sábado, 29 de junho de 2013

quarta-feira, 26 de junho de 2013

A festa da Ana- desenvolvimentos e chamada aos sempre fiéis quadripolares de serviço

É esta a sinopse da grande festa do ano:


Eu tenho um blog. Este blog. E esta é a razão principal que dá origem a esta festa. O meu blog nem sequer é um blog temático. É um blog de non sense, onde digo umas larachas e que foi acumulando um número considerável de visitas. Para ser mais precisa, cerca de 4 milhões desde que foi criado. Mas eu nem dei por isso, juro! 

Mas o rumo do blog melhorou no último ano. E melhorou porque fui mãe. E ser mãe muda um bocadinho as coisas na nossa vida. Fui mãe da Ana, que comemorará o seu primeiro aniversário no próximo dia 09 de Agosto. 

Quando estava grávida cruzei-me, numa cama de hospital com a mãe da Bia. A Bia tem leucemia e precisava de um dador compatível e entrou-me, pelo quarto de hospital por engano, fitou-me, olhou-me para a barriga, e no alto dos seus quatro anos, perguntou-me: "Tens um mano na barriga?".
A mãe da Bia esperava que o seu irmão nascesse, para que ele pudesse ser o código PIN da Bia. Não foi. 

 Então lancei no meu blog uma campanha para sensbilizar as grávidas a doarem as células do cordão umbilical dos seus recém-nascidos para o banco público numa campanha chamada, precisamente, "Tenho um mano na barriga". Afinal, qualquer um dos nossos bebés poderia fazer a vez do mano da Bia. 

E depois os leitores deste blog  organizaram em cada sede de Distrito de Portugal uma recolha de prováveis dadores de medula óssea. Acumulámos mais de 500 possíveis novos dadores. 

 Entretanto, soubemos do caso do Rodrigo a quem o IPO mandou para casa para morrer, também com uma leucemia. Sem esperança nenhuma. E juntámos-nos, sete amigas, num evento solidário e angariámos 301 novos inscritos como dadores de medula óssea. Num só dia. 

 O Rodrigo morreu. Mas, neste quase ano completo, angariámos mais de 801 novos dadores possíveis de serem o código PIN de uma criança ou de um adulto, que poderia ser da minha família. Ou da vossa. 

Não tenho pretensões de ser a Madre Teresa de Calcutá. Nem sequer sou o tipo de pessoa boazinha e caridosa. Mas tenho um blog e uma filha. E tenho que fazer a minha parte para fazer do Mundo um lugar um bocadinho melhor .E a obrigação de incutir à miúda o espírito de responsabilidade social. Porque isso não é só tarefa das empresas com ISOs e normas de certificação de qualidade que a atestam. É responsabilidade de cada um de nós. 

 O Rodrigo morreu, e nenhuma criança deveria morrer. Então pensei: a miúda vai fazer um ano. Nesse dia, procuraremos celebrar intimamente com a nossa família e amigos próximos. Mas... 

Mas eu gostava de marcar esta efeméride de forma inesquecível. Então, voltei a pensar: no dia 10 de Agosto, sábado, vamos organizar a primeira festa de aniversário solidária da blogosfera. 

Estamos a negociar que o acontecimento se dê num espaço fabuloso e doado por uma marca (vamos fechar o sítio esta semana), pedimos o patrocínio de 9 maravilhosas cake designers que se quiseram associar à causa e irão fabricar o mais solidário comboio de bolos para oferecermos uma fatia a quem se quiser juntar à festa, pessoas da área da decoração de eventos irão tratar disso pro-bono, dez amantes da costura confeccionam, neste momento, bandeirolas para enfeitarem a festa, alguns leitores do blog colocaram o seu network à disposição da causa e já temos animação garantida com um DJ, palhaços, gente que irá fazer pinturas faciais, modelagem de balões, escoteiros (tumbas!) a ensinar a fazer nós, autores de livros infantis a contarem ao vivo os seus contos, músicos, educadores de infância para ajudarem a dinamizar jogos com os meninos que forem à festa e acreditamos que ainda aí virá mais

Afinal, só lançamos a ideia do evento há, precisamente, 2 semanas. Em troca, peço uma prenda para a Ana: a inscrição de cada um (ou que tragam um amigo que ainda não esteja inscrito) como dador de medula óssea. Ou, caso já o tenham feito, a doação de sangue. É que em Agosto, com o período de férias, as reservas esgotam-se e são mais precisas que nunca! 

