terça-feira, 29 de dezembro de 2015

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Que caras de quadripolarização vêm a ser estas, garotas?





"Pólo, tu quadripolarizaste a nossa alma, nós retribuímos ao quadripolarizar o melhor de nós: a nossa terra, Cinfães!
Faz-nos uma visita e acrescenta momentos e memorias felizes à tua vida. 
Beijinhos,
Sonia Miranda e Liliana Vasconcelos"


Eu irei a Cinfães. A medo, à custa das vossas expressões, ah, mas irei! Me aguarrrdem!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

O Mundo divide-se... especial Natal #2

... entre as pessoas que comem bolo-rei e as que comem bolo de Natal*.





(* sim, açorianos, vocês estão do outro lado do Mundo!)

Nem a terra do Pai Natal escapa. E pela segunda vez!








"Missão: (mandar) quadripolarizar o Pólo Norte 

Passo 1: Emília, amiga finlandesa, vai à Lapónia

Passo 2: verificar que o Pólo Norte ainda não foi quadripolarizado

Passo 3: esclarecer a amiga sobre "ser quadripolar" e "quadripolarizar"

Passo 4: missão aceite. aguardar quadripolarização


De qualquer forma, o Pólo Norte está duplamente quadripolarizado! No nosso caso, por uma finlandesa de gema!!

Beijinhos da Casa Azul,

Carla"

Obrigada, manas da Casa Azul!

O mundo divide-se... especial Natal #1

... entre as pessoas que, na ceia de Natal, têm como tradição comer bacalhau e as que têm como tradição comer polvo.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Isabel: a quase-quadripolarizada



"O melhor que pude congeminar da minha cadeira hahaha. Ela separou se do william e eu não fazia ideia! Ela armou se em fina e saiu logo, nao assinou livros nem tirou fotos: buhhh! Fica a intenção. Beijinhos, Dina!"

Dina, obrigada, pá! Valeu!

O Mundo divide-se...

... entre quem lhe chamava cloche e quem lhe chamava patusca. 



(E quem não faz puto ideia a que se refere este post)

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Ir ao Algarve de transportes públicos: uma experiência sociológica

Ir ao Algarve de transportes públicos: a saga. 

Sair de Lisboa às 10h30 de autocarro e passar 5 horas de viagem até chegar a Vila Real de Santo António, exausta e toda partida para a formação que começava às 16h. 

A formação dura 2 horas. Acabou às 18h15, neste caso. 

O último autocarro diário de VRSA até Lisboa é às 17h30. O último comboio diário a vir do Algarve para Lisboa é às 17h56... em Faro (a 100 km de distância de Vila Real de Santo António). 
Fiquei, sem alternativa, a dormir no Algarve. 

Hoje perdi o comboio das 07h da manhã e só pude apanhar o seguinte... às 12h39. 

Depois vim no de Faro para Lisboa das 13h54 que chegou às 17h26. Ou seja, mais 5 horas de viagem. 

Presumo que seja isto "o Portugal esquecido e ostracizado". 

Um abraço solidário aos meus amigos algarvios, sim?

