segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O mundo divide-se entre... # 3

... as pessoas que no Facebook jogam "FarmVille" e as que jogam "Mafia Wars" . E as outras.

domingo, 22 de novembro de 2009

Sobre o concerto do Pedro Abrunhosa sexta-feira no Olga Cadaval...

... eu era aquela que sacou de uma máscara para se proteger da Gripe A e a deu, sem hesitações, ao senhor cantor!

Não fosse o Diabo tecê-las.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

[No dia em que me morreste]

[No dia em que me morreste o sol ficou menor.
No dia em que me morreste ficou noite na minha alma e todas as luzinhas com que acendias o meu sorriso fundiram-se numa escuridão sem fim.
No dia em que me morreste odiei-te por teres desistido de viver. Achava que controlavas tudo: os dias, as noites, porque não a porcaria da natureza?!
Tu que sempre tinhas tornado as pedras menos rijas, tu que me seguravas nas cavalitas com a mesma facilidade com que me ensinaste a soprar dentes de leão, tu que esmigalhavas o peixe com as batatas e as regavas com azeite para tudo me saber melhor, tu que me tinhas ensinado a não desistir, como o poderias ter feito?
No dia que me morreste percebi que nunca mais podia reclamar do teu repertório repetido de anedotas. Nem que te poderia espalhar creme na pele escamada do frio nem arrancar os pêlos das sobrancelhas que de vez em quando se lembravam de crescer desalmadamente. De te dar beijos nas bochechas cheirosas. Ajeitar-te os óculos no nariz torto. Roubar-te a boina só para te ver resmungar.
No dia em que me morreste percebi que o dia do pai tinha acabado de vez e já não o podias reinventar para mim.
No dia em que me morreste amputaram-me a alma O mundo ficou orfão de ti e eu fiquei orfã do Mundo. Morreste-me e contigo morreu a minha infância e a menina que havia em mim.
No dia em que me morreste, morreu o Verão em mim.
No dia em que me morreste, chorei tanto como nunca: chorei até ao céu.
Tenho saudades tuas, 'vô. ]

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

O mundo divide-se entre... # 2

... as pessoas que têm o layout do blog com fundo branco e as que têm o layout do blog com fundo preto. E as outras.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

A LER | Foi em Novembro que partiste


O livro do meu amigo Hugo, autor do blog que gostaria de ter sido eu a escrever, chega este mês às livrarias. Estou orgulhosa. E feliz.






Ler um livro escrito por um grunho-dandy


O quê? "Foi em Novembro que partiste"
Onde? Nas livrarias deste país

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...