Do Norte virá um autocarro de quadripolares que se organizou para comparecer ao evento, virá uma quadripolar de Bragança de propósito, uma da Madeira, uma de Coimbra, outra de Ponte de Lima e uma do Luxemburgo, do Algarve meninas que não se conhecem mas lêem o blog farão um car sharing, todas inspiradas a inscreverem-se como dadoras de medula óssea na festa da Ana. 

Neste momento, temos cerca de 500 pessoas previstas confirmadas! 

Porque precisamos da ajuda de todos?

  • Porque esta campanha se enquadra num espírito de afectividade. Não é de afectos que esta festa está a ser feita? 
  • Porque é uma história real. 
  • Porque cada participante incorpora o valor da responsabilidade social (a da dádiva de sangue e de inscrição no banco de possíveis dadores de medula). 
  • Porque em Agosto está tudo de férias e os bancos de sangue ficam com poucas reservas e seria uma forma de sensibilizar as pessoas (esqueci-me de dizer que vai haver também espaço para a doação de sangue). 
  • Porque eu só tenho um blog e, apenas com um blog, organizar um evento desta envergadura é mesmo possível. E isso, acho eu, é inspirador. 
  • Porque isto é completamente o espírito quadripolar. 
Como é que as marcas, que assim entenderem, podem ajudar?
  • Com contributos em género para o lanche, pois nunca esperámos que a adesão fosse tão grande  e não queremos que ninguém passe fome na festa.
  • Com contributos de matéria-prima (pacotes de farinha, leite, açúcar, ovos, etc.) para ajudar as dez maravilhosas cake designers que se associaram à festa poderem confeccionar o combolo mais giro de que há memória.
  • Com contributos de logística (mesas, cadeiras, poufs, sombrinhas, tendas, guardanapos, loiça de plástico e tudo o que faz falta numa festa de aniversário). 
O que eu dou em troca? 

 Bem, lá está, eu sou só uma rapariga que tem um blog.

Posso pedir aos muitos dos leitores deste blog  que nos visitarem neste dia, falem do que gostarem na festa no FB e nas redes sociais. E nos blogs. Não apenas nesse dia mas durante todo este tempo em que andamos a preparar, de forma dinâmica e num espírito comunitário de entre-ajuda, a V. oferta.

E também vos posso dar em troca a certeza que eu faria o mesmo por vocês, pessoas que me estão a ler. Que inspiraria toda a gente que se cruza no meu caminho para ser dador de medula, caso precisassem duma. Ou por alguém da vossa família.

 Eu não sou boazinha, acho que já vos disse. Só quero cumprir a humanidade que me coube na rifa.

Posso contar convosco?

(ideias, contactos, oferendas, votos de parabéns para a miúda no próprio dia em maegyver@sapo.pt)

(acompanhem os preparativos da festa aqui)

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Facebook for dummies ou análise projectiva de perfis de facebook *

Perfil sem fotografia/Fotografia de outra coisa que não tu- És feio/ estás gorda/ és obcecado com a privacidade

Perfil com fotografia de há 20 anos atrás- Envelheceste mal/ estás gorda/ficaste careca/ estás em negação com a tua idade

Perfil com fotografia com o mais que tudo- Estás pateticamente apaixonado/ queres meter pirraça aos teus ex/ tens um namorado ciumento e queres acalmá-lo/queres dar imagem de perfect couple/foste a um casamento e por acaso calhou que o fotógrafo vos tirou uma fotografia mesmo gira

Perfil com fotografia com filho(s)- Estás com baby blues/pariste há pouco tempo e precisas de afirmar a tua maternidade/queres que toda a gente perceba que "a minha filha é mais bonita que a tua, toooomem!"