A estreia nas viagens de balão ou Pólo Norte tu vas tomber






Calhou ter ficado no balão de uma equipa francesa. Eu não falo nada de nada, rien de rien de francês e pensei para os meus botões: "Oh que se lixe, vai ser uma viagem em paz e silêncio que vai ser uma maravilha!". Só que não.
Assim que começámos a descarregar a carrinha começou o loucura: foi desenrolar o balão, foi insuflar o balão com ar, foi alçar das minhas pernas de 2 metros (not!)  e saltar para dentro do cesto, tudo sobre o comando de voz gestual do piloto, que também não falava inglês e muito menos português.
E passada uma meia-hora, walkie talkies testados, começamos a subir devagarinho, devagarinho, como se fosse um sonho. E a paisagem em pleno voo era deslumbrante e comecei a relaxar.
 O cesto era pequeno e estávamos com a lotação esgotada, ora, eu que sou uma pessoa que precisa de um largo personal space comecei a encostar-me a uma esquina do cesto até que oiço "attention, attention!" e comecei a olhar para baixo para ver que raio me estavam eles a chamar a atenção. Até que levo uma safanada do senhor e um "arrete" que é para ver se abres as bistinhas que estava encostada aos tubos por onde circula o gás e não tardava nada íamos fazer bungee jumping em vez de balonismo. Nessa altura já tínhamos perdido altitude à custa de eu ser uma 'ssoa meigiinha e atenta e tudo e tudo e tudo e comecei a ver o filme de quase fazermos uma razia a um post de electricidade e comecei a pensar na minha rica filhinha que havia ficado em terra com o seu querido pai e a ver a minha vida toda a andar para trás.
Nessa altura devo ter ficado branca como farinha maizena pois o piloto começou a cantar em francês muito descontraído para me entreter e lá fez subir o balão. E a partir daí entreguei-me nas mãos de Dieu e deixei de intelectualizar. E foi bom, incrivelmente bom e libertador.
Durante duas horas sobrevoámos os céus do Alentejo e a paisagem é de cortar a respiração. De repente, acabaram-se os uh la lás, os arrete, os attention e curtimos um silêncio fabuloso enquanto voávamos.
A descida foi agitada. Tínhamos (tinha o piloto que eu cá não risco nada) que perceber bem onde deveríamos aterrar e a escolha estava difícil, ora porque havia vacas no pasto e ir-se-iam assustar com o barulho dos queimadores, ora porque porque estávamos longe das estradas e o resgate do balão seria difícil por parte do outro membro da equipa que tinha ficado no carro de apoio ora...
Aterrámos ao pôr do sol! E foi inesquecível!
Demoraram uma hora a resgatar-nos (acabámos por aterrar mesmo no meio de um descampado, longe do asfalto e de caminhos bons para a carrinha circular) mas nós esperámos com a classe com que só os franceses conseguem ter: num piquenique já em terra, à sombra do balão, entre queijo e copos de vinho, felizes e sem nos entendermos num código de língua comum mas partilhando sem espinhas a linguagem da felicidade!

Merci, mes copains! Merci!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

O Mundo divide-se entre...

... quem acabou de ver o videoclip da última música da Luciana Abreu e entre quem ainda não tem os ouvidos e os olhos em sangue.

A quadripolarização mais emocional de todas






"Ola Ursa,
Em anexo as fotos da Quadripolarização da terra da sua família materna (Poiares – Ponte de Lima), visto que ainda não estava devidamente quadripolarizada.
Ao dispor.
Carolina Rocha"

Esta quadripolarização esteve em suspenso alguns meses. Cada vez que botava os olhos na fachada da Quinta da Torre- onde a minha avó nasceu, onde eu passei em cima de uma vaca até ao posto, onde descasquei milho e lhe reirei as barbas para fazer chá, onde cheirava ao pão de milho quente da minha tia Carminda, onde soava a buzina da carripana do pão que nos trazia rosquilhas que comíamos com o mel das abelhas que ali viviam, onde me ria das tropelias do Toné, o caseiro da quinta- cada vez que botava os olhos nestas fotografias dava-me vontade de chorar. 
Sempre achei que não tinha uma terra. Sou um bocadinho de todos os sítios onde fui feliz. Mas toda a gente tem um chão, um ponto de partida, onde o GPS da vida se inicia, terra onde assentam as raízes mesmo que os troncos ramifiquem Mundo fora, onde o som da pronúncia soa a casa, a lar. Toda a gente tem uma terra. A minha é esta. Minho no seu mais verde melhor. 

 E esta é a quadripoilarização mais emocional de todas. Obrigada, Carolina!

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Ahhh, Veneza!


