of the game

 A figura da noite é o do cidadão português de etnia cigana que abordou, educadamente, Marcelo cumprimentando-o e sendo a voz de tantos e tantos de nós.

Obrigada. 

Devemos ser um país pobrezinho em mulheres

 Eu a tentar assistir a um painel político de análise às eleições que não seja constituído apenas por homens brancos.


Ah, espera...

Ana e as eleições 2021


Pode ser uma imagem de comida e texto que diz "Ana entrou comigo para a sala de voto e acompanhou-me detrás do biombo e enquanto olhava muito atenta para a minha caneta a traçar a cruz sussurrou passivo- agressivamente "é muito difícil resistires a não meter um bigodinho e uns chifres ao AVentesma, não é mamã?""


sábado, 16 de janeiro de 2021

#vermelhoembelém

A onda #vermelhoembelem não se trata de esquerda unida contra a direita extremista: trata-se de liberdade contra repressão, feminismo contra masculinidade tóxica, igualdade contra misoginia. 

Trata-se sobretudo de sororidade. Trata-se de democracia contra fascismo. E fascismo nunca mais!

 #contraofachovermelharvermelhar

quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

Aos eleitores...

 ... lembrem-se que os "portugueses de bem" do AVentesma são os mesmos "americanos de bem" que vimos ontem no Capitólio!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

Ode ao mamarracho

“Mãe tenho uma proposta: mantemos a árvore o ano todo. Na primavera enfeitamos com flores, no verão com paus de gelados e frascos com areias das praias, no outono com bolotas e ouriços das castanhas e no inverno assim de Natal”. 

 Oh yeahhh, baby, é para já! #sqn

Feliz ano novo, queridos Quadripolares!




Não fiz linha nem bingo, não consegui comprar as avenidas mais caras e fiquei em banca rota, perdi no vírus e no game of Thrones, perdi-me nas passas com os segundos regressivos e a partir da sexta marchou tudo pela goela abaixo mas vesti o cuecão azul e por isso acredito que isto vai rockar. 

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...