quinta-feira, 29 de setembro de 2011

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Como instrumentalizar uma desgraça e torná-la motivo de charme? Pólo Norte responde.

Pólo Norte chega muuuuito despenteada a um compromisso.

Primeira pessoa: "Beeeemmmm, veio de mota, foi? Não me diga que tem uma vespa da moda?! Tem todo o estilo para isso..."
Pólo Norte sorri.

Segunda pessoa: "Não, pá! Tem cara é de ter vindo de descapotável com a capota aberta, não vês?!"
Pólo Norte sorri.


(Cabrão do elevador do vidro do carro. Tinha que avariar logo hoje...)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

O reverso da medalha: análise SWOT de se ter uma terra

Forças:
Já posso dizer que tenho uma terra.

Fraquezas:
Há a festa.
A festa implica música pimba todas as noites transmitida em holofotes espalhados por todos os postes de electricidade das ruas.
Os postes não são propensos a fenómenos de electrocussão.
Quando não há música a ecoar ("ora zumba na caneca, ora na caneca zumba") há o terço transmitido. O terço é uma reza cantada por senhoras que pertencem a um coiro e que têm como pré-requisito de entrada a posse de vozes muito agudas.Os postes abanam ligeiramente (juro que eu vi!) quando as senhoras se entusiasmam na reza.
As senhoras não são propensas a electrocussão.
Há cheiro de fritos por todo o perímetro da festa. São várias as roulottes de churros.
As pessoas compram mesmo óculos tamanho XXL e cenas fluorescentes e luminosas para enfiar na marmita aos senhores indianos só com o pretexto de ser engraçado porque é típico das festas.
As mulheres continuam a surrar-se noutras mulheres enquanto dançam e os bêbedos dançam sozinhos no recinto cheio de luzes.
Ninguém é propenso a fenómenos de electrocussão.
Cheira-me que os meus impostos servem para pagar isto.
Tenho vontade de ser electrocutada.

Ameaças:
Daqui a 25 anos a Nossa Senhora do Cabo volta a ser pretexto de festa na minha terra.

Oportunidades:
A emigração é um fenómeno social. E a imigração.
Se molhar os dedos e colocar no topo de um carrinho de choque barulhento e luminoso sou capaz de ficar electrocutada.
(Ao menos, sofre-se tudo de uma vez...)

sábado, 24 de setembro de 2011

"Eu não sou burra, eu sou distraída, tá?"

Sabes que estás a trabalhar demasiadas horas seguidas e a sair tarde demais do trabalho quando vais ao drive in do Burger King e pedes um "menu PVP" (preço de venda ao público).

O mundo divide-se... # 43

Entre os adeptos do FCP e os outros.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Update da festa desta que já não é desterrada


"Tira o carro, põe o carro à hora que eu quiser..."

Depois uma 'ssoa chega a casa, liga o computador e cá vai disto...

Desconsolo: definição

O coachee é giro que se farta. Tem umas pestanas grandes e uns olhos castanhos mel. Um tom de voz rouco, o timbre certo. Deentes imaculados, alinhados, sorriso perfeito. E quando lhe pedes que escreva numa folha, entre outras coisas, um verbo que o descreva ali consta a palavra "smail".

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Et voilá...

A terra da Pólo Norte

Uma pessoas adormece, convicta como todas as noites da sua existência, de que não tem "terra"
No dia seguinte acorda e vê a sua rua a ser enfeitada. Luzes e colunas de som penduradas nos postes. Faixas a atravessarem os fios de electricidade das ruas. Música pimba a ecoar. 
Uma pessoas esfrega os olhos como se estivesse a acordar de um sonho. Vai à padaria e ouve as vizinhas falarem da "festa". Que, finalmente, chegou a "festa". 
A propósito disto, uma pessoa fica histérica: queres ver que tenho terra e ninguém me tinha avisado? 
Uma pessoa espera pela noite e vai fazer reconhecimento de área: há um palco montado, há roulottes de comes e bebes, há carrinhos de choque e carrocéis, há barraquinhas de rifas, há prémios que saem nas rifas e uma pessoa volta a oferecer à quermesse, há uma santa mais nossa que só nos visita de muitos em muitos anos, há bêbedos a dançar sozinhos agarrados às minis, há (maioritariamente) mulheres a dançar com outras mulheres, há crianças a segurar balões, há algodão doce, há esposas a irem buscar pelo braço os maridos bêbedos à festa, há procissões de velas, há a expressão "vais à festa" como se de repente a "festa" fosse uma terra per si e há o cheiro a fritos das farturas.
Há a convicção de que se andou a vida toda enganada. Tipo como quando foi da história da Heidi, lembram-se?  A certeza de que, afinal, Cascais também pode ser uma terra. Sem enchidos nem azeite armazenado em garrafões de cinco litros. Mas ao som dos clássicos Ténis Bar
Isto lá se pode introduzir assim na dinâmica de uma vila sem aviso prévio? Eu ia morrendo do coração, pá! Que isto de, afinal, se ter terra é coisa para dar cabo do auto-conceito de uma pessoa. Agora que tenho terra, eu ainda continuarei a ser eu?


domingo, 18 de setembro de 2011

Para todos aqueles que estão a pensar visitar o Museu Magritte

Se forem ao Museu Magritte e se se começarem a deslumbrar com as citações do pintor que se encontram espalhadas pelas paredes, se ficarem frustrados por não as poderem fotografar, se decidirem sacar de um papelinho e de uma caneta e começarem a passá-las desenfreadamente e, no meio disto tudo, se irritarem face à possibilidade de estarem a perder algum dos quadros à custa deste disparate, não desesperem!
Há uns guias de oferta com as citações todinhas em escaparates nas escadas para não terem que fazer figura de... ursa! :s




Let's have a ride?


(Beijinho acelerado à querida Ana!)

sábado, 17 de setembro de 2011

Sai um Fígado em vinha de alhos!

A noite acabou com a minha boca a saber a papel de música. 
Não sei se é dos trinta ou da privação involuntária da vesícula mas assumo que já não tenho vida para a má vida.
E custa. 

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

"Eu é mais númbaros"

Toda a gente se recorda da minha gaffe com a língua alemã, com os problemas que tive no domínio do castelhano, pelo que em nome da verdade, há que assumir aqui que da única vez que pinei com um francês e em pleno orgasmo o tipo exclamou "Putain", estou certa que a minha tradução literal comprometeu não só a possibilidade de um segundo round como quase que aposto gerou problemas futuros ao nível do desempenho do monsieur. 

Cuidado: este blog tem problemas de género

A verdade é que quer eu quer o Mr. Prezado percebemos tanto de Francês como da melhor técnica para a apanha da amora sem "fucking lixarmos" os braços todos com os picos.
Daí que no novo header conste "une blog" e não "un blog". Foi erro: erro de ignorância. Podia armar-me em boa e inventar aqui uma teoria que este é um blog de gaja, que quis armar-me em diferente, que o blog é meu e escrevo como me apetece e que por isso colocámos "une": mas não é o caso. Foi erro.
Em breve repomos a concordância de genéro, ça va bien?!

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...