"Bom dia minha querida!
"Olhaaa quadripolarização fresquinhaaaa!"
Em Veneza! :)
Beijinhos e saudades!
Anabela"


beijinhos, minha Anabela!

terça-feira, 6 de outubro de 2015

A tripulação de bordo da Ryanair mostra que tem, efectivamente, um grande sentido de humor


Ahahahahahahahahaha! É a raspadinha quadripolar, ó fregueses!


(Obrigada à hospedeira voadora não identificada- a seu pedido! 
É sempre bom termos infiltrados quadripolares a bordo. Beijinhos. )

Honduras? Checked!



Obrigada Alda! Honduras já cá canta!


Conheçam a cruzada quadripolar aqui.

Fui ao Porto com a Ryanair

Saí de casa atrasada e não tomei o pequeno-almoço. Tinha feito o check in online, por isso, dei-me ao luxo de chegar em cima da hora, até porque o terminal 2 do aeroporto de Lisboa tem menos lojas do que a Atrozela (se não saibam onde é: googlem!) e eu tinha muitas coisas para fazer para além de bezarrar num terminal de aeroporto
As pessoas ficam ali todas em filinha nas portas de embarque e eu acho bonito. Deixo-as todas alinharem-se com pressa de chegarem primeiro ao avião. Diverte-me a urgência que têm em enfileirar-se ou com medo que a lotação esgote, ou com a expectativa de apanhar lugares na primeira fila para veres melhor o voo (só que não) ou não sei porque razão. Fico sempre para último. 
Finalmente sentei-me e pensei para os meus botões: "Ena pá, que bom, vou dormir uma soneca de 1 horinha até ao Porto, maravilha!". E depois começou a pândega, de tal forma que (juro por Deus!) houve uma altura em que pensei que havia por ali câmaras ocultas e iríamos todos aparecer nos Apanhados. 
Eram três os hospedeiros e estavam tão bem sincronizados nos tempos de palco, nas pausas para respirarem, nas deixas e contra-deixas que tenho pena que se tenha perdido um elenco espectacular de stand up comedy em prol de uma tripulação de voos lácoste
Eu não estava à espera que a hospedeira se sentasse no chão a ler pelo megafone telefónico as pechinchas que se vendem a bordo. Também não estava à espera que o som da gravação para chamar a atenção das pessoas e lhes explicar as regras de segurança em vez de um "ding dong" fossem um "booooionnnng!" de vuvuzela.  Não estava à espera que um dos comissários de bordo dissesse: "E agora vamos chegar ao momento mais aguardado deste jogo: a venda das raspadinhas!" e que mantivesse um semblante sério enquanto dizia aquilo e enquanto passava ao nosso lado no corredor a ver quem comprava. Não estava à espera que o outro comissário de bordo se saísse com um: "Se o comandante não teve a brilhante ideia de acender as luzes dos  cintos de segurança à toa, é capaz de ser bom vocês apertarem-no porque vamos aterrar. A partir deste momento são proibidas idas à casa de banho, permanecerem de pé ou dançarem o tango!". Não estava à espera da hospedeira passar com um saco de lixo aberto e perguntar a cada um de nós: "lixo?", "lixo?", "lixo"?
Já tinha voado em lowcosts mas há muito tempo. E tudo isto era um rol de novidades para mim.
Pensava que tinha, apenas, comprado uma viagem de avião low cost para o Porto. Mas de bónus trouxe a experiência de uma stand in the air comedy. E só não trouxe um colchão, como aqueles que impingem às pessoas que alinham numa excursão à Régua sem saberem para o que vão, porque não calhou.
E desta vez aterrámos e ninguém bateu palmas. Injustamente que isto foi um primeiro acto inteirinho de um teatro de revista, só faltaram os penachos no meio das pinhas do pessoal de bordo. E não houve palmas porque acho que estava tudo em choque a ver quando entravam os colchões ou os aspiradores que se compram a prestações.
Mas, tenho para mim, que esteve asssiiiim para ter acontecido! Assssiiiim!

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Lua-de-mel quadripolarizada, lua-de-mel abençoada




Um beijinho para a Ana o o seu recém-esposo que em lua-de-mel na Tailândia não se esqueceram de afirmar a sua quadripolaridade!

