quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Se fosse eu, processava o Mark do Facebook...

Aqui vai a minha solidariedade a todos os meus amigos que fazem anos dia 29 de Fevereiro e que estão a ser alvo de facebook-jacking hoje, com votos de parabéns antecipados, porque a rede social conclui que, em ano não bissexto, estas pessoas comemoram o aniversário no dia antes ao do seu nascimento. 


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A parábola do nosso amor na história de outros

"Nos anos 70, Marina Abramovic viveu uma intensa história de amor com Ulay. Durante 5 anos viveram num furgão realizando todo tipo de performances. Quando sentiram que a relação já não valia aos dois, decidiram percorrer a Grande Muralha da China; cada um começou a caminhar de um lado, para se encontrarem no meio, dar um último grande abraço um no outro, e nunca mais se ver. 23 anos depois, em 2010, quando Marina já era uma artista consagrada, o MoMa de Nova Iorque dedicou uma retrospectiva a sua obra. Nessa retrospectiva, Marina compartilhava um minuto de silêncio com cada estranho que sentasse a sua frente. Ulay chegou sem que ela soubesse... e foi assim."- Maeve Jinkings

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Também estava a pensar ir à Seaside comprar umas sandalitas para a cerimónia, ó se estava...

Mas se a Rita Pereira.- que é a Rita Pereira-compra umas no número acima e ainda tem que usar pensos nos calcanhares, nem me atrevo...


Há a numeração romana. E há a coloração romana.

Desde a gravidez que não pinto o cabelo. Está da minha cor natural um loiro escuro. Tinha-me decidido a voltar a fazer umas madeixas agora para o baptizado da Ana.
O Nuno Markl trouxe ontem, até mim, a luz. Ou melhor, as trevas. 


Obrigada, Nuninho. Se a coisa do ""Homem que mordeu o cão" não resultar como as "Traquitanas" tens toda uma carreira como fashion-adviser à tua frente.

(E aquilo é uma permanente? Ou faz-se trancinhas com o cabelo molhado à noite, e de manhã desentrança-se e fica-se assim? Contem-me tudo!)

sábado, 16 de fevereiro de 2013

O Mundo divide-se...

... entre as pessoas que acham aquelas bolachas que parecem esferovite objectivamente nojentas e as que as comem.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O Mundo divide-se ...

... entre as pessoas que ao ouvirem os primeiros acordes desta música trauteam " Ó Leonilde love" e as pessoas que cantam "All you need is love".

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Porque hoje é dia 13 (e agora somos 3)...



Pelo céu às cavalitas,
Escondi nos teus caracóis,
A estrela mais bonita, que eu já vi

Eu cresci com um encanto,
De ser caçador de sóis,
Eu já corri tanto, tanto para ti

Fui um príncipe encantado
Montado nos teus joelhos,
Um eterno enamorado, a valer

Lancelot de algibeira,
Mas segui os teus conselhos
Para voltar à tua beira
E ser o que eu quiser

(Refrão x2)
Os teus olhos foram esperança
Os meus olhos girassóis
Fomos onde a vista alcança da nossa janela

Já deixei de ser criança e tu dormes à lareira
Ainda sinto a minha estrela nos teus caracóis

(Refrão)
Os teus olhos foram esperança
Os meus olhos girassois
Fomos onde a vista alcança da nossa janela

Já deixei de ser criança e tu dormes à lareira
Ainda sinto a minha estrela nos teus caracóis

(Refrão)
Os teus olhos foram esperança
Os meus olhos girassois
Fomos onde a vista alcança da nossa janela

Já deixei de ser criança e tu dormes à lareira
Ainda sinto a minha estrela nos teus caracóis

Sim, tenho uma mente porca


sábado, 9 de fevereiro de 2013

Guimarães- capital quadripolar 2013


"Pólo,

As monissimas quadripolarizaram o berço da nação!! Guimarães está já conquistada ;)

Beijinhos,"

Beijinhos às Moníssimas

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Matrioshka de mim (à minha mãe, por ocasião da comemoração dos seus 53 anos)