Perfil com fotografia só do filho- Estás com baby blues/Pariste há pouco tempo/Estás a deixar que a maternidade se sobreponha à tua existência como ser individual

Perfil com fotografia num spot turístico/em viagem/em férias- Regressaste da viagem de lua-de-mel há pouco tempo/ ainda recebes subsídio de férias/ queres provocar raivinha de dentes com uma atitude "olhem para mim de férias e vocês aí agarrados ao facebook no local de trabalho!"/ tens saudades do tempo em que recebias subsídio de férias que agora o mais que podes é montar tenda no Parque de Campismo de Monte Gordo

Perfil com fotografia dos pés na areia com o mar ao fundo- Estacionaste em 2005 e ninguém te tira daí

Perfil com fotografia de feto numa ecografia/ de mulher lado com barriga de grávida e mão em cima da pança- Estás cheia de hormonas

Perfil com fotografia de uma parte do corpo (por exemplo olho)- És feio mas tiveste a sorte de nascer com uma cor de olhos bonita

Perfil com fotografia vestida de noiva ou com o respectivo marido, ambos vestidos de noivos- Casaste há menos de seis meses e estás em lua-de-mel psicológica/ Não te mascaraste de princesa em criança e o vestido de noiva no dia do casamento foi a tua vingança

Perfil com fotografia com um grupo de amigos em que para te encontrar lá no meio faz-se um exercício tipo "Onde está o Wally"- És adolescente/Andas no primeiro ano da universidade/És feio

Perfil com fotografia de costas- Tens um bom cabelo e o resto não é assim tão bom/Tens um bom rabo/ Tens um bom corpo mas a cara não é grande espingarda/És feio/ és obcecada com a privacidade

Perfil com fotografia com traje de universidade- És caloiro/És finalista e fizeste a benção das pastas ou queima das fitas o mês passado/és da tuna

Perfil com fotografia que representa uma causa- Tens uma causa por defender

Composição de fotografias- Tens um iPhone/ és maluquinho do Istangram/Tens um smart phone qualquer e apeteceu-te brincar

Todas outras excepções que não sejam colocar uma fotografia de rosto bem visível- És feio

Não tens facebook- Ainda lavas roupa no tanque/És amish



(*qualquer excepção que não esteja presente na presente análise é pura coincidência)

quinta-feira, 20 de junho de 2013

A quadripolarização mais coerente de todos os tempos


"Apanhei-o na casa de banho pública a lavar os dentes
fiquei 20 minutos à espera
 esteve 20 minutos a lavar os dentes.
Mas ei-lo"

Mariana Camargo: eu amo-te!

terça-feira, 18 de junho de 2013

My name is Forrest. Forrest Gump.

Depois deste que foi um dos posts mais divertidos deste estaminé, de anos com muitas suposições, palpites, desconfianças, confesso que nem sei como não se fez apostas no betwin acerca do primeiro nome da autora deste blog. 

Pois que já me chamaram de tudo: Tânia, Ruth, Sofia, Rita, Mónica, Filipa, Cátia e até mãe da Ana. 

Mas chegou o dia de me apresentar e de acabar com o grande mistério deste blog. 

O meu nome é Liliana.*
Muito gosto. 



(* Sim, é um nome pelintra. Sim, precede o Ruth. Sim, um dia conto-vos a história. Mas é o meu e nem vale a pena chatearem-me com isso, que eu vivo com ele há quase 33 anos e- imagine-se!- até gosto. Assim, ao jeito de Liliana Márise, ok fofuchos?)

domingo, 16 de junho de 2013

Só por causa das tosses: Bulgária!