Que sejam felizes (e quadripolares) para sempre!



Conheçam a cruzada quadripolar aqui.

domingo, 4 de outubro de 2015

O Mundo divide-se entre...

... as pessoas que não tiraram fotografia ao seu boletim de voto para pespegar no facebook e as outras.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Querida TAP, querida SATA, a culpa é vossa que me habituaram mal

Estou a recuperar do choque de assistir ao pessoal de bordo da Ryanair tentar impingir raspadinhas aos passageiros.

Glup!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Aos meus amigos que foram jantar lá a casa na última sexta-feira um agradecimento e uma promessa

Obrigada por fingirem que o peru no forno estava bom mesmo depois de dois rounds no forno.

Prometo que no próximo jantar o cozinheiro será mámen!

O fim do Mundo está para breve

No próximo fim-de-semana irei assistir a um recital de poesia... japonesa.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Uma nova tendência newborn

Há quem inscreva os recém-nascidos como sócios de clubes de futebol mal eles nascem.


A última tendência é quadripolarizá-los logo na maternidade: olhem só que coisa mais linda da tia ursa!

 
 

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

O Mundo divide-se entre...

... quem, mesmo que não frequente a escola há mil anos, continua com o chip que o ano começa em Setembro e os outros.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Selecção natural das espécies

O Mundo divide-se entre os que vêem o outro ser humano-  independentemente da sua raça, credo, cor de pele, religião ou outro qualquer rótulo- como semelhante e os cretinos.

sábado, 15 de agosto de 2015

Três horas depois recebes um segundo mail da mesma pessoa a pedir desculpa. Reviu o email e o que queria ter escrito era a palavra "Namaste".

Aquele dia em que recebes um email que acaba com a palavra "Mamaste".

...

...

...


Falta só o Mitch Buchannon e a C.J. Parker a correrem como pano de fundo para ser a melhor quadripolarização ever




A Dina quadripolarizou-me a Baywatch! A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!
A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!
A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!
A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!
A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!
A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!
A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!
A Dina quadripolarizou-me a Baywatch!


quinta-feira, 30 de julho de 2015

A quadripolarização que eu mais invejo

"Olá Polo Norte!

Estamos a meio da nossa viagem pelo Japão. Envio as quadripolarizações das cidades que visitámos até agora.

# Tóquio: (é o portão de entrada num dos templos de Tóquio... mas o mapa com o nome dele está no fundo da mala! envio o nome quando lá conseguir chegar)

# Nikko: fonte na zona sagrada de Nikko (zona considerada Património da Humanidade); estátua de Jizo em Kanmangafuchi Abyss (são 70 estátuas, mas esta pediu muito para segurar no papel!)




# Nagoya: Castelo de Nagoya. Este castelo foi quase completamente destruído pelos raides aéreos durante a II Guerra Mundial. A reconstrução ainda está a decorrer e está a ser baseada em plantas, desenhos e fotos do castelo original. A ideia é que fique o mais parecido possível com o original, incluindo os materiais utilizados. Nos jardins existe uma árvore que foi parcialmente destruída durante os bombardeamentos, mas que conseguiu recuperar e hoje é considerada Monumento Natural.


# Kanazawa: "Daruma" (talismã japonês). Este é um pouco diferente do habitual: foi pintado de dourado, numa alusão à folha de ouro, bastante utilizada no artesanato desta zona. Existem também algumas lendas que referem Kanazawa como tendo uma fonte de ouro. Este boneco é a mascote da zona.


# Quioto: Pavilhão Dourado, o mais conhecido símbolo da cidade.



A minha preferida é a da fonte... Foi lindo conseguir convencer o miúdo a tirar a foto! Claro que ajudou bastante o facto de ele não perceber nada do que eu estava a dizer e de os japoneses serem extremamente simpáticos e prestáveis por natureza :)

Em breve teremos mais algumas Quadripolarizações!
Beijinhos,
Mafalda"


Mafalda: 愛してます! <3



terça-feira, 28 de julho de 2015

Receber um smartphone, 30 MINUTOS depois deixá-lo cair e estilhaçar o écran é mau. Muito mau.


