sexta-feira, 29 de maio de 2020

Ontem à noite, a seguir ao jantar, para efeitos de digestão bebi chá de Gordon's

Sou só eu que quando fico alcoolizada fico com cócegas na parte de dentro do buço e dos lábios?

Agradecida.

Misérias da minha vida

Obrigarem-me a fazer a narração de powerpoints, sendo que eu sou uma pessoa com voz de garrafão mal lavado.

Tenho uma amiga

... que foi convidada para dar formação online no âmbito de uma prestigiada instituição. Penteou-se decentemente, pôs um baton e escolheu um fundo que não o da estante, para fugir aos clichés. 

Tinha tudo para dar certo não fosse a puta da caneta BIC ter rebentado um minuto depois da formação começar, ficar com a mão toda cagada de tinta, com o stress começar a limpar a mão à camisola, dar-lhe uma comichão da bochecha e coçar e dar alegremente todo o resto da formação com manchas de tinta em toda a tromba. 

Suspeito que não me a voltam a convidar.

terça-feira, 26 de maio de 2020

É para verem a fé que estes canastrões têm em mim

Eu: a pessoa que informa no facebook que descobriu uma app de troca de casas durante as férias e cujos amigos mandam links complementares via mp de mais apps de trocas de CASAIS durante as férias.


Tá bonito.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

"Uma pessoa compreende o Mundo, pouco a pouco, e depois morre"




“Uma pessoa compreende o Mundo, pouco a pouco, e depois morre” - in “as velas ardem até ao fim”. 
 Nos últimos meses aprendi tanto, cresci tanto, aprendi tanto sobre mim e sobre o Mundo, abriram-se tantas luzes, desfizeram-se tantos nós. Tem sido um processo tranquilo e sereno ao contrário de todas as outras vezes em que cresci à força, puxada por episódios marcantes específicos: a separação dos meus pais, a morte dos meus avós, o nascimento de Ana, a morte do meu tio. 

 Desta vez é diferente, é de dentro que o crescimento vem, não é nada externo, consigo projectar-me,pensar mais fundo como quem inspira, sentir melhor. 

 Faço quarenta anos dentro de dois meses, o equador da vida e já não me sinto a envelhecer, como se fosse uma coisa pesada e fatídica, sinto-me só finalmente a crescer sem ser à bruta, à força, com estaladas da vida e abanões do destino. Crescer como cresce uma planta já depois de ter caule e folhas e flores, crescer para os lados, tornar-me mais robusta e forte, melhor. Uma pessoa compreende o Mundo, pouco a pouco. Pouco a pouco, é mesmo assim. Para compreender tudo bem. Tudo certo e melhor.

 E depois poder, enfim, morrer como quem (se) apaga (n)uma estrela.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...