Porque hoje é o teu dia queria-te agradecer tudo o que me ensinaste e ensinas.
Ensinaste-me tudo o que de importante preciso para a vida. 
Ensinaste-me os códigos de linguagem sem palavras, só com a força do olhar. 
Ensinaste-me o conforto de um colo, o calor de um beijinho em cima de um dói-dói. O sacudir as mãos quando se cai e o continuar a correr.
E o que é aquele frio na barriga que sentimos quando se aproxima a hora de acontecer uma coisa que desejamos muito, como o primeiro dia de escola primária, o bater da meia-noite na véspera de Natal ou o dia em que nos programam uma cesariana e nos descosem a barriga, cuja bainha coseste tu há muitos anos atrás.
Ensinaste-me o cheiro da erva azeda a caminho de casa e o equilíbrio do jogo da macaca sem se pisar o giz. 
Que o amor se pratica todos os dias e não se adia. Que a infância é feira de memórias banais, é feita da recordação de se apanhar o autocarro num fim de tarde de Inverno para se ir comer um cachorro quente numa tenda ambulante com vista para a baía de Cascais. 
Que o dinheiro pode estar contado mas deve haver sempre alguma na bainha das malas para se acorrer a uma urgência de hospital. Que nos ombros das mães se consegue ter pé até mais longe em alto mar. 
Ensinaste-me que as fantasias de Carnaval mais bonitas não se compram mas custam horas de sono e picadas de agulha nos dedos de uma mãe. Que a vida custa, que o sacrifício de horas e horas de trabalho e a abnegação de se prescindir de um casaco mais quente podem ser moeda de troca para se proporcionar uns primeiros sapatos bonitos a uma filha. Mas que é importante não se deitar fora as botas ortopédicas, para não se perder de vista o que fomos e o que conseguimos alcançar.
Que o amor cresce, cresce e nunca tem fim. Que é feito todos os dias e noites, na presença, sempre na presença. No provar, no concretizar as palavras, no cheiro, no toque, na pele.
Ensinaste-me que liberdade pede responsabilidade. Que as mães são como clientes e têm (quase) sempre razão.
Que temos que ser rijos e que não podemos fraquejar. Que a auto-comiseração não é solução e que se acreditarmos podemos não ser capazes, mas pelo menos tentámos. E que a tentativa e o erro são a chave para se alcançar os sonhos. 
Ensinaste-me que se pode ser mãe sem pai. Não que se pode ser mãe-pai mas que se pode ser mãe e que isso, por si só, em si só, pode ser suficiente para se fazer um filho, tremendamente, feliz. 
Ensinaste-me que superação é tão importante como se ser o melhor. Que as vitórias custosas são as mais saborosas. Que os recovers de algumas músicas podem unir gerações. 
Que dormir em conchinha é a coisa mais gostosa do Mundo. E que colo de mãe é como pastilha elástica, estica sempre em proporção ao tamanho de um filho. De mim. 
Que ser feliz está ao meu alcance, é só ajustar as premissas, os objectivos e manter o foco que o importante reside, sempre, nas coisas simples. 
Ensinaste-me a generosidade do amor, o altruísmo, o gostar de ver os outros felizes, porque, afinal, a felicidade é sempre em espelho. Que o melhor do Natal é a família e que o passado se deve honrar com tijelas de aletria e mexidos. Que os mortos só morrem se os matarmos em nós.
Que o amor é um contrato sem termo, para a vida, sem férias nem folgas, uma jornada contínua, sem descanso mas com a melhor retribuição do Mundo. Que quando nasce um bebé que tu geraste ele não é teu, é de todos os que amas, do Mundo e que ser avó deve ser (ainda) melhor que ser mãe. 
Ensinaste-me, mãe, que ninguém morre de amor. Que o amor não mata. Mas que se pode viver assim, alimentado para sempre, de um amor umbilical, embrionário, vitalício. 
Ainda bem que nasceste, há 53 anos atrás. Para me ensinares o bom que é seres tu a minha mãe. Para me ensinares, também a mim, a ser mãe.
Feliz aniversário, minha mãe. Matrioshka de mim. 



terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Não é que eu seja interesseira. Trata-se de uma win-win situation, ok?

Ideias de prendas para oferecer a mámen:

- Workshop de sushi
- Fim-de-semana para 2 nos barcos-casa na barragem do Alqueva
- Workshop de massagens
- Fim de semana de Carnaval em Tras-os-Montes para ver aquilo dos mascarados que eu quero ver há que tempos
- Workshop de restauro de móveis


(aceitam-se mais ideias win-win, ok?)

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Curtas pós-parto # Paternidade realiza fétiche

Mámen assume que se sente o Tom Cruise no fime "Cocktail" quando faz o biberão para a miúda.

De-ca-den-te.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...