Podia ser pior. 

(Mas aceitam-se dicas de onde se pode arranjar écrans estilhaçados sem que me peçam um valor superior ao do próprio telemóvel, sim?)

quinta-feira, 9 de julho de 2015

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Panamá quadripolarizado!


"Olá Pólo linda!

Segue mais uma quadripolarização... e tenho muitas mais, muito giras, para te enviar... aguarda! :)
(Não quero perder o meu estatuto de melhor "quadripolarizadora de todos os tempos")!

Esta é no Canal do Panamá.

Beijinhos muitos!
Anabela"

O "títalo" continua teu, minha querida! Beijinhos

terça-feira, 30 de junho de 2015

O Mundo divide-se entre...

... as pessoas que não mantêm o autocolantezinho do Office no portátil à força, mesmo que ele teime em descolar, em colar-se ao braço, à mão, a tuuuudo e... eu.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Só para quem leu Gil Vicente

O Mundo divide-se entre quem me pergunta do que estou doente e percebe do que se trata quando respondo "samicas" e os outros.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sensibilidade meets sentido de oportunidade

No centro de saúde, a levar uma valente seca,  sem ver revistas à vista, pergunto à recepcionista se há alguma coisa para ler. Resposta:

"- Já leu o panfleto sobre o testamento vital?"

...

...

...


domingo, 14 de junho de 2015

domingo, 10 de maio de 2015

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Não lhe quis dar um desgosto mas já a tinha comprado na segunda-feira passada para fazer tempo enquanto esperava o comboio

Eu no comboio. 
Um senhor velhote com ar distinto sentado à minha frente, naqueles lugares de quatro com mesa e tomada. 
Vêm as empregadas da CP que oferecem jornais ou revistas aos passageiros. Só há a Caras, o Negócios e jornais desportivos. 
Olho para a oferta parca e, sem grandes alternativas, peço o jornal de Negócios. 
Comentário do senhor para a empregada:

- "É botar os olhinhos nesta menina. Nem tudo está perdido! Eu a achar que ia pedir a revista da calhandrice. Ora toma que é para aprenderes, Américo! Sim, senhora! Parabéns!"

:) 

domingo, 26 de abril de 2015

O Mundo divide-se...

... entre quem não consegue fazer isto com os membros superiores e as parvas das minhas amigas quem consegue.


terça-feira, 21 de abril de 2015

Tenho uma amiga...

... que está a ter formação pós-laboral. Como anda constipada vai para quase dois meses e cheia de alergias anda a testar diferentes anti-histamínicos, prescritos pelo médico, até ver com qual se aguenta à bomboca. Deixou de tomar em horário laboral,antes de ir para o trabalho e, agora, optou por tomar após o horário laboral, mesmo antes da formação. 
Hoje, a minha amiga ficou com uma moca. Pediu licença para ir à casa de banho e arrochou assim que se sentou na sanita. Encostou-se ao autoclismo e dormitou. Depois começou a doer-lhe o pescoço e mudou de posição: encostou-se ao suporte redondo de plástico do papel higiénico e bateu outra pequena sorna. Passada meia hora alguém foi ver se ela tinha quinado e chamou-a na casa de banho. Tossiu, respondeu com a voz mais bem colocada que conseguiu, ainda a limpar a baba, penteou-se com as mãos e voltou a entrar na sala, muito composta, peito para fora, barriga para dentro. 
Não percebeu porque todos a olhavam com estranheza. 
Até se ver no reflexo do vidro da janela com mega vergastada do filho da puta do suporte do papel higiénico na testa...

...

...

