quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Esta coisa do Thanksgiving



Agradeceria à minha mãe em primeiro e último, como se o ciclo fosse todo dentro dela (porque o é). Ao meu pai pelo contributo genético que me deu e que, de quando em vez, muito me dá jeito. Aos meus avós pela sabedoria da humildade, pela bondade, pela generosidade, pelo Minho nas veias, pelo amor sem contrapartidas nem regras. À minha tia pelo amor diferente, materno-fraternal, uma coisa de cromossoma X, de mãe sem exigência, de cumplicidade fraternal. Aos meus tios pela testosterona que o meu pai me privou, pela protecção, pelo sentir de pertença. À minha prima, por existir, não precisa de fazer mais nada, a existência dez anos depois de mim perdoam-lhe tudo, justificam-lhe tudo, dão-lhe charme em tudo. 
Ao Rui pelo plural que me trouxe e do qual não quero abdicar, pela família que somos agora, pela Ana, pelo amor que se escolhe e se deixa ser escolhido. À Ana por fazer com que tudo faça sentido, por ser o meu amor de sempre e para sempre, fechada no ciclo que desenhou em mim. 
Aos amigos, os que partiram e os que ficaram, aos que resistem e os que insistem por darem recheio a tudo isto, que são o tijolo e o cimento desta estrutura maior, isolamento térmico das paredes da minha vida. 
Sempre a pessoas. Porque a minha vida são as pessoas. 
À minha mãe, outra vez, por tudo o que me fez e que me permite ser hoje grata por quem sou e saber agradecer. 
Ao meu pai, outra vez, por tudo o que não me fez e que me permite hoje ser grata por quem me tornei e, por isso, ter necessidade de a tantos agradecer. 
Ao Rui e à Ana, amores da minha vida. 



[Tanta merda que copiam, halloweens e coisos e isto que até é bonito assobiam para o lado. Ide cagar à mata, pá!]

3 comentários:

Aranhiça disse...

VCUC

ana disse...

[concordo]

ccstylebook disse...

Gosto tanto de ti! Sei lá... Identifico-me. Acontece-me com imensa frequência. Penso uma coisa e tu... escreves. O "Thanksgiving" é daquelas cenas que devia mesmo ser plagiado à brava. Damos muito pouco graças por tudo o que temos. "Dar graças" é tão booomm. Eu dou graças por muitas coisas. E por haver gente como tu. A escrever. E a fazer. És uma fazedora. Das mais valentes. Graças a Deus! :P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...