quarta-feira, 30 de março de 2011

sábado, 26 de março de 2011

Que trouxeste da Feira da Ladra, Pólo Norte?




Trouxe da Feira da Ladra uma mala de cartão e um pé lixado.

Se alguém souber de um papel para se representar a Linda de Suza, mas em versão coxa, é recomendar-me, sff!

Todos juntos: ohhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

God save Filipa and Pedro!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Barbie, Ken e o amor real


Leio que o Ken comemora 50 anos ao lado da Barbie.
Sou pelos amores que resistem ao desgaste do tempo, à gravidade dos corpos, à rotina, às tricas do dia-a-dia, à falta de paciência, às profissões que engolem a maior parte das horas do dia, à dor dos pés por terem estado enfiados em sapatos apertados, à comida encomendada porque não há pachorra para se cozinhar, às tpm's, às crises de meia-idade, às atracções por outras pessoas, às descobertas que não se quer descobrir no outro, às negociações, aos devaneios, aos desacordos, ao assumir que a paixão não se compadece com o amor maduro, aos planos desfeitos, aos planos reajustados, aos novos planos.
Sou pelos amores reais.
Porque, se até a Barbie se apaixonou por um surfista australiano chamado Blaine, quebra-se o mito das relações perfeitas. A perfeição está na realidade, na superação dos motivos que a podem fazer desgastar-se. Na resiliência de se querer continuar quando a maioria das pessoas desistiria. Porque é mais fácil recomeçar, na expectativa de uma estrada nova, alcatrão por estrear, que voltar a um caminho já trilhado e com reconhecidos obstáculos.
Não gosto de histórias de amor. Prefiro amor com histórias.
Sou pelos amores reais.


terça-feira, 22 de março de 2011

O Mundo divide-se entre... # 24

... as pessoas que durante a infância chupavam erva azeda e as pessoas que nunca o fizeram.

Não há outro amor mais lindo

Prima: Credo, o teu cabelo está péssimo! Isso é castanho quê?
Pólo Norte: "Castanho cor de burro quando foge". Nem me digas nada...
Prima (a bater mais na ceguinha): Isso é um castanho mesmo indefinido. É que não é loiro nem é assumidamente castanho.
Pólo Norte: Já viste a minha cruz? Quero dizer às pessoas a nova cor do meu cabelo e nem tenho adjectivos para o classificar...
Mãe (metendo-se na conversa): Mas qual é a dificuldade?! Não se vê que é "castanho-menopausa"?

Como sabes que precisas URGENTEMENTE de férias?

Obrigada, Ana Varela!

domingo, 20 de março de 2011

Parafraseando Homer Simpson: "D'oh!"

Reunião com a equipa de arquitectos e pergunto a dois deles onde se conheceram.
Respondem-me o nome de um determinado colégio, que reconheço.

Pólo Norte: Ah, que engraçado, namorei com o Francisco xpto que também era aluno lá...
Arquitecto 1 (virando-se para o outro): Ah, sim conheço. Que engraçado! Sabes quem é? É o Francisco que comprou casa da Penha Longa, sabes?
Pólo Norte (metendo-se na conversa) : Bolas, devia ter continuado a namorar com ele...
Arquitecto 2: Não estou a ver, pá!
Arquitecto 1: O gajo que tem o Audi cabrio, não sabes?
Pólo Norte: Não continues a dar pormenores, ok? Devia era ter casado com ele...
Arquitecto 2: Ah, já sei: o médico?
Pólo Norte: Alto e pára o baile: o Francisco tirou medicina?
Arquitecto 1: Sim, é cirurgião plástico, não sabias?
Pólo Norte: D'ooooohhh! Passem-me aí um x-acto, se faz favor!

sábado, 19 de março de 2011

O pai, o homem e a lua

Hoje é dia do Pai e diz-se que a lua parece maior. Curioso como a visão que tenho do meu pai é como a lua: foi tendo fases. 
Quando era pequena, o meu pai era uma lua cheia. Ensinou-me a vencer a timidez, a não ter medo, a ser imprevisível. Mostrou-me o calor do colo e o quão alto eu podia ascender, a começar pela altura dos seus ombros, sempre que me empoleirava às suas cavalitas. Fazia-me rir com cócegas sem fim e disputava comigo concursos de quem comia mais batatas fritas. Fazia "magia" com chocolates da Nestlé que caiam do céu e foi o meu Pai Natal até aos 8 anos, quando os meninos da escola primária já gozavam comigo por eu acreditar na mítica figura. Era o melhor pai do meu Mundo e isso tornava-me mais forte, mais completa: a filha do meu pai. 
Depois partiu, num dia de Setembro, tal quarto-crescente. Durante anos não o vi e a lua- outrora cheia- foi esvaziando, progressivamente, as memórias boas. O som das gargalhas em uníssono foi esquecido. O cheiro do seu rosto barbeado foi sendo confundido com outros odores. Os dias em que me carregava às costas enquanto nadava na ria de Aveiro foram sendo apagados, ao mesmo tempo que as fotografias foram ganhando pó, por ninguém querer sequer tocar nelas. A memória tratou de seleccionar os episódios e o tempo foi somando dias e dias à minha existência como orfã de um pai vivo. 
Dez anos de ausência e o meu pai era como o quarto-minguante. Uma figura cada vez mais imaginada, menos real. Cada vez mais vazia de sentido e significado. De emoção. De amor?
Foi preciso crescer para aceitar o meu pai. Não para compreender, não para o conhecer mas para o aceitar. Talvez tenha seguido Psicologia com o verdadeiro desejo que pudesse chegar este dia. O dia em que consigo ver o meu pai  com a distância do tempo passado, das feridas cicatrizadas, da racionalidade: como um homem. 
Sim, hoje é apenas um homem. Lua nova de pai. 

sexta-feira, 18 de março de 2011

O Mundo divide-se entre... # 23

... as pessoas que dizem encarnado e as pessoas que dizem vermelho.