...

sábado, 11 de abril de 2015

Post it: comprar um saco de sal com arruda

Antentem o pneu furou.
E o esquentador começou a pingar água.
Ontem o pneu sobressalente que tinha substituído o furado, furou também.
Hoje a torneira do lava loiça estragou-se.

Não sei se vá primeiro à Norauto, ao canalizador ou à bruxa.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Depois do coma patrocinado pelo Zyrtec adivinham-se evoluções dramáticas

Dei um mau jeito muscular no trabalho.
O enfermeiro espetou-me com um relaxante muscular.
Antes de sair do gabinete médico perguntei-lhe o que me tinha dado.

Valium.



(estou a aguardar a pancada)

sábado, 21 de março de 2015

"Se perguntarem por mim, digam que voei"

Fui almoçar ao Mercado do Bom Sucesso. Está lindo o espaço e bate a mil o da Ribeira, aqui em Lisboa.
Estava sozinha e percorri o espaço cheio de mulher imaculadamente bem vestidas e homens com pinta como não há a Sul. Pensei comer sushi, a fila estava interminável, ainda me meti na fila do risotto e sequei uns largos minutos, fui à banca do lado, diziam que tinham os melhores rissóis do Mundo.
Procurei mesa, tudo cheio, encontrei uma só com um banco. Levava a pasta do pc a tira-colo, a mala no outro ombro, o tabuleiro com os rissóis nas mãos. Sentei-me com dificuldades, tenho perna curta, estiquei-me, meti a pasta do pc enscostada à perna da mesa, no colo a mala, pousei à minha frente na mesa o tabuleiro. Não conseguia chegar à comida: era muito volume torácico de maminhas e mala a abarrotar ao colo. Pousei a minha mala também no chão, tive medo que me roubassem a mala e o tempo que eu demoraria  adescer do banco alto seria tanto que quando conseguisse descer a correr atrás do ladrão já a minha carteira estava em Vigo. Decidi dar uma laçada com o tornozelo na alça da mala.
Comecei, finalmente, a almoçar. Os rissóis eram uma porcaria. Fiquei descorsoada. Demorei cinciominutos, se tanto. Estava frustrada: ir ao Porto e comer rissóis maus é uma infâmia!
Desci do banco alto num pulo, agarrei no tabuleiro, tentei dar o primeiro passo, enriquecei-me na mala e, não sei se sonhei, mas ouvi ao lonhe a puta da música do Reininho:
"As asaaaas são para voar..."

quinta-feira, 19 de março de 2015

Post em moca maior

Post it mental: Não voltar a tomar anti-histamínico em horário laboral.

quinta-feira, 12 de março de 2015

domingo, 8 de fevereiro de 2015

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Majestosa quadripolarização!




"Bom dia Pólo Norte, aqui vai a quadripolarização do Sri Lanka. um beijinho. Ana Matia"

AMEI, ANA!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Já fui tão feliz em Bratislava













"Olá,
Sinceramente, não sei se estes locais já foram quadripolarizados (Budapeste e Brastilava), mas para veres como levei a sério a missão é possível constatar que vários locais, de ambas as cidades, foram quadripolarizados.
 
De salientar que não vi morcego nenhum. Em Budapeste, a malta foi do mais antipático que alguma vez já vi - e olha que eu já fui a alguns sítios - mais parecia que estavam todos (homens incluídos) com TPM. Em Bratislava foi o oposto!
 
Um beijinho,
K."


Obrigada e um beijinho com o devido atraso!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Bélgica quadrisushipolarizada


 

"Olá Pólo,

Ando há anos para quadripolarizar uma cidade e finalmente quadripolarizei uma. Bruxelas, que é onde estou a viver agora . Aqui vão duas fotos. Para a Square Ambiorix (espero quadripolarizar lá fora também mas o fim de semana presenteou-me com um friozinho muito pouco convidativo e chuva intermitente como é hábito por estas terras) e uma com o kit de sushi. E não é que é possível fazer sushi em casa?

Beijinhos, Luisa". 

Beijinhos muito atrasados, Luisa! Por onde andas tu, agora?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...