domingo, 16 de outubro de 2011

Um like pela causa quadripolar...

O Pedro é um dos leitores mais assíduos e participativos na dinâmica deste blog.
E o Pedro é tão mas tão quadripolar que está disposto a viajar até perto do Pólo Norte e quadripolarizar não só o território mas o primeiro Urso polar que por lá encontrar.
E para isto ser possível só preciso de um movimento mínimo do dedo indicador de todos os outros membros desta irmandade quadripolar. Bora?*

É aqui. 

*(Vamos ignorar que o moço foi escuteiro, tá? Assim com'ássim até é girinho e tudo. E faz bonecos e tal.)

Análise projectiva de sonhos? Well, not!

Esta noite sonhei que estava a ir para a Madeira mas que antes tinha que passar no novo escritório porque a minha sócia tinha ficado trancada na parte de dentro do mesmo. Mas, como já estava muito atrasada, e só iria ficar na Madeira uma semana, fiz de conta que me esqueci de a ir destrancar e segui para o aeroporto. No carro estava comigo o Alf a rir-se a bandeiras despregadas. 
Chegada ao aeroporto já eu era a Alexandra Lencastre na "Ana e os sete" e tinha montes de miúdos a seguirem-me, atrelados a mim, tipo "Música no Coração". Desatei a fugir que nem doida e quando cheguei ao avião sentei-me, fechei os olhos e respirei fundo. Olhei para o lado e tinha o Vitor de Sousa a declamar poesia ao meu ouvido e o Alberto João Jardim também viajava em primeira classe e tinha acabado de se casar com... o Joaquim Monchique. 

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Como perder a pouca (quase nula) credibilidade que se tem aos olhos de uma mãe?

A amiga que vive em Hamburgo manda-te uma mensagem a pedir a tua morada.
Dás-lha e perguntas se ela está a considerar enviar-te um alemão alto, loiro e musculado.
Ela responde-te que te vai enviar "o melhor dos alemães".
Chega a encomenda e tu não estás em casa.
Recebes o aviso para ires levantar a dita à estação dos correios.
Pedes à tua mãe que te faça o favor de ir levantar a encomenda.
A tua mãe recebe a encomenda e liga-te para te informar.
Pedes-lhe que a abra para que ela te satisfaça a curiosidade.
Ela descreve ao telefone:





"Ah, são doces. E traz um postal. Queres que to leia?"






Digo que não. Mas que me descreva o tipo de doces.

""São uns bombons"

 "E umas bolachas de chocolate"

" E uns chocolates"

Respiro fundo. Afinal a minha amiga não destrambelhou...

 " Ah espera! Há uma embalagem de cartão. Queres que abra?"

Confirmo e peço-lhe que abra.
Silêncio do outro lado da linha. 
Mais silêncio.
-"Então mãe, o que é que tem dentro da embalagem?"
Responde-me apressadamente "Olha, quando chegares a casa, logo vês!"

As vossas apostas?


terça-feira, 11 de outubro de 2011

Porque é que há uma etiqueta neste blog intitulada "Eu sou a Miss Bean de Deus"?

Ando regularmente de táxi.
Hoje, a caminho de uma reunião, o taxista que me conduzia bufou-se.
Literalmente. Sonoramente.
A partir daí fui conduzida a 200 Km/hora.
Literalmente.
Cheira-me (cheirou-me) que aquilo deu molho.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

"Como impressionar alguém"- receita da Pólo Norte

Elogiar durante semanas seguidas o Aya. Que é o melhor sushi de Lisboa e tal.
Programares um jantar de sushi e um copo algures, mas em glamouroso.
No dia combinado optar por não ir para o Aya de Carnaxide, porque Aya que é Aya é nas Twin Towers.
Chegar às Twin Towers e o Aya do primeiro piso (o bom) estar fechado para obras.
Ter que descer ao piso de baixo e contentar-se com o Aya do tapetinho rolante.
O restaurante estar vazio. Literalmente.
A empregada não perceber Português.
Sentir o hálito do sushi men pelo facto do senhor estar a 50 cm de nós.
Pedir sakê e a empregada (a que não percebe Português) dizer que só tem sakê em garrafa, tipo refrigerante.
Ficares tão frustrada que enfardas pratinhos atrás de pratinhos.
Não quereres fazer má figura nem dares a entender que o sushi (o tal que elogiaste durante semanas) é capaz de te ter caído mal.
Saíres das Twin Towers e andares 5 metros a tentar disfarçar o mal estar.
Cortares o barato e teres que entrar no Le Méridien, mesmo ali em frente, para usares o WC.
Fingires que está tudo bem e não dares parte fraca. Que a comida estava boa, aliás óptima, é só uma pequena indisposição.
Saíres do wc a cheirar a azedo.
Pensares que vais quinar com as cólicas.
Entrares no táxi e em vez de dizeres o nome do bar suplicares por "A próxima farmácia de serviço".
Acabares a noite a Água das Pedras. Com um saco de plástico da farmácia na manita. Num bar manhoso.

O bom de se viver no pós ano 2000...


Vestes um vestidinho quando acordas a pensar que à tarde irás para a praia.
Vais à padaria aviar-te de pão.
Vais à mercearia buscar coisas que te faltam para o almoço.
No caminho encontras uma vizinha e dás dois dedos de conversa.
Passas pelo café para beberes uma bica.
Almoças e vais a casa da tua avó.
Entras no carro e verificas que, desde manhã, estás a usar o vestido do avesso.
Nenhuma das almas que se cruzou contigo durante o dia te avisou. Quando confrontas meia dúzia destas pessoas, todas te respondem o mesmo: "Ah, pensava que o vestido era mesmo assim".

...

sábado, 8 de outubro de 2011

Inquietações de uma loira

Comprar um cartão de telemóvel secundário de uma outra rede.
Perder a caixinha onde constava o número de telemóvel referente ao cartão.
O cartão não ter saldo para eu poder dar um toque e saber o número.
Não poder carregar o saldo do cartão porque não se sabe o número.

...

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Prova Filipinos e verás!



Manila (Filipinas) devidamente quadripolarizada pela querida pataca falsa- Dina!

sábado, 1 de outubro de 2011

Post it mental

O facto de teres o depósito do gasóleo na reserva não altera se parares "um bocadinho" o carro, fores beber uns canecos, deixando-o a repousar e voltares passado umas horas.
O depósito de gasóleo não é uma bateria de telemóvel.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...