Update: Morte sangrenta e sádica ao Paulo Coelho

Depois disto nada podia falhar: lábios em condições e cabelo remediado. Pois que se atrasa e manda-me um sms que demora mais 15 minutos. Já fora do escritório, decido ir "fazer tempo". Para onde? Para a famosa farmácia do bairro, pois está claro.
Entro e encontro a "partner"da minha empresa. Fico encabulada e peço os produtos à pressa e entredentes.
Ele chega e vamos beber um copo de vinho, Lisboa a nossos pés. Um barulho infernal, porque afinal a esplanada recatada é cenário de um evento de design. Um flop.
Oferece-me um leque espanhol encarnado às bolas pretas, que comprou na sua última viagem. Acabamos por conversar, rir, pensar alto. Despedimo-nos com uma sensação boa. Saio do carro dele, agora sim, tudo perfeito. Mas... espera!

Quando chego a casa dou pela falta do saco da farmácia.

(Num instante ficará a saber que previno eczema capilar com Nizoral. Que estou mais magra, não porque tenha um ADN fabuloso mas porque mamo as benditas cápsulas de C.L.A. Que comprei uma nova pinça com um foco de luz. E, infelizmente, outras coisas que tais...)

quarta-feira, 16 de março de 2011

O mundo divide-se entre... # 22

... as pessoas que no Preparatório escolhiam Têxteis e as pessoas que escolhiam Madeiras nas aulas de Trabalhos Manuais.

sexta-feira, 11 de março de 2011

BILF 2011: as reacções


Pólo Norte: "O Tolan não deve ser velho, gordo nem careca!"

Image and video hosting by TinyPic

Tolan: "Não acho nada de relevante esta coisa dos BILFS... Vejam lá bem que nem sequer estava a acompanhar as votações !"



Pipoco: "Não ganhei mas.. who cares? O bom mesmo é saber que não sou velho, gordo nem careca. Pfff."


Pedro (We'll always have Paris): "Não estou chateado. Estou só triste, pá, que eu sou sensível!"



Menino da Mamã: "Para a próxima, faço como aqueles artistas lá do Chile e mino o concurso." 



Alcides: " Se é suposto reagir, eu reajo..."



Eu e o meu ego: "BILF? Ahn?"


Hugo Gonçalves: "O jornal "i" nunca falou sobre os BILFS. Que raios vem a ser isso?"



Pulha Garcia: "Não posso comentar porque já passou a única vez que me verão a falar sobre BILFS"

Image and video hosting by TinyPic


"Mak, o Mau: Há quem passe ao lado de uma grande carreira como BILF. No meu caso, passei mesmo rente a ela." 


Acatar: " Esta reacção demorou dois segundos a ser expressa".




Patife: "Não fui nomeado, dão-me um título de BILF honorário, olha nunca mais leio o Quadripolaridades. Pronto, nem nunca mais leio blogs. Nem nunca mais quero computadores!"




Texto da Pólo Norte e GIFS com o alto patrocínio da fabulosa Miss Murder. Um bem-haja!

Morte ao Paulo Coelho e puta que pariu o Universo

Convidou-me para um café a semana passada. Anuí e, na véspera do encontro, tive um febrão daqueles de caixão para a cova. Mas nada me demoveria, iria doente na mesma, tanto fazia excepto... se no dia seguinte o Universo não me tivesse presenteado com um herpes labial jeitoso, lábios que pareciam ter levado botox mas em versão nojenta. Uma beleza!
Adiei o café uma semana (o herpes demora a cicatrizar) e ontem era o dia. Arranquei a crosta anteontem (imagem deliciosa, han?) com muito jeitinho, hidratante que chegasse e a preocupação com as beiças foi tal que quando me olhei ao espelho vi que as raízes do cabelo já denotavam um aspecto barraqueiro e vai de adiar o café por mais um dia. 
Hoje tirei o dia: lábios novamente deliciosos, cabeleireiro e manicura agendada, nada poderia falhar. 
Tenho a dizer que há duas horas atrás Pólo Norte era loira. Há duas horas atrás o livro de reclamações do cabeleireiro estava em branco. Há duas horas atrás tinha um café agendado para as seis da tarde. 
 "Quando você quer alguma coisa, todo o Universo conspira para que você realize seu desejo"?
Paulo Coelho: vai para o caralho! 

BILF 2011: o resultado


domingo, 6 de março de 2011

O mundo divide-se entre... # 21

Os Portugueses que ainda acreditam na redenção do Festival da Eurovisão e os que já se deixaram disso.


sexta-feira, 4 de março de 2011

quinta-feira, 3 de março de 2011

quarta-feira, 2 de março de 2011

Qual é a possibilidade...

... de estarem num bar de vestido, ficarem com uma malha na collant, decidirem ir à casa-de-banho, retirarem a collant e as cuecas virem juntas, atirarem as ditas cujas dentro daqueles receptáculos de pensos higiénicos que não se conseguem abrir e só depois de voltarem ao bar, já sentadinhas, darem pela falta das putas das cuecas?


Resposta: a possibilidade é remota. Mas existe.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...