"A Bulgária acabou de ser quadripolarizada por Cátia, Cecília, Daniela, Ana e Áurea numa louca aventura por Sofia. O resultado foi este, mesmo em frente a Alexander Nevsky Cathedral, Sofia Agradecemos desde já ao Mc Donald's pelo patrocínio do livro (obtido no belo do Happy Meal com desconto!) Extremamente felizes estamos por contribuirmos para tão nobre causa!"

Meninas, a ursa love all of you!


Registo dos bastidores:




Chile. Não a praça. Chile mesmo.




Gracias, Sara mais linda.

Chile quadripolarizado? Checked. 




Sim, sou bimba but I don't care!

Párem de me chamar a atenção para o facto de ser uma pirosona e ter usado aliança de namoro. A reter:

    • Foi comprada há duas vidas atrás, antes de casar, antes de separar, antes de recasar, antes de ter uma filha e antes de pesar mais de 50 Kg e de ter mais que 20 anos
    • Foi comprada na extinta "Boutique do Ouro" do Continente, o que faz dela uma peça vintage
    • Foi comprada com dinheiro de mesada
    • Na altura, jovens, belos e imbérbes, tivemos que juntar uns trocos não comendo na cantina da escola para a comprar
    • Dentro do género, é discreta e gira
    • Tem valor emocional, sentimental e cómico
    • Tem uma percentagem de 0,000001% de ouro
Posto isto, não a vou deitar fora, ok?


Agradecida. 

(Em defesa da minha honra: nunca usei daqueles porta-chaves com pele de rabo de animal, para que saibam.)

Quadripolarização "coltoral", tumbas!


Quadripolarização de Kosice- 2ª cidade maior da Eslováquia- Capital Europeia da cultura 2013. 

Obrigada, Alima!


sábado, 15 de junho de 2013

O Mundo divide-se entre...

... as pessoas que usaram ou ainda usam Pink Lotion e as outras.

Olharam para mim de lado e eu espetei-lhes com o argumento vintage. Tomem e embrulhem!

Uma dizia que tirava a maquilhagem com não sei quê da Clinique.

A outra com mais não sei quê da L'Oreal.

Eu disse a verdade: tiro com Pink Lotion.






E instalou-se um silêncio profundo... (graças a Deus que hoje estou com dores de cabeça)

Absolutamente fabulosa

Segundo dia de piscina, no banco de reserva com as outras mães. Pais na piscina com as crias. 

Pólo Norte- Como é que vocês conseguem estar tão frescas logo pela manhâ? Acordam maquilhadas ou quê?

Mãe 1 (cabelo todo arranjado, unhas impecáveis, ar fresco que dói) - Ah, o meu acorda todos os dias às sete da manhâ, depois dorme uma sestinha antes de virmos para a natação e dá para eu dar um jeito à cara...

Mãe 2- Ah, não faça género. Também está maquilhada...

Pólo Norte- Sim, sim, mas isso é porque me esqueci mesmo de tirar a maquilhagem antes de adormecer...






quarta-feira, 12 de junho de 2013

A boina do meu avô no 59 para Chelas

Vinha à minha frente no autocarro. Sentei-me, sem prestar atenção e, quando levantei a cabeça, dei de caras com a boina. Castanha, quadriculada, muitos diriam que ribatejana. Para mim: a boina do meu avô. 
A psicologia explica com o efeito de halo e o Diabo a quatro. A mim, continua-me a maravilhar que sempre que me cruzo com uma criança estrábica, como a Joana- a minha melhor amiga da primária- sorria, de imediato, com uma ternura pueril que a idade já não me permite. O mesmo se passa quando vejo uma senhora de carrapito, melhor ainda se tiver aquela rede a prendê-la como a menina Maria, avó da minha vizinha Cláudia. Para mim, qualquer carrapito tem sempre o cheiro a doce de tomate, o mesmo que comíamos às colheradas na mesa castanha da cozinha da minha vizinha.
Novamente ali à frente, o meu avô naquele banco, respiro devagarinho como que a prolongar aqueles segundos de reencontro, o cheiro a pedra cortada na serração do meu avô, o macio do mármore, o som dos amendoins a estalarem-lhe na boca, a vida num sorriso imperfeito quando ali gargalhava. Ali, com o rosto bronzeado do sol do trabalho assente naquela boina. 
E hoje, passados cinco anos de me ter morrido, encontrei, no 59 para Chelas, memórias num turbilhão, à distância de um sopro, de um estender de mãos. E não fiquei triste.
Porque talvez seja isto que substitui a dor lancinante, estes pequenos reencontros, estes avivares de memória em coisas banais, do dia-a-dia, sem necessidade de datas ou efemérides a pontuarem.
Hoje o meu avô viveu ali. Naquela boina, num fim de tarde, dentro do 59 para Chelas.


terça-feira, 11 de junho de 2013

Pessoas que me inspiram # Pedro


O Pedro é um dos mentores da Limetree
Engenheiro civil de profissão viu-se a braços com a crise no sector da construção civil e pensou que ou mudava de área ou mudava de país. 
Mudou de área e fundou a Limetree, uma das start-ups mais promissoras dos últimos tempos. 
A Limetree é, basicamente, um álbum de criança virtual. Podemos lá deixar fotografias, cartas aos nossos filhos, gravações das suas vozes e vídeos caseiros. Tudo guardadinho na net e com acesso reservado aos pais, à prova de assaltos, cheias ou incêndios. À prova de filhos que retiram as fotografias dos álbuns e nunca mais as devolvem (desculpa mãe!). À prova de mudanças de cassetes VHS para dvds.À prova de qualquer imprevisto. 
As memórias ficam, assim, guardadas de forma segura (e gira!) para sempre. Espreitem o vídeo com a apresentação da Limetree aqui.
O Pedro não se conformou e deu à volta à crise. Não é uma inspiração?

(Sim, e é giro que se farta! Sim, e está em Dublin porque conseguiu uns investidores irlandeses. Sim- desculpem, meninas!- e ama a Pólo Norte! Tooomem!)

Irlanda quadripolarizada? Checked!


segunda-feira, 10 de junho de 2013

Primeira festa de aniversário solidária da blogosfera # a ideia

O Rodrigo morreu e nenhuma criança deveria morrer. A Maria Raquel tem a vida, acabadinha de estrear, com prazo de validade. 
E depois há a Marina, cujo exemplo de coragem e valentia me há-de inspirar para sempre. 
E então, tive uma ideiaa Ana, a minha Ana, celebra o seu primeiro aniversário dia 09 de Agosto. Nesse dia, procuraremos celebrar intimamente com a nossa família e amigos próximos. 
Mas... Mas eu gostava de marcar esta efeméride de forma inesquecível. 
Então, pensei: no dia 10 de Agosto, sábado, vamos organizar a primeira festa de aniversário solidária da blogosfera. 
Vou procurar o patrocínio de um espaço em Lisboa (é Verão, um sítio desempoeirado!), vou pedir patrocínio de cake designers de Lisboa que se queiram associar à causa e cozinharem o mais solidário comboio de bolos para oferecermos uma fatia a quem se quiser juntar à festa e, em troca, peço uma prenda para a Ana: a inscrição de cada um de vós (ou que tragam um amigo que ainda não esteja inscrito) como dador de medula óssea. 
Porque a memória da esperança do Rodrigo tem que ser honrada e porque acho que posso contar com vocês. E porque os aniversários devem ser celebrados no meio dos amigos. 
Que me dizem? 

(Podem ir acompanhando os preparativos da festa aqui)

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Hoje foi um dia triste, avô.

