segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Palavras homónimas, homófonas e homógrafas (adorava esta matéria no liceu)

À minha frente no comboio senta-se uma avó com o neto de três anos.

Abeira-se um vendedor da revista "Cais", estende a revista e pergunta:

- Cais?

A criança responde:

- Não caio nada!

:)


domingo, 30 de janeiro de 2011

O Mundo divide-se entre... # 15

... as pessoas que sabem que o bolo de bolacha se faz com manteiga e as que acham irrelevante e fazem-no antes com natas.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

De hoje a oito dias...


(A vida é boa)

Fretes femininos

Ele quer ir à feira e a ela não lhe apetece mesmo. Bolas, está a chover! Mas ele insiste. Quer comprar uns jeans e uns ténis para usar no trabalho.

Chegados a casa ele não traz nada. Ela resmunga porque traz uma bolha no pé...



(e uns óculos de sol, dois pares de brincos, um cachecol e uma jarra verde alface...)

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O Mundo divide-se entre... # 13

... as pessoas que usam o relógio no pulso direito e as que o usam no pulso esquerdo.

Saudades

da Marta Luísa.

Pólo Norte, a destabilizar desde 1980

Mudei de emprego há uns meses. Desta feita para um dos bairros típicos de Lisboa, deixando para trás um Parque Empresarial chic cheio de "guppies".
O meu dia-a-dia é agora vivido no Design District e uma das particularidades do novo escritório é estar situado num prédio antigo, daqueles com elevador féticheiro com grade e... porteiro.
Não, não se trata de um senhor da Prosegur mas sim de um porteiro à antiga: vive no rés do chão de prédio e durante o dia está sentado no hall numa secretária do século XIX a abir a porta, a encaminhar os visitantes, a chamar o elevador, entre outras tarefas mais.  
Hoje, pela manhã, recebi uma flor ao pequeno-almoço. Ora, eu não sou grande apreciadora de flores. Plantas gosto. Flores a vulso nem por isso. E ainda menos apreciadora sou de vir de flor na manita para o trabalho, vulnerável às perguntas dos colegas.
Assim, logo que entrei no hall do prédio pensei livrar-me da dita cuja e, na ausência do Senhor Rui (o porteiro), vai de lhe atirar com a flor para cima da secretária e pisgar-me para dentro do elevador, de fininho.
Dentro do elevador, dois tipos que trabalham na empresa do andar de baixo olharam para mim e desataram a rir, perguntando-me se podiam num instante escrever uma cartinha a computador e deixar a acompanhar a minha flor, com sorte a tempo do Sr. Rui não ter voltado ainda dos correios.
Espero grandes desenvolvimentos pela hora do almoço. :P

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Eu também gosto muito de animais...

Prima (a trabalhar no pc e com o gato ao colo)- Já cortavas as unhas ao teu gato, não? Tadinho, pá, está cá com umas ganfias...
Pólo Norte- Podias ser uma querida e dares uma ajudinha à prima, não?
Prima- Ó pah, agora não posso: estou a dar de comer aos animais do FrontierVille.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

A minha pilinha é maior que a tua

Colega 1- Eu tenho um piercing no umbigo.
Colega 2- Ahh, eu tenho uma tatuagem.
Pólo Norte- Eu tenho uma cicatriz.

A PROVAR | Quinta dos Poços- Reserva de 2004

Quinta dos Poços- Reserva de 2004: maravilhoso!
Taberna 2780 aprovada.

Pior que as lagartixas: uma 'ssoa mata-as e os rabos cortados ainda assim mexem-se sozinhos...

Uma 'ssoa vai contentinha, a pensar que vai apenas (e seria tão bom) assistir ao lançamento de um livro:
No fundo confirmar se ele está benzinho, se já se mentalizou que a carreira musical deu o que tinha a dar, se se está a safar como escritor.
Eis que a ´ssoa é supreendida por isto:
De repente ouve-se um grito á rei Juan Carlos na plateia.
Uma ursa não é de pau...  :(

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

A EXPERIMENTAR | Poço dos Sabores

... em que te raptam no fim de um dia de trabalho, A8 prego a fundo, vamos jantar a Óbidos. Porquê Óbidos? Porque a vida é curta e o castelo é já ali. Mas em Cascais também se come bem. Não interessa, o mar espera. O mar espera sempre. E Óbidos no horizonte, o carro a engolir o alcatrão, as torres eólicas indicam-nos o caminho. Em Óbidos come-se bem (não é bem Óbidos, chama-se Usseira a terra), o restaurante chama-se "Poço dos Sabores" e o que é bom nisto tudo- para além de tudo o resto que se sente e não se escreve- é acabar a noite a degustar um polvo em cama de batata doce e bacalhau com castanhas e um tinto a copo (agora estamos nos Douros) porque ainda somos capazes de pegar no carro e voltar para casa. Talvez.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...