Sabes, avô, acho que foi de ti que herdei o bom humor. Somos uns bem dispostos nós, os C. Tu rias com os olhos e os lábios, tu rias com a voz e as palavras. Tu rias com o corpo e a alma. 
Nunca perguntei a ninguém mas acredito que foste tu quem me ensinou a rir. 
Mas hoje estou triste, avô, porque por mais que teime racionalmente em não celebrar ou honrar aniversários da vossa morte, faz hoje cinco anos que me morreste. 
Sabes, avô, hoje estive triste. Às vezes penso que passou uma eternidade desde aquele dia de Junho, enublado e terrivelmente frio, não sei se lá fora, cá dentro, sim. Outras parece que foi ontem que o som das tuas gargalhadas ainda ecoavam lá em casa e que os teus olhos brilhavam assim que me vias empurrar a porta pesada da entrada. O tempo sem ti, meu avô, é confuso e mais triste, mesmo que agora haja a Ana que me mandaste do céu só para mim. 
Podia dizer que as saudades se apaziguaram e que não tenho lágrimas a quererem regar-me a cara e um nó de marinheiro na garganta, que nunca se desata quando penso em ti. Mas não, avô. E penso todos, rigorosamente, todos os dias em ti. Em vós. 
Hoje foi um dia triste, avô, e eu queria fechar os olhos e lembrar-me da sensação do vento a bater-me na cara enquanto me transportavas na parte de trás da tua bicicleta, molas da roupa a segurarem-te as perneiras das calças para não se enrodilharem na corrente, o amor de quem transporta uma neta adolescente até ao liceu (secundário) porque lhe doem os pés, o amor de quem responde de forma mal educada aos colegas que troçam deste quadro quando se chega ao liceu, o amor daquelas viagens de bicicleta que mantivemos até muito tarde, tão boas, tão nossas. Mas hoje não me lembrei do vento feliz das nossas viagens de bicicleta a dois mas do vento gélido do dia em que a terra engoliu o teu corpo, e silenciou as tuas gargalhadas, meu avô. 
Sinto saudades todos os dias, em cada dia, um a seguir ao outro, que passa a minha vida sem ti aqui. Queria voltar a sentir o vento à boleia da tua bicicleta, meu avô. Estou triste.
Beijo-te à distância daqui até ao céu que (estou certa) se enche de gargalhadas tuas.

terça-feira, 4 de junho de 2013

segunda-feira, 3 de junho de 2013

A VISITAR | Monte Novo Montargil (Montargil)

Depois de uma manhâ de sábado agitada, rumámos a Montargil para um fim-de-semana inesquecível. Houve barragem, houve lapas grelhadas, houve cegonhas pelo caminho, houve gargalhadas de criança, houve migas de espargos com entrecosto, houve espalhos, houve histórias regadas a vinho verde e a vinho tinto (também houve minis), houve birras, houve uma vista de cortar a respiração, houve brincos feitos com cerejas e pulseiras feitas de florinhas, houve mais que uma vez a conversa de "podíamos não voltar e ficar a morar aqui para sempre", houve caldeirada de atum e morcela frita com ananás, houve muitos mergulhos na piscina, houve sesta, houve amigos a rirem-se e houve a noite com o céu mais lindo e estrelado de que tenho memória. 



Bijuteria eco-friendly. 


Alentejo: tumbas!












Pãozinho alentejano na Terra e Deus Nosso Senhor no céu



O verso da miúda mais linda do Mundo


Barragem de Montargil (vista da "nossa" sala)



Barragem de Montargil (vista da "nossa" sala)



Barragem de Montargil (vista da "nossa" sala)





E houve amor.




(Beijinhos à Sandra, ao Pedro, ao Francisco, à Inês e à Maria. Um xi-coração à Selma e ao Hélder.
Obrigada especial cheio de carinho à Virgínia.)




Adormecer aos pés de uma barragem

Quem? Monte Novo Montargil
Onde? Estrada Nacional nº 2, 7425-000 Montargil
Reservas: Pelo telefone 915 347 236 
Saber mais? http://portugalbestholiday.com/alentejo-